Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Da Rússia Com Amor... (Envenenado)

Filipe Vaz Correia, 08.10.20

 

 

 

08120F87-6279-4F6B-8ADD-D56CECC1031F.jpeg

 

 

Ouvir Nalvalny explicar o que aconteceu com o seu corpo é mais do que uma questão pornográfica, mais do que uma falta de pudor, é a explicação de um tempo bafiento que exala a naftalina.

Olhar em tempos de Covid, para este envenenamento, mais um, deste regime putrefacto Russo e do seu líder Vladimir Putin,  recorda-nos a todos os perigosos tempos em que nos encontramos.

A Rússia não é uma democracia...

Putin não é um político eleito democraticamente...

O futuro não pode ser traçado com gente como esta...

Estas alíneas são um pormaior na forma como olhamos o mundo, aqui se encontram os extremos, pois é na revolta contra estes "pequenos" Estalines de outrora que encontramos os democratas de hoje, ou seja, aqueles que independentemente dos conceitos de Esquerda e Direita se predispõem a combater os demagogos de agora.

Sejam eles Trump's, Bolsonaros, Venturas, Le Pens, Putins, Maduros, Orbans, Erdogans ou outros...

Pulsem eles de onde pulsarem.

E um argumento me encanita mais do que qualquer outro:

"Este é mau mas o outro é também muito fraquinho"

Quando o quesito é o populismo não existe espaço para comparações, condescendências ou cedências...

Somente condenar, pugnarmos energicamente, pugnar para resgatar o melhor de todos nós.

Nada mais.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

Da Rússia Com Amor... "Coincidências Existem"

Filipe Vaz Correia, 21.08.20

 

 

 

7D83C7B7-AC27-499D-B76E-C48425F083E0.jpeg

"Aleksandr Lukashenko e Vladimir Putin"

Um retrato de dois líderes que amam a democracia e abraçam as liberdades

 

 

 

As coincidências existem...

É preciso ser muito maldoso para, mais uma vez, imputar a Vladimir Putin a morte de um seu opositor.

Francamente...

Depois de Alexander Litvinienko envenenado, de Anna Politkovskaia ou Boris Nemtsov assassinados a tiro e Boris Berezovsky "suicídio", é agora a vez de Alexei Navalny poder entrar para este rol de calúnias contra o Czar Russo dos tempos modernos.

Parece que Navalny, várias vezes preso por ser a voz mais incómoda ao actual establishment do Kremlin, se sentiu mal a bordo de um avião, depois de ter bebido um chá preto e entrou em coma.

Mas quantas vezes não escutámos casos similares no dia a dia?

Um chá preto estragado e surgem logo rumores de envenenamento?

E ainda por cima, neste caso, o opositor ainda está vivo...

É preciso má vontade!

Claro que escrevo estas linhas porque me encontro a milhares de quilómetros de Moscovo, pois apesar de alinhado com o Kremlin, FSB e SVR, estar a dar importância a um assunto que certamente não existe já poderia ser sinónimo de oposição corajosa e quero deixar bem claro que não me sinto, neste caso, nem opositor nem corajoso.

Não quero ter encontros com intoxicações alimentares ou com misteriosos tiros que passeiam discretamente pelas ruas.

Assim...

Apenas me sobra deixar nestas linhas o meu apoio a Vladimir Putin pelo massacre constante a que este é sujeito devido a rumores e calúnias sofridas ao longo de anos.

"Avante" Camarada Vladimir Putin...

E Viva a "Democracia Russa" em todo o seu esplendor e liberdade.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

Uma Nova Corrida Ao Nuclear?

Filipe Vaz Correia, 29.12.18

 

Vladimir Putin gritou para o mundo que a Rússia detinha uma nova arma nuclear...

Um míssil intercontinental, capaz de fintar qualquer sistema de defesa existente.

Este é um "presente" de ano novo, dado ao Povo Russo, segundo as palavras do Presidente Putin, amargurando aqueles que julgavam ultrapassada a Guerra Fria e com isso a corrida ao armamento nuclear.

No entanto, olhando para o mapa Geopolítico, será importante não esquecer um novo "player", neste horror bélico que ameaça o futuro da Humanidade...

A China e o seu imponente exército.

Desde a chegada de Donald Trump à Sala Oval, trazendo consigo trapalhadas e incompreensíveis decisões, como a saída do acordo de Paris, "alterações climáticas", assim como, a sua retórica em relação ao tema nuclear, seria expectável uma nova "vida", na busca por novos tipos de armamento.

Algo que parecia garantido, o desmantelamento dos arsenais nucleares, ao longo do tempo, foi sendo negligenciado, cedendo o mundo a essas retóricas populistas que começaram a vencer em vários cantos do mundo,  permitindo o renascimento de ideais extremamente perigosos.

Para onde caminhamos?

Uma questão inquietante que se afigura de difícil resposta, entrelaçada por entre desmandos belicistas, ameaças e populismos.

Começou uma nova corrida ao nuclear?

O mundo espera respostas...

Preocupantes respostas.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Comunismo: Sonho Ou Pesadelo?

Filipe Vaz Correia, 07.11.17

 

Passaram 100 anos...

Faz hoje 100 anos que os Comunistas chegaram ao poder na Rússia, tomando o lugar daquele Governo Provisório que se mantinha em funções, desde a queda do Czar Nicolau II e sua Monarquia.

Naquele momento de esperança, em que todo um povo acreditava na voz de um só homem, Lenine, e que prometia transformar as vidas de muitos, de uma Nação, de um imaginário, que só em sonhos poderiam adivinhar.

Este dia marcará para sempre, o inicio de um regime sanguinário, talvez um dos mais sanguinários da História da Humanidade.

Só durante o período em que Josef Estaline comandou  a URSS, estima-se que mais de 10 Milhões de pessoas tenham perecido às mãos do seu arrepiante regime, desterradas em Gulags ou fuziladas em outros campos de concentração, espalhados pelos quatro cantos desse Império Comunista.

O Comunismo, utopia que seduz aqueles que crêem no igualitarismo, tornou-se ao longo dos tempos, numa arma para ditadores medíocres, normalmente ignorantes que amordaçando aqueles que prometeram libertar, construiram um mundo de opressão e demagogia inerente ao culto de um líder.

Não existe Comunismo sem o culto do líder, sem essa elevação da superioridade de um predestinado.

Não existiu regime Comunista sem repressão, sem polícia política, sem o amordaçar da gente, toldando o pensamento e a perigosa irreverência juvenil...

Nunca existiu Comunismo, sem o sequestrar da liberdade individual.

Hoje no Coliseu dos Recreios, um Partido Português, o PCP, festejou tudo isto, o sonho inicial, mas também  os Milhões de mortos espalhados pelos mais variados regimes Comunistas no mundo inteiro.

Pois estes não podem ser esquecidos!

!00 anos depois...

O sonho prometido, afinal escondia um Pesadelo.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Sírios: Entre Assad E O Daesh!

Filipe Vaz Correia, 02.08.17

 

Os desaparecidos da Síria é mais uma reportagem impressionante da BBC, sobre o conflito naquela região e a forma como a oposição foi esmagada à mercê do regime de Bashar Al-Assad.

Na história ali contada, sobram os relatos de brutalidade, de uma viagem desesperada pelo caminho penumbroso, de morte e assassinatos, de raptos e tortura, de impunidade e sofrimento.

A trágica vida daqueles que um dia se opuseram a um regime de Algozes, corrupto, sanguinário, num dilema absolutamente insolúvel...

A história de homens e mulheres, velhos e crianças que se encontram encurralados entre o poder dos Alaúitas, representado por Assad e os desmandos fanáticos do Daesh.

É aqui que se entende o fim de uma Nação, o labirinto sem escapatória de gente comum, devastada pelo simples facto, de ousar sonhar com esse direito inalienável de ser livre...

Liberto enfim, nesse desejo de escrever sem grilhões, falar sem amarras, pensar sem receios, expressar a sua vontade sem medo de ser cerceado.

Neste horror, espelhado é mais uma fantástica reportagem, fica a sensação que será impossível resolver este conflito, que serão irrecuperáveis as vidas, ali perdidas em vão...

As vidas que se perderam, apenas porque ousaram dizer não.

 

 

Filipe Vaz Correia