Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Sem Olhar Para Trás

Filipe Vaz Correia, 14.04.21

 

 

8ED73F64-B77F-43BD-960B-6EB4FA30FB29.jpeg

"olhares.com"

 

 

Não escolhi ruas;

apenas por elas ando,

como um fantasma desencantado,

perseguido por pesadelos,

outrora fios e novelos...

 

Perseguido,

pelas gentes que partiram,

pelos que ficando se silenciaram,

por tantos momentos que desapareceram nas asas do vento.

 

Suspiro intensamente;

levemente de uma vez,

sustendo a querença que grita ao virar da esquina,

nesses escritos marcados nos murais dos prédios,

desassombrada expressão,

de desmedido tédio.

 

E assim procuro neste lento divagar;

vozes e rostos,

marcadamente meus,

ilusórios desgostos,

cravados em cada adeus,

que me acompanha.

 

Caminho por entre ruas,

sem nunca olhar para trás.

 

 

 

 

 

 

Sem Olhar Para Trás

Filipe Vaz Correia, 03.06.19

 

 

 

Não escolhi ruas, apenas por elas ando;

Como um fantasma desencantado,

Perseguido pelos pesadelos,

Outrora animados,

Pelas gentes que partiram,

Pelos que ficando se silenciaram,

Por tantos momentos que desapareceram nas asas do vento.

 

Suspiro intensamente;

Levemente de uma vez,

Sustendo a querença que grita ao virar da esquina,

Nesses escritos marcados nos murais dos prédios,

Desassombrada expressão,

De desmedido tédio.

 

E assim procuro neste lento divagar;

Vozes e rostos,

Marcadamente meus,

Ilusórios desgostos,

Cravados em cada adeus,

Que me acompanha.

 

Caminho por entre ruas,

Sem olhar para trás.