Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Um Companheiro Chamado Alzheimer...

Filipe Vaz Correia, 06.04.19

 

Um dia claro, num outro dia tudo escuro...

Num momento o mundo meu, num outro momento o mundo desconhecido, sem rostos, sem afagos ou abraços.

Num instante aquele olhar, num outro instante o vazio...

Uma palavra que chega e sossega o coração, num singelo pestanejar a mesma voz inquietando a alma.

Tanta certeza, numa incerta vontade que não controlo, nesse descontrolado destino que se assemelha ao destemperado querer pueril.

Num momento um velho, num outro um recém-nascido, sem forças para expressar tudo o que um dia foi aprendido, num ápice desaprendido.

Estou aprisionado dentro do incógnito esquecimento de mim mesmo, dos meus, de tudo e de todos...

E a cada assomo de recordação, em cada pedaço do que outrora foi construído, um sorriso vitorioso, para em seguida tudo se desvanecer numas trevas infinitas, infinitamente desperançadas.

Alguns chama-lhe Alzheimer, outros despedida...

Eu apenas lhe chamo realidade.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Filipe Vaz Correia 07.04.2019

    Minha querida Tudo Mesmo...
    É de facto uma doença absolutamente tenebrosa.
    Este texto é um conto, sobre alguém que não sou eu...
    Um beijinho com carinho
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.