Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

09
Jun20

A “Seara” De Arroios...

Filipe Vaz Correia

 

 

 

EBBD7BDD-23CB-4BCC-8D6E-8C13FAF15D6B.jpeg

 

 

A Seara de Arroios deve ser vista como um acto de solidariedade, sem dúvida, uma solução encontrada por alguns activistas para responder ao desespero de pessoas que durante a Pandemia perderam o seu tecto.

Percebo o lado Humano do acto, deste gesto que toca e se traduz no olhar das pessoas...

Durante a tarde a PSP teve de ser chamada a intervir para retirar dali aquelas pessoas, situação que criou revolta, contestação, desagrado.

Independentemente da angústia daqueles que viam naquele local o seu mais certo aconchego, não restou outra hipótese à Polícia nem aos proprietários do Prédio ocupado.

Este pormenor não pode ser visto como algo de somenos, este espaço é privado, com proprietários que sem aviso viram a sua propriedade ocupada indevidamente...

Mas o prédio estava devoluto?

E então...

É uma propriedade privada!

Para além deste pormenor, que não pode ser ignorado, ainda sobressai o facto do dito prédio estar em clara degradação, com problemas estruturais, existindo risco para a integridade de todos aqueles que, indevidamente, o ocupavam.

Por muito que custe condenar um gesto de solidariedade, não podemos compactuar com actos ilegais, atitudes à margem da lei que em nome do bem comum atropelam os direitos fundamentais da nossa Sociedade.

O fim não justifica os meios!

A intervenção realizada por uma empresa de segurança privada, durante a madrugada, é o único ponto onde divirjo dos proprietários...  

Esse acto poderia ter provocado confrontos e problemas acrescidos a uma situação já de si complicada, por entre, o desespero e revolta daquelas pessoas que ali se encontravam.

Recorrer à Policia, mesmo que tardiamente, foi a melhor opção.

Quanto ao projecto Seara e o seu trajecto neste apoio aos mais necessitados, aconselho a que busquem soluções junto da Câmara Municipal de Lisboa, do Governo, da Santa Casa da Misericórdia  ou de alguns Mecenas que os possam ajudar a encontrar um local onde possam construir esse sonho solidário que tanto ambicionam.

Um desejo sincero de boa sorte para a Seara de Arroios...

Sem ocupações e dentro da legalidade.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

17
Mar19

Coletes Amarelos: Manifestantes Ou Criminosos?

Filipe Vaz Correia

 

O Fenómeno dos Coletes Amarelos, há muito, invadiu as ruas de França, até de outras partes do mundo...

No entanto, em nenhum outro local com esta dimensão que se regista por terras Gaulesas.

As "manifestações" deste fim de semana em Paris, trazem uma vez mais ao de cima, uma questão inquietante...

Manifestantes ou Criminosos?

Mais de 10 mil pessoas saíram de suas casas inundando as ruas de Paris, sendo estimado que cerca de 1500 radicais possam ter conseguido se infiltrar, agitando e incitando os actos de vandalismo, retratados nas várias reportagens espalhadas pelo mundo.

Palavras de ordem como Morte aos Ricos, assim como, a devastação de vários locais conotados com as classes mais abastadas, revelam a intenção de generalizar o Caos, apontando alvos e buscando cisões "antigas".

Não é cenário virgem, esta espécie de anarquia revolucionária, junto de movimentos descontrolados, muitas vezes buscando o confronto como meio de gerar novas formas de organização de uma Sociedade.

Nessa demagogia encapotada, se escondem traumas e revoltas, labirintos pincelados em Sociedades cansadas e esgotadas, incapazes de responder aos anseios dos seus cidadãos.

O que os Governantes devem compreender, ao se deparar com cenários destes, é a fragilidade da sua actuação, sendo imperioso uma absoluta firmeza e astúcia,  para não se perder o poder democrático, às mãos de um caldeirão violento e repleto de raiva.

Macron, neste caso, deve compreender o que move, parte destes manifestantes...

Por um lado, compreender e responder às pessoas que genuinamente quiseram gritar a sua condição menor, por outro lado, deve punir firmemente os que se aproveitam deste tipo de manifestações, para promover a desordem e a violência.

As duas medidas são inseparáveis para a construção de uma sólida manutenção de um regime democrático.

Respeitando quem se manifesta, Castigando quem comete estes crimes.

Convém não esquecer que esta ideia ancestral de uma exterminação dos Ricos, nunca levou a um enriquecimento dos Pobres.

Antes pelo contrário, vários são os exemplos ao longo da História, onde este tipo de ideal, surtiu um efeito devastador para as Sociedades que o testaram, como referência...

A China, a URSS, Cuba ou até a Venezuela, em diferentes momentos da sua existência, buscaram nos Ricos e na divisão de suas Sociedades, a razão para criar e sustentar as clivagens que justificariam as suas revoluções.

Nunca resultou.

Tentemos aprender com o "nosso" passado, para descodificar os perigos do presente.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

05
Fev19

A Violência Doméstica E Os Seus Monstros... Até Quando?

Filipe Vaz Correia

 

Por vezes, principalmente neste mundo actual, parece que tudo foi visto e ouvido, que os terrores já foram todos contados na antena da CMTV ou denunciados na, alucinante, Internet.

Histórias escabrosas, causadoras de espanto e medo, num vendaval de pesadelos transformados em realidade.

Quantas e quantas vezes pensamos...

Já nada me espanta?

Mais um tiroteio nos Estados Unidos, um atentado em Cabul, um massacre na Síria ou uma violação em Bombaim.

Calma...

Eu sei que, actualmente, se chama Mumbai.

No entanto, nada nos prepara para este tipo de notícias que marcam os "directos" em Portugal...

Este duplo homicídio, seguido de suicídio.

Devo dizer que sempre que oiço falar de suicídio, algo me faz sofrer por aquelas pessoas, sentir esse respeito por alguém que, numa qualquer circunstância da vida, optou por partir.

Mas aqui, não quero...

Não consigo.

Questiono até por que razão, este Monstro, não optou por fazer tudo ao contrário...

Primeiro o suicídio, depois a vida tranquila daqueles que resolveu assassinar.

E esta filha que também foi Mãe, é Mãe...

Como sobreviver diante da tamanha crueldade do destino, entregue à incompetência daqueles que, ao longo do tempo, não atenderam às suas queixas e permitiram que um homem violento, tivesse tempo, espaço e vontade para perpetrar o seu hediondo crime.

Não tenho palavras...

No primeiro mês de 2019, quase Dez Mulheres foram assassinadas por violência doméstica.

E continua a vida a girar e nada a ser feito ou alterado.

Não tenho palavras, ou melhor, as que tenho não querem mais aqui voar.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

22
Jan19

Jamaica: Onde Estão Os Racistas?

Filipe Vaz Correia

 

Eu nem sabia que existia uma "Jamaica" em Portugal, a não ser o Jamaica no Cais de Sodré...

No entanto, não pude deixar de reparar nesta polémica envolvendo a PSP nesse Bairro da Jamaica, no Seixal.

O histerismo estava assim montado, a tamanha gritaria, obrigando-me a ver as ditas imagens.

Duras, violentas, sem dúvida...

Mas o que mais me irritou nestas imagens, foi o tratamento que estas mereceram por parte de alguma Comunicação Social, esse julgamento pré-definido, como um qualquer complexo colonial, que nos reporta ao "racismo".

Digo mesmo que olhando para aquelas imagens, várias ideias me assolaram o pensamento e nenhuma delas se chamava "racismo".

Alguém acredita que aqueles policiais, ali destacados, estavam todos a executar um plano racista, para agredir aquelas pessoas, por causa da cor da sua pele?

Uma dezena de policias racistas, atacando "anjinhos" indefesos?

Não me parece.

Por mais que queiram pintar esse quadro, nós não somos esse povo, nem temos essa clivagem civilizacional, neste momento.

Claro que existem racistas em Portugal, na polícia, como em vários quadrantes da nossa Sociedade...

Racistas brancos, racistas pretos, racistas amarelos, racistas de todas as cores.

A Polícia chegou ao Bairro da Jamaica e das duas uma:

Ou os policiais foram apedrejados, como aliás testemunhas relataram, e reagiram ou então  estes polícias não são racistas...

São completamente loucos.

Quanto aos meninos que foram manifestar-se para o Terreiro do Paço e resolveram subir a Av. da Liberdade à pedrada, dizer que acabaram dando um claro "exemplo" de respeito e civilidade.

A polícia respondeu e deteve alguns...

Por racismo?

Não!

Pela segurança de todos nós...

De "Pretos" e de "Brancos", sem esquecer dos amarelos e todas as outras cores.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

02
Out17

Més Que Un Jogador!

Filipe Vaz Correia

 

Gerard Piqué assumiu ontem, mais uma vez, a sua face Catalã, a alma que o preenche, numa declaração emocionante, carregada de nobreza e dignidade...

Podia facilmente optar por um discurso de ódio, composto de revolta e amargura, no entanto, Piqué optou por falar pausadamente, por entre as lágrimas que não conseguia conter, descrevendo a dor que invadia o Povo Catalão, na simples vontade de serem livres.

Naquelas palavras, mais do que a legalidade ou ilegalidade de um Referendo, soltaram-se nos olhos do jogador Catalão, a tristeza inerente a uma violência estupidificante e que apenas diminui a grandeza do Estado Espanhol...

É aqui que Mariano Rajoy se equivocou, perdeu a noção do poder da imagem no mediático mundo em que vivemos.

Piqué representou naquele momento o grito libertador de Milhões de Catalães que nas ruas esperavam para poder votar, dando força à voz daqueles que insistem na Independência...

Admiro a atitude de Piqué, a dimensão Humana com que abordou a questão e a coragem explanada nas suas palavras, aprisionando ao seu olhar a vontade de todo um Povo.

Provavelmente pagará esta ousadia na Selecção Espanhola, nas retaliações que sofrerá nos mais variados campos de futebol Espanhóis, mas certamente isso será um preço menor, para tão imensa atitude.

Assim, num dia violento e histórico, pelo menos no coração dos Catalães, uma verdade, será para sempre eternizada:

Piqué, será Més Que Un Jogador!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Novembro 2020

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D