Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

07
Nov19

“Mães” Que Nunca O Deveriam Ser...

Filipe Vaz Correia

 

Estava agora a ver as noticias e não pude deixar de agarrar no teclado e escrever, escrevendo compulsivamente a raiva que em mim habita, nesse grito a gritar a tristeza que me invade.

Como é possível?

Mãe?

Não ofendam todas as Mães deste mundo, aquelas que abraçam todos os dias os seus filhos e aquelas que já não abraçando, vivem na memória destes eternamente.

Existem mães que nunca deveriam ter sido Mães.

Esta é a frase que me ocorreu, a primeira ideia que se acendeu ao ouvir as palavras, ao ver as imagens, ao me aperceber de quão baixo pode descer o Ser Humano.

Uma “mãe” que abandonou um recém-nascido num caixote do lixo, sem qualquer agasalho, numa zona escondida, abandonando aquele pequeno Ser a um destinado fim...

À morte.

Felizmente, este menino, foi salvo por um Sem-Abrigo...

Mãe?

Poderão dizer que ninguém sabe a vida daquela pessoa, que desconhecemos as motivações e o desespero, que existirão mil e uma razões para tamanha barbaridade...

Não aceito!

Aqui nem contesto o abandono, pois se quer abandonar que o faça, dependendo dos casos, até posso aceitar ser um acto de amor, desesperadamente por amor.

No entanto, se quer largar o bebé, então que o deixe à porta de uma casa, toque e fuja, que deixe dentro de um autocarro, que deixe num hospital, perto de uma esquadra...

Num caixote do lixo, afastado de tudo, sem qualquer tipo de agasalho?

Isto não é abandono...

É Infanticídio!

Existem “mães” que nunca o deveriam ser.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

04
Nov19

McDonald’s: Amadorismo Ou Estupidez?

Filipe Vaz Correia

 

Por vezes é, somente, falta de bom-senso...

A McDonald’s Portugal resolveu fazer uma campanha para o Halloween que por ignorância, estupidez ou singela falta de bom senso, acabou por tocar numa das feridas mais sensíveis em território Europeu.

The Bloody Sunday.

Numa alusão ao famoso gelado Sundae, aproveitando este, agora na moda, Dia das bruxas, a McDonald’s Portugal numa referência à musica dos U2 resolveu anunciar uma invasão deste gelado em todas as lojas do País.

Numa imagem de um Sundae de framboesa, gritavam aos quatro ventos que na compra de um gelado, o segundo seria gratuito.

Que bela ideia!

Sundae Bloody Sundae...

Esperem lá, esta música dos U2, implicitamente referida na publicidade, não alude ao maior massacre de sempre naquela região, ou seja, o massacre na Irlanda em 1972?

Claro que alude.

De facto, imaginar que esta campanha publicitária passou por direcções de Marketing, Administrações ou CEO e ninguém se tenha apercebido de tamanha tonteira, é no mínimo aberrante, no entanto, assim aconteceu.

Claro que esta estupidez chegou ao Reino Unido, pelas páginas do The Guardian, referindo uma publicação no Twitter que denunciava esta aberração publicitária.

A McDonald’s Portugal retirou a campanha e desculpou-se da mesma...

O que sobra é a estupefacção perante a gritante falta de bom senso, amadorismo se quiserem, plasmada neste folhetim.

Enfim...

Alguém quer um hambúrguer?

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

30
Out19

Os “Cocaínados” Da Joana

Filipe Vaz Correia

 

A “nossa” queridíssima Joana Latino afirmou, num qualquer programa de televisão, que não faltam “Cocaínados” nos corredores da SIC.

Uma afirmação, certamente, carregada de sabedoria por parte da estimadíssima Joana, visto que muitas das suas reportagens ou opiniões parecem bastante “particulares”.

Estranho, sinceramente, um silêncio por parte da Brigada Anti-Drogas da Policia Judiciária que, após a confissão da repórter Latino, poderia preparar uma intervenção lá para os lados de Paço de Arcos.

Claro que ficam perguntas:

Aqueles gritos da mediática Cristina, logo pela manhã, serão normais?

E a agitação daqueles painéis dos programas desportivos, onde frequentemente se ofendem enquanto espumam da boca, estará ligado a este tipo de afirmação?

Estes casados de fresco ou à primeira vista...

Estarão estas pessoas no seu estado normal?

Mais factos que podem ajudar a corroborar a afirmação da querida Joana Latino...

A contratação de Manuela Moura Guedes terá sido um acto de gestão ou uma alucinação momentânea proveniente deste tipo de produto?

E aqueles programas, pela noite dentro, onde oferecem dinheiro em troca da resolução de enigmas, atraindo assim noctívagos solitários a gastarem os seus parcos tostões?

Esperem lá...

Acho que isso é na TVI.

Será?

Alguém deve perguntar à repórter Latino, quais são os seus conhecimentos sobre os corredores da TVI...

Se bem que dizem que a Média Capital vai vender a TVI ao grupo Cofina, da CMTV.

Se calhar...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

17
Out19

Caro Frederico Varandas: Por favor, DEMITA-SE!

Filipe Vaz Correia

 

Meu caro Frederico Varandas, Presidente do Sporting Clube de Portugal, por favor...

Demita-se!

As eleições de há um ano, infelizmente, ditaram a sua vitória trazendo o clube até este momento, desesperante e titubeante destino de uma equipa em desnorte.

O meu caro Frederico, venceu as eleições garantindo tudo perceber, sendo, entre outras coisas, especialista em futebol.

Futebol esse que catalogou, imagine-se, de fácil...

Um projecto assente no seu conhecimento e nessa magnifica estrutura que iria construir, com gabinetes de performance, scouting de excelência, conhecimento e experiência entrelaçado no seu sapiente percurso.

Nada disso.

Contratações falhadas, Milhões deitados à rua...

Borja, Bolasie, Jesé, Illory, Neto, Vietto, Doumbia, Fernando, Rosier, Eduardo, nomes de “reforços” e dos quais não se aproveita um.

Daniel Bragança, Francisco Geraldes, Matheus Pereira, Bas Dost, Raphinha, Domingos Duarte, Mama Baldé, Nani, entre emprestados e vendidos que nos deixam a interrogar a inteligência de quem estruturou o plantel.

Cinco treinadores num ano, reflexo de uma gestão caótica e impreparada.

Comunicação deficiente, ou melhor dizendo desastrosa, própria de um grupo de “meninos” deslumbrados com o seu “novo” papel, incapazes de sustentar a dimensão de um Clube como este.

Tanta e tanta coisa para escrever, tanto e tanto por dizer, no entanto, esta tristeza que me amarra quase que silencia a pena, me seca a tinta neste ardor que me esmaga.

Estou tristíssimo.

Meu caro Frederico, você é absolutamente incompetente para Presidente do SCP, um erro absoluto que será eternamente recordado na História deste grande Clube.

Por favor, demita-se!

Desde o primeiro momento, desconfiei desse “seu” projecto, dessa ausente liderança que tanto insistia em se gabar, dessa teia de incompetência que o envolve e assim envolveu todo o Sporting.

Não existe mais espaço para si, para o seu projecto, para aqueles que o acompanham ou preconizaram esta “solução”...

Disse solução?

Não existe mais espaço...

A não ser para novas eleições, com novas ideias, em busca de uma verdadeira solução para o futuro do Sporting.

Meu caro Frederico, se de facto ama este Clube e de alguma maneira o quer unir, só existe uma solução para conseguir essa união...

Vá-se embora!

Demita-se!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

09
Out19

Donald Trump Ou Um Elefante Numa Loja De Porcelanas?

Filipe Vaz Correia

 

Obrigado Mr.Trump...

Esta deve ser a expressão, por estes dias, dos Curdos e de todos aqueles que foram aliados Americanos na luta contra o Daesh.

De facto, esta posição de retirar as tropas Americanas que serviam de obstáculo no norte da Síria a uma invasão Turca, não passa de mais um erro primário do actual Presidente Americano.

Do ponto de vista estratégico, político e de reputação.

Do ponto de vista estratégico porque esta atitude enfraquece a posição daqueles que disputaram terreno ao antigo proclamado Estado Islâmico.

Do ponto de vista político, porque deixa a nu uma fragilidade posicional da política Americana, enquanto, pilar militar no quadro geo-político Mundial.

Do ponto de vista reputacional, pois jamais os aliados Americanos, com esta administração, voltarão a confiar nas palavras ou nas garantias destes que os abandonam, assim que deixaram de servir os “supostos” interesses dos Estados Unidos.

Uma vergonha...

Deve ser o que sentirá a cúpula militar Americana, aqueles que sendo Republicanos ou Democratas, sempre consideraram que uma medida como esta enfraqueceria o xadrez e a estabilidade naquela região.

Donald Trump, num momento em que se sentirá cercado, devido a todo o escândalo envolvendo as pressões ao Presidente Ucraniano, comete mais um erro de avaliação, mais uma tremenda trapalhada na política externa Norte Americana.

Erdogan, o Presidente Turco, aproveitou esta retirada para dar luz verde a uma ofensiva militar, no Norte da Síria, com o intuito de limpar um terreno controlado pelo exército Curdo, históricos rivais da Turquia.

E Trump...

Donald Trump continuará amarrado ao Twitter, vociferando ideias vazias, palavras avulsas, pensamentos erráticos, enquanto, o mundo assistirá incrédulo aos desmandos desse “ignorante” que mais parece um elefante numa loja de porcelanas.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

09
Out19

O Apelo Do Professor Cavaco!

Filipe Vaz Correia

 

O Prof. Cavaco Silva reapareceu para apelar a um novo tempo no PSD.

Que saudades!

Cavaco, conhecido por nos seus tempos de liderança ser capaz de “unir” dissidentes, tolerar críticos...

Peço desculpa, mas por vezes é difícil manter a ironia.

Cavaco Silva regressou assim, neste dia, à esfera da politiquice politiqueira, afinal onde parece gostar de estar, longe vão os tempos em que fazia questão de se mostrar distante desse papel, no entanto, o estado actual do PSD, segundo o senhor Prof., motiva este seu apelo.

Cavaco constrói uma narrativa, carregada de vingança, na tentativa de virar o PSD para um reencontro com o “Passismo”, esses tempos da Troika que pelos vistos trazem saudades ao anterior Presidente da República.

Cavaco vai mais longe, apela até a Maria Luís Albuquerque, essa figura tão consensual na sociedade Portuguesa, para ilustrar essa forma de união que considera essencial.

Rui Rio vê assim um “Senador” do partido pedir a sua cabeça e ditar um caminho que se aponta, para Rio, muito complicado.

Cavaco junta-se a nomes como Miguel Morgado, Luís Montenegro, Carlos Carreiras, Miguel Relvas...

Repito, Miguel Relvas!

Tão bem acompanhado por estes nomes se encontra o Professor e certamente por mais alguns que por uma questão de decoro me escusarei de referir.

Como cora aquele jovem, por acaso eu próprio, que tinha em Cavaco uma referência, no auge da adolescência, no pico da juventude.

Que tristeza!

E assim de apelo em apelo, lá vão saído da toca os ultra-liberais, estilo Tea Party, que por um momento invadiram o Partido Social Democrata.

Alguém poderá explicar ao Senhor Professor que parte do eleitorado que hoje não vota PSD, como reformados, funcionários públicos ou pequenos empresários, principalmente da restauração, se afastaram do partido muito antes da chegada de Rui Rio e do seu errático mandato.

Foi no seu tempo, como Presidente da República, Prof. Cavaco e daqueles que agora insiste em apoiar.

Enfim...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

03
Out19

Bernardo Silva: Não Seremos Todos Racistas?

Filipe Vaz Correia

 

A estupidez Humana, de facto, não tem limites.

Bernardo Silva tem estado à mercê de um sem número de criticas, em consequência de uma ridícula polémica sobre um “suposto” acto racista.

Chegámos até aqui?

Parece que sim!

Um mundo onde dois amigos, que o são, não podem trocar uma ou outra picardia, um ou outro “carinhoso” apelido, sem que se levantem os fiscais dos costumes “correctos”, acenando com os fantasmas dos seus próprios complexos.

Neste tempo, onde parece impossível vivermos sem ser espartilhados por uma “gestapo” do politicamente correcto, assistimos ao linchamento na praça pública de Bernardo Silva, mesmo que em sua defesa tenha incorrido o dito “ofendido”.

Bernard Mendy, um dos melhores amigos de Bernardo, veio a publico explicar que em nenhum momento viu naquela imagem ou naquelas palavras qualquer tipo de racismo ou qualquer tipo de preconceito.

Mesmo assim a Federação Inglesa não vacilou e permanece irredutível, nessa busca pela justiça popular, em nome de imaculados algozes.

Depois do "Aladino" Trudeau, temos agora o jovem jogador do City, preparado para arder nesse expiatório de tiranetes puritanos.

Do que discordo em ambos os casos, foi do pedido de desculpas feito por Trudeau e Bernardo, numa inaceitável humilhação a que foram sujeitos pela vociferia histérica destes captores da Sociedade.

A comparação de Bernardo, ou seja, comparando Mendy aos famosos bombons "Conguitos", nada tem de racista, antes deveria ser encarada como um acto de “amor”, pois é disso que se trata a amizade, carregado com uma boa medida de bom humor.

Imaginem o que deveríamos fazer àqueles “racistas” que apelidaram de "Conguito", o jovem apresentador de televisão e rádio, que agora é famoso entre os adolescentes Portugueses.

Se calhar deveríamos prender essas pessoas.

Esperem lá...

Se calhar foram os seus Pais ou seus amigos.

E esta coisa de Racismo só funciona se vier do lado "branco" da sociedade, de preferência nos holofotes da opinião pública.

Disse branco...

Fui racista?

Afinal para estes “censores”...

Não seremos todos racistas?

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

05
Set19

A Entrevista De Frederico Varandas...

Filipe Vaz Correia

 

Mas que grande entrevista...

Frederico Varandas concedeu uma entrevista à Sporting TV, uma generosa tentativa para explicar os actos de gestão da sua direcção, tendo em conta aqueles Sportinguistas que fruto da sua ignorância não conseguiram acompanhar o “magnífico” plano de quem os lidera.

Um entrevista aguardada, esperada, carregada de momentos marcantes e inesquecíveis.

Para começar, deixar aqui o meu “mea culpa” por não conseguir acompanhar as intervenções do Presidente sem que a sonolência me envolva, o tédio me acometa, o desassombrado aborrecimento me persiga.

Mas isso é, certamente, culpa minha...

Não terá, com certeza, nada a ver com a falta de empatia ou carisma do estimado Frederico, ou seja, a ausente capacidade de comunicação que perturba o raciocínio daqueles que se esforçam por compreender a lenta dicção Presidencial.

Nesta entrevista ficamos a saber que existem esqueletos a sair do armário Sportinguista, que grassam ignorantes e desonestos intelectuais no mundo verde e branco, sempre que estes, os desonestos ou ignorantes, ousam discordar do rumo escolhido pelos líderes “iluminados”.

Passámos de Sportinguados, a ignorantes e desonestos...

 Que falta de originalidade.

Depois não posso deixar de expressar uma palavra sobre Jesé Rodriguez, essa pérola por quem Varandas jura se ter atravessado, no entanto, repleto de motivos para tamanho gesto visto ter garantido saber tudo sobre a vida do jogador Espanhol...

Dentro e fora do campo.

Uma mistura de “Scout” de Futebol e Tertuliano cor de rosa, sempre em cima do acontecimento.

Temo é que ao informado Presidente do Sporting lhe tenha escapado a profissão em que Jesé Rodriguez tem conseguido maior sucesso nos últimos anos...

Cantor!

Jesé ou Jay M é, paralelamente ao futebol, um cantor “renomado” no YouTube, com vídeos que atingem mais de 31 Milhões de visualizações, garantindo à partida a animação dos intervalos em Alvalade.

Agora digam lá que o Presidente não pensa em tudo.

Varandas garantiu ainda que não é estúpido, quem sou eu para o contradizer, aproveitando a entrevista para nos esclarecer que Jesé Rodriguez, Jay para os amigos, é um avançado centro, centro, centro, que joga no centro...

Perdoe-me a ousadia:

Não, não é!

Aliás se o senhor Presidente me permite dizer...

Isso é uma grande estupidez.

Ainda se falou de Bolasie e da sua imensa experiência na Premier League, de Fernandinho e do seu imenso potencial ou até do já desaparecido Marcel...

Coitado do Marcel.

Falou de Leonel Pontes, do prazo e da tarefa, do treinador Português que quer contratar, mesmo apostando no Leonel ou naqueles treinadores que não querem treinar o Sporting...

Tanta coisa e coisa nenhuma.

Dos sub-23 que têm vários jogadores de 18 anos e um de 16...

A sério?

Que bom...

Enfim, Varandas falou, falou e falou, por entre, aquele assombro de sapiência que parece lhe pertencer mesmo que seja inócua, despida de ligação com a realidade.

Assim, continuo desmotivado, triste e preocupado, no entanto, menos infeliz pois tenho no meu feed do YouTube a nova canção de Jay M...

O avançado centro, centro, centro, que joga no centro mas é móvel, do SCP.

Ai que bom!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

24
Ago19

Casas de Banho: O Grito Libertário De Género?

Filipe Vaz Correia

 

De facto as polémicas não findam...

Desta vez o País está em polvorosa por causa de géneros e casas de banho.

Nada mais adequado para um Agosto entre museus e greves, campanhas pré-eleitorais e futebol.

Segundo percebi, e nem sei bem se percebi, esta lei visa libertar jovens transgénero do jugo opressor do desconforto, dessa humilhação de terem de frequentar uma casa de banho para a qual não estão identificados.

Muito bem...

Há anos atrás vi um documentário do 60 minutos, onde abordavam este tema e a forma como na Tailândia tratavam esta temática, desde cedo criando casas de banho próprias para o 3º sexo.

3º sexo...

Era assim que identificavam este tipo de crianças e adolescentes nesse programa.

Nessa altura achei muito estranho todo o processo, assim como, a forma como esse debate me parecia ser feito, mesmo assim absorvi e tentei perceber o alcance de tal medida.

Nos dias que correm, olhando para esta lei aprovada pelo Governo, já não sei se os Tailandeses não estavam cobertos de razão.

Sei bem que muitos gritarão com esse lado dramático de quem vive estigmatizado num corpo que sente não ser o seu, que essa realidade os obriga a viver dentro de um espartilho, onde a sua identificação de género trai a sua própria percepção.

Agora o que não entendo é esta solução meio à lá carte.

Como se sentirá uma menina, quando um rapaz, sei que será supostamente transgénero, lhe entrar pela casa de banho adentro, num resgatar da sua liberdade de género?

Ou um menino numa situação inversa?

E quem definirá esse estatuto transgénero?

Questões que certamente os “entendidos” nesta lei me saberão esclarecer...

Deixemos começar o ano lectivo e esperemos para observar o que desta lei resultará.

De uma coisa estou convicto...

O caminho da Humanidade deverá ser de inclusão e integração de todos, sem excepção, no entanto, com atenção para no meio desta revolução evolutiva, não nos perdermos por entre exageros populistas.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

23
Ago19

Museu Salazar: Petição Ou Ditadura?

Filipe Vaz Correia

 

Estes dias têm sido marcados por polémicas, entre elas, uma petição lançada para tentar impedir a construção de um Museu sobre o Prof. Salazar e o respectivo período Histórico em que dirigiu os destinos da Nação.

Sinceramente, hesitei em escrever sobre o tema, não por falta de vontade, mas sim por falta de paciência diante dos detentores dessa verdade oficial, do actual Regime.

A Autarca Socialista que promove este projecto com apoio de dinheiros de investidores particulares, de repente passou de uma Mulher de Esquerda para uma perigosa agitadora Fascista, numa mistura ignorante de conceitos e ideologias.

Enfim...

Vamos lá:

Sou a favor deste Museu...

Absolutamente a favor.

Era o que faltava que não se pudesse construir um espaço para retratar esse período da nossa História, com as coisas más que nele existiram, assim como, com as coisas boas por ele executadas...

Sim, também existiram coisas boas.

Num regime Democrático, supostamente livre, onde na Assembleia da República temos Partidos que defendem ou defenderam Regimes, esses sim, sanguinários e genocidas, como a URSS, Coreia do Norte, Venezuela, Cuba ou, em determinado momento, Angola.

Só faltava que por alguma razão, petição, nos víssemos cerceados de poder contar, observar e aprender sobre as fraquezas e forças de uma “personagem” marcante do nosso tempo.

O Prof. Salazar, sujeito que está ao escrutínio do seu papel Histórico, representou um tempo e momento que deve, deveria, ser escrito e observado pelas mentes dos vindouros que depois dele habitam a nossa “Lusitana” terra, sendo para isso importante que essa História possa ser contada, sem receios ou tabus.

Por todos, com todos.

Acho imensa graça que muitos daqueles que se insurgem contra este Museu, nada digam ou escrevam quando se cruzam na rua com uma camisola estampada com o rosto de Che Guevara...

Certamente, porque para alguns desses “democratas” estamos na presença da memória de um revolucionário que lutou pela Liberdade dos povos, no entanto, para outros, nos quais me incluo, esse “personagem” representou a morte e a opressão de milhares de pessoas e famílias em nome do seu ideal.

Visões distintas mas que merecem ser discutidas e debatidas, nunca silenciadas ou reescritas às mãos dos algozes da História, sempre prontos a cercear esse direito de livremente pensar.

Por todas estas razões sou absolutamente a favor deste Museu Salazar, idealizado e executado por uma Autarca Socialista...

Por estes dias, terei de confessar, estou surpreendido com o Socialismo, pelo menos no que toca a greves e museus.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

  • Anónimo

    Meu Caro,Sem heresias ou sacrilégios este texto tr...

  • Filipe Vaz Correia

    Meu caro Anónimo...Veremos que Mourinho será este,...

  • Filipe Vaz Correia

    Minha querida Teresa...Não tem nada de pedir descu...

  • Anónimo

    Sou daqueles que aprecia mais o treinador do que o...

  • Teresa

    Obrigada eu querido Filipe. E peço desculpa por te...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Novembro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D