Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Boris Johnson: O Trump Britânico?

Filipe Vaz Correia, 23.07.19

 

Boris Johnson é o novo líder do Partido Conservador, assumindo amanhã a liderança do Governo Britânico.

Ora aqui está uma notícia desanimadora para aqueles que acreditam em política, ou melhor, numa forma de fazer política diferente, com substância e valores, com princípios e carácter.

Boris é um populista, um homem que já foi o mesmo e o seu contrário, várias vezes, em vários momentos, desmedidamente ao sabor do vento.

Boris é um fanfarrão trauliteiro, muito em voga nos dias que correm, mais amarrado aos gestos mediáticos do que às ideias, mais preso à luz das câmaras do que ao valor do pensamento.

Mas não será, hoje em dia, a política isto?

Talvez seja...

Para todos os que expressaram o seu desagrado para com Theresa May, nos quais me incluo, esperem pelo que aí vem.

Será, certamente, um tempo nublado por terras de Sua Majestade.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Frederico Varandas: O Sabichão...

Filipe Vaz Correia, 21.08.18

 

Não deixarei de aqui referir o que me dita a alma sobre o "Caríssimo" Frederico Varandas...

Um Sabichão.

É esta a primeira e recorrente impressão que deixa, debate após debate, palavra após palavra...

Ele sabe tudo desde o futebol até ao scouting, do equipamento até ao marketing, da comunicação até à gestão empresarial, da liderança até ao mais profundo segredo da Alma Leonina.

Sabe tudo e tudo sabe.

Frederico tem um curso de treinador o que lhe permitirá entender de tudo aquilo que envolve o métier futebolístico, tem experiência na "tropa" que lhe permitirá abraçar este projecto como se estivesse no "Afeganistão"...

O que não tem Frederico Varandas, essa partícula de perfeição através do olhar do próprio "Frederico Varandas"?

Não consigo ouvir mais o auto-elogio, a egocêntrica expressão misturada com uma pequena petulância que de certa medida recorda o jovem Bruno de Carvalho...

E isso é deveras assustador.

Frederico é um Bruno só que mais polido, mais sonso, capaz de dissimular um pouco a sua egocêntrica relação com a forma como se vê a ele próprio...

É apenas essa a diferença.

Debate após debate, de momento em momento, mais cresce a minha convicção de que esta solução, Varandas, é mesmo aquela que tem de a todo o custo ser evitada...

Pois desconfio sempre daqueles que sabendo tudo se apressam a recordar-nos esse facto a todo o instante.

E para Sabichão já nos bastou o Bruno.

Viva o Sporting.

 

 

Filipe Vaz Correia