Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

11
Fev21

Sporting: A Minha Declaração De Amor!

Filipe Vaz Correia

 

 

 

41C95B2D-0682-48DB-A5C8-2B028159F008.jpeg

 

 

Ai Sporting da minha vida, esse pedaço de mim que se eleva, esse querer que se amarra, esse desejo que se torna em momento.

Sei que te amo, nesse amor que confunde as palavras, esse destino que entrelaça a vida, nesse infinito vivido dia a dia.

No bater da alma, verde e branca, sorrio, gargalho descompassadamente, por entre, saudosas lágrimas de criança.

Sei que este amor resistirá em cada segundo, a cada segundo, num vento profundo por todo o Universo.

Sei que te amo...

Amando desalmadamente, amarrado à esperança de uma eternidade eterna, num grito desmedido, num amor inconfundível.

Viva o Sporting

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

28
Jan21

O Desafio De Adolfo Mesquita Nunes...

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

F31DCD7C-61C2-4A0E-BCE1-FA3220453BBA.jpeg

 

Adolfo Mesquita Nunes, num texto publicado no Observador, ousou colocar o dedo na ferida sobre a realidade do CDS e consequentemente da Direita Portuguesa.

Este desafio lançado à liderança de Francisco Rodrigues dos Santos tem tanto de realista como de corajoso, de esperançoso como de incisivo.

Tenho como certo que para Adolfo Mesquita Nunes seria infindavelmente mais confortável estar como Administrador Executivo da GALP, usufruindo de um bem estar particular, do que sair a terreiro para se envolver na luta partidária com as consequências inerentes a este "mundo" político.

O chafurdar de lama em que está submersa a política Portuguesa, com particular ênfase nesta "nova" Extrema Direita cá do burgo, tão desvalorizada, ou melhor valorizada, por tantos afasta muitas pessoas...

Por essa razão, ainda gostei mais destas palavras, da sua visão sobre esse futuro que desafia e acima de tudo desse vislumbrar de um rumo para recuperar uma espécie de sensatez política.

Tenho por Adolfo Mesquita Nunes a maior das estimas, uma admiração pelo seu papel político e público.

Adolfo Mesquita Nunes é alguém que denota a fundamental educação, aquela que se bebe no berço, a instrução de excelência que se absorve na escola e o raciocino cristalino, tão raro por estes dias, que acompanha as pessoas inteligentes.

Estou esperançoso que o CDS saiba aproveitar esta oportunidade para se reencontrar com os trilhos do seu passado, com esse futuro que a qualidade de alguns dos seus quadros lhe poderá reservar.

Com Adolfo Mesquita Nunes, o CDS poderá recuperar nomes como Cecília Meireles, António  Lobo Xavier, António Pires de Lima ou Francisco Mendes da Silva, pessoas que estão arredadas dos principais palcos do Partido, ausência essa que caracteriza a pobreza de discurso dominante na Democracia Cristã.

Que se cumpra o futuro...

A bem do CDS, da Direita, de Portugal.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

22
Jan21

O Rosto De Uma Tragédia...

Filipe Vaz Correia

 

 

 

DCE39B2C-51B7-4601-BBF5-43459A2BD980.jpeg

 

Portugal está a agonizar, desnudado por entre centenas de mortos, diariamente, que nos ferem a alma.

Durante meses ocupei estas linhas a elogiar este Governo na sua gestão da pandemia, nesse caminho escolhido que inexplicavelmente ousou abandonar...

Infelizmente, neste momento, não o posso fazer.

António Costa e o seu Governo estão tão perdidos como todos nós, com o agravante de serem eles os escolhidos para nos governar.

O Natal...

Esse aperitivo de popularidade que António Costa escolheu para o sorriso temporário do povo, com os custos aterradores que agora saboreamos, aliado à manutenção das fronteiras abertas com o Reino Unido, enquanto outros países as encerravam, sobrando ainda a manutenção das escolas abertas enquanto todos percebíamos que se caminhava para o desastre.

Tantas coisas...

Estamos entregues a uma avalanche de informação, de tragédia e desnorte, sendo que me parece ser evidente o imenso ziguezaguear e desnorte que invade quem nos dirige.

Sobra a todos resistir, ficar em casa, sabendo que só sobreviveremos enquanto Nação se formos absolutamente responsáveis e cumpridores num tempo carregado de surpresas.

Entre a saúde pública e as questões financeiras e económicas seremos confrontados com as ruínas do nosso tempo, aquele que tínhamos como garantido, e será aí que importará recordar as vozes e os responsáveis de tamanhas incompetências.

Os que nos dirigiram, aqueles que continuam a fazer jantares de centenas de pessoas, e os outros que continuam no palco jogando o jogo da hipócrita arte de fazer política.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

08
Jan21

Alerta Ressabiados,,, “A Nova Direita!”

Filipe Vaz Correia

 

 

 

A63789CB-B3E0-484B-9E34-99A157DAA182.png

 

 

Já lá vai o tempo onde o silêncio poderia ser o determinante argumento que calava os que se opunham.

Oiço as vozes daqueles que durante 4 anos ungiram as políticas Trump, aqueles que diziam...

"O Homem é um pedaço Boçal mas a economia..."

Esses que hoje se opõem à comparação, que se indignam nessa mescla de estupefacção Americana.

Nada é mais apropriado do que olhar para Trump e identificar os "Trumpinhos" em potência, aqueles que olhando para os momentos tentaram replicar, em cada sítio, a estratégia do "aprendiz".

A lição é simples:

Não ceder a demagogos, não compactuar com populismos, de Direita, de Esquerda, venham eles de onde vierem.

Ventura, Trump, Bolsonaro descendem da mesma pocilga, são fruto do mesmo ressabianço.

Convém não condescender.

Só uma nota:

Pinto Coelho, líder do PNR, insurgiu-se com o facto de chamarem fascista a André Ventura, por segundo ele, os fascistas terem uma forte convicção nos seus valores.

Por uma vez...

Estou de acordo com o líder do PNR, neste caso, nem princípios, nem valores, nem convicções.

Enfim...

 Só Ressabianço.

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

23
Dez20

Torre Bela: A Casa Dos Horrores...

Filipe Vaz Correia

 

 

 

59F87558-0AE9-4364-98F0-AB92243A7776.jpeg

 

A crueldade estupidifante ultrapassa a dimensão Humana, por vezes, se traduzindo na mais imbecil incapacidade de sentir.

As imagens da Herdade de Torre Bela, na Azambuja, revelam um massacre indescritível levado a cabo por 16 psicopatas, matando 540 Animais pelo singelo e arrepiante prazer de matar.

Só uma curiosa questão...

Sabem que parece ser o Dono da Herdade Torre Bela?

José Eduardo Dos Santos.

Essas imagens que brutalizam, ou deveriam brutalizar, o cidadão comum deixam a nu que por entre nós caminham "Seres Humanos" indignos desse nome.

Na minha família e amigos, conheço pessoas que toda a vida foram caçadores, aliás sendo eu Alentejano é fácil  perceber que desde cedo me vi rodeado dessa realidade...

Nunca me apaixonei por ela, a caça, nunca fez parte de mim esse gosto pela caçada, pela perseguição de um animal, no entanto, respeito e vejo essa parte da nossa tradição como um bailado intemporal entre o Homem e a sua presa.

Existe nessa dança uma beleza pura que inspirou Poetas, Pintores, Compositores ou antigos trovadores em tempos que não regressam...

O que importa, neste caso, é punir aqueles que participaram, organizaram ou foram coniventes com este massacre, matança, de uma forma irrepreensível, deixando claro para todos que este tipo de crime será moral e judicialmente recriminado.

Depois importa reforçar que este caso não define a caça, nem os caçadores, na sua generalidade pessoas que sendo apaixonadas por este tipo de tradição, são em muitos casos verdadeiros apaixonados por animais e pela natureza.

Tenho a certeza de que a maioria dos caçadores, pelo menos aqueles que conheço, se por alguma razão ali estivessem, encarando aquela espécie de matança, seriam os primeiros a disparar...

Contra os "animais" que de arma na mão, cobardemente satisfaziam a sua sede de sangue diante daquelas presas encurraladas numa herdade murada, sem qualquer espécie de fuga possível.

Para os criminosos, cobardes, que perpetraram este crime...

Apenas me sobra desprezo e revolta.

De uma coisa estou certo, este tipo de "psicopatas" são capazes de qualquer coisa, naquele lugar foram Veados, Javalis, noutro lugar, num outro momento, sabe Deus...

Estas pessoas não são caçadores, são matadores.

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

09
Dez20

CMTV: Quanto Vale Uma Morte?

Filipe Vaz Correia

 

 

52926F6B-DBB3-483C-9703-1079FE318FA4.jpeg

 

 

Sinceramente tenho nojo, asco, repulsa por tamanha indignidade, um patamar de indigência que trespassa a dimensão Humana.

A cobertura da CMTV à morte de Sara Carreira é ultrajante, suportada por uma parte da população Portuguesa que se tornou ignorante ao longo dos anos, despida de critério, de decência, de Humanidade.

A festa feita por esse pasquim jornaleiro, essa sarjeta televisiva, para celebrar um dia de liderança nas audiências, feita às custas da cobertura da morte de uma menina que, "por acaso", é filha de uma estrela, demonstra o nível mais baixo da excrescência Humana.

Não me sobram mais palavras, mais indignação do que a que sinto, mais horror do que se apresenta em cada parangona sofrível, em cada CM indigno.

Uma família em sofrimento, obrigada a entrar na Basílica da Estrela, coberta por chapéus de chuva para se proteger de um pasquim que por ali circula, como abutres, para se poder registar um rosto, uma lágrima, uma dor estampada.

Que horror...

Terá esta gente amigos, família?

Parabéns às restantes televisões pela discrição, classe, respeito...

Respeito, esse pedaço de amor que se mescla com berço, educação, saber estar.

Pelas últimas sondagens, com um político mande in CMTV em crescimento, parece  estar em desuso esse critério de Humanidade, de decência, enquanto caminhamos rumo a um mundo carregado de ressabiados, ignorantes e gente mesquinhamente maldosa.

Enquanto me restar voz e letras aqui estarei, nesta Caneca, na primeira fronteira contra este tipo de mediocridade.

 

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

07
Out20

Tribunal De Contas, Costa e Marcelo... Os Cargos E A Sua Contradição!

Filipe Vaz Correia

 

 

 

41B77FF9-6D22-4211-8712-AA2D60949E47.jpeg

 

 

O Governo exonerou o Presidente do Tribunal de Contas, num caso ruidoso, barulhento, que cheira a bafientos tempos.

A exoneração de Victor Caldeira deixa um cenário de desconfiança num tempo onde se afigura a chegada de muitos Milhões de Milhões de Euros da União Europeia.

António Costa defende a actuação governativa clamando esse "novo" dogma da não recondução de cargos sujeitos a nomeação, trazendo à colação um suposto acordo entre Órgãos de Soberania...

Governo e Presidência da República.

Já aquando da substituição de Joana Marques Vidal havíamos assistido a este argumento, sendo que este pode ser tão defensável como qualquer outro...

Uma questão se impõe:

Aquando da renovação de mandato de Mário  Centeno, como Governador do Banco de Portugal, será este o critério?

Porque pelo que compreendo neste tipo de critério não se enquadra a competência, apenas a singularidade da imposição "Socialista" do espaço temporal.

Estranho, complexo e suspeito num tempo onde tudo necessitávamos menos esse entrelaçado de desconfiança que acresce a estas decisões.

Mas o que se pode acrescentar?

Quem poderá escrevinhar um guião superlativo neste quadro de impunidade?

Por melhor que seja o futuro Presidente do Tribunal de Contas, mais isento ou impoluto, sobreviverá neste tempo, repleto de subvenções Europeias, esse quadro corrupto que há muito sobrevoa a Democracia Portuguesa...

Essa é a questão...

O resto é conversa.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

22
Set20

Já “CHEGÁmos” aos Ovários?

Filipe Vaz Correia

 

 

 

338BFEE2-855B-4C8D-8123-9BA73543D95F.jpeg

 

 

 

Os Ovários das mulheres devassas e pecadoras estão por agora a salvo das intenções benfeitoras do Partido Chega, ou pelo menos, de parte dele...

Uma proposta na convenção do Chega apontava para que às mulheres que fizessem aborto no SNS, não sendo caso de malformações ou violação, lhes fosse retirado os Ovários para que não pudessem voltar a onerar o Estado com os seus pecadores impulsos.

"Os seus pecadores impulsos" são palavras minhas, se calhar abusivas, neste cenário tão inquietantemente acolhedor.

Ao ler esta notícia, pensei que seria impossível, podemos compreender melhor o que por trás deste "partido" se encontra, parte destas mentes e espíritos que o compõem...

O proponente desta barbaridade foi militante do PNR, estando agora no novo Partido De Extrema-Direita Português, o Chega.

Muito bem!

Para Neo Nazis ou Ultra Radicais este tipo de moralismo trauliteiro representa sempre uma forma punitiva de corrigir aqueles que eles julgam não ser adequados à sua Sociedade...

Uma assustadora sociedade.

Vá lá que apesar de proporem retirar os Ovários, estes ideólogos dos Costumes, não propuseram retirar o útero das mulheres, essas que se deleitavam entre abortos, fazendo assim uma limpeza geral.

Minhas Senhoras, olhem que podia ser pior, afinal ainda lhes deixam o Útero.

Claro que sei, antes que apareçam por aí os indignados radicais, que esta proposta foi rejeitada por 85% dos presentes...

O que deixa ali uma margem de 15% de pessoas que olharam para isto e pensaram:

"Olha que isto é capaz de ser uma boa ideia!"

Assustador!

Mas o que esperar de um ambiente onde se vive a pujante expressão de ideias absolutamente abjectas, onde tudo parece ser possível nesse cardápio que poderia fazer salivar o Drº Mengele...

Claro que se torna apetecível um ou outro brilhante projecto.

Excelentes ideias, por entre, confinamentos étnicos, castrações químicas, prisões perpétuas e até penas de morte...

Que belo cardápio nos oferece este pedaço de extremismo travestido de um partido popular de direita.

Na (Alemanha) República de Weimar começou por menos...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Fevereiro 2021

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub