Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Negacionistas, Ignorantes ou Simplesmente Uns Verdadeiros Boçais? “Escolham À Vontade”

Filipe Vaz Correia, 15.09.21

 

 

 

O que se passou com Eduardo Ferro Rodrigues e sua Mulher à mercê de um grupo de negacionistas chalupas, perdão pelo pleonasmo, é absolutamente inadmissível.

Digo isto e acreditem que não o faço por ser o Presidente da Assembleia da República, claro que isso ainda torna as coisas mais inacreditáveis, mas sim porque acredito que o que ali se passou deveria ser intolerável para qualquer cidadão naquelas circunstâncias.

O cenário é surreal, os manifestantes absolutamente irracionais, quase insanos enraivecidos necessitando de tratamento psiquiátrico de alto quilate...

Alguns dos manifestantes são os mesmos que insultaram o Vice Almirante que liderou a Vacinação em Portugal e que apesar do excelente trabalho foi vitima das teorias de conspiração destes alucinados.

Não podemos admitir que este tipo de gente possa actuar desta maneira impunemente, instalando um clima onde qualquer dia será possível uma tragédia.

O Juiz negacionista, o Chega e outros actores radicais vão alimentando estes boçais, faz-me lembrar Bruno de Carvalho e os seus maluquinhos de estimação,  criando uma espécie de legitimidade a todo o género de violência.

Esperemos que a justiça actue e comece a punir exemplarmente quem não souber respeitar as regras democráticas ou pelo menos tenha a educação para nos poupar a este género de "Bolsonariçes".

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

 

 

"A Escumalha"

Filipe Vaz Correia, 17.12.19

 

O Sporting venceu, nos Açores, o Santa Clara, o que nos dias que correm é motivo para grande festejo...

4-0 numa exibição de qualidade, com tranquilidade e segurança, fazendo lembrar tempos idos em que o SCP jogava como equipe grande.

No entanto, este não é, infelizmente, o tema principal deste post...

Este pedaço de texto é sobre uma certa escumalha, esse conjunto de gente miserável que durante muitos anos parasitaram à volta do SCP, sob o disfarce de claque.

Os jogadores do Sporting foram recebidos nos Açores com palavras de ordem alusivas à invasão de Alcochete, esse dia infame que denegriu desmedidamente a História Leonina.

Encapuçados ou de cara tapada, um conjunto de energúmenos, ousaram nas “barbas” da policia recordar o ódio, destilar ofensas e celebrar tamanha “estupidez”.

Frederico Varandas numa intervenção brilhante, carregada de desprezo, e muito bem, catalogou esta gentalha de escumalha, nessa feliz precisão que tão bem os caracteriza.

Tenho a maior das diferenças em relação a este Presidente, desde a política desportiva à postura institucional, desde a equipa dirigente até ao desperdício de talentos formados em Alcochete, no entanto, neste quesito...

Nesta específica matéria, das claques, estou totalmente ao seu lado, sem hesitações ou receios, dúvidas ou questões.

Pela primeira vez olhei para Varandas e senti que ali estava representado, como adepto, nesse singelo amor, por este clube, que se amarra à alma.

Muito bem, Presidente!

Quanto à escumalha...

Têm de ser erradicados do clube, expulsos e interditados para sempre do Sporting Clube de Portugal.

Só assim se respeita o legado de tão grande Instituição.

 

Viva o Sporting.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

O Capitão, O Autarca, O Presidente...

Filipe Vaz Correia, 16.11.19

 

Meu Deus!

Parece que a Revista Visão traz uma reportagem sobre o queridíssimo Frederico Varandas e o seu papel Autárquico, na Assembleia de Freguesia de Odivelas...

Muito bem.

No entanto, o Capitão, Autarca e Presidente do Sporting parece ser um homem dos mil ofícios, com a desvantagem de só conseguir, aparentemente, cumprir um deles.

O de Presidente do Sporting?

Alguns dizem que sim...

Ora o que se descobriu agora com esta reportagem, é que o estimado Frederico suspendeu as suas funções de Capitão, não definitivamente, numa estratégica pausa para fazer outras coisas, pois isto da vida militar tem as suas exigências.

Para conseguir essa pausa resolveu candidatar-se nas listas do PSD, a sempre doce e impoluta política, requisitando depois uma licença eleitoral para justificar a sua ausência de funções no Exército...

O melhor está por vir:

Parece que o Frederico raramente esteve presente nas ditas reuniões da Autarquia, para a qual foi eleito, ou seja, negligenciando essa função que lhe serviu de álibi para a tal licença.

“Aldrabice”?

Será?

Se este caso se passasse com um membro de Governo, um Deputado ou um qualquer funcionário de um outro posto político, estaríamos aqui a bradar aos céus e a rasgar as vestes...

Convém não ser hipócritas, coniventes e cúmplices.

No meio disto tudo deixo uma nota...

Rogério Alves disse há dois dias, antes desta polémica, uma frase que agora me parece absolutamente adequada:

”Quem é eleito tem a missão de cumprir o seu mandato!“

Pensei na altura que estávamos diante de mais uma campanha de mobilização do Presidente da Assembleia Geral do Sporting em prol do seu Presidente...

Mas tendo em conta esta reportagem, se calhar não.

Dr. Rogério...

Agora vá explicar isso aos eleitores de Odivelas!

Quanto ao Exército?

Ai, ai...

 

 

Filipe Vaz Correia