Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Velha Alma...

 

 

 

Sentada na beira da estrada;

Dessa estrada empoeirada,

Caminhando desbravada,

Desbravadamente desencontrada,

Desencontradamente desesperada,

Desesperadamente emocionada,

Emocionadamente aprisionada,

Na beira de uma estrada...

 

Na beira dessa estrada;

Memória bem trancada,

Permanece pincelada,

A parte recordada,

De cada beijo retratada,

Retratando sem mais nada,

Um pedaço deste amor...

 

Na beira de uma estrada;

De uma estrada empoeirada,

Vai cantando de soslaio,

A velha alma,

De outrora.