Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

No Afeganistão Parece Que As Meninas Poderão Estudar… Parece?

Filipe Vaz Correia, 14.09.21

 

 

 

7A640228-0DFB-4FC1-843E-4D473B7EF071.jpeg

 

 

As noticias adiantam que as raparigas Afegãs poderão frequentar as Universidades, segundo o novo Governo do Afeganistão, desde que cobertas com véu ou burka, ainda não se sabe, e somente nos casos em que as aulas sejam leccionadas por uma mulher.

Ao ouvir esta noticia, pensei:

- Olha que bom!

- Isto até nem está assim tão mal!

Acabei de ter este pensamento e no mesmo instante dei por mim carregado de vergonha, submerso na estupidez que acabara de pensar.

Estas jovens estão amarradas e espartilhadas por um conjunto de ogres feudais, de pensamento arcaico, discriminadas em todos os aspectos e ainda se têm de sujeitar a este tipo de "esmolas" para a sobrevivência da sua instrução.

Não acredito que seja fácil encontrar Professoras para dar as ditas aulas, condição indispensável para os Talibãs, não só pela falta de docentes femininas como também pela dificuldade que estas deverão ter em obter autorização dos seus "tutores" para, nestes novos tempos, irem trabalhar.

Não esquecer ainda a diferença de realidades entre Cabul e as zonas rurais, desse interior do Afeganistão onde proliferam os casamentos de meninas em idade infantil, por  entre, outro tipo de atrocidades culturais.

Deixo-me levar por aquelas imagens, por aqueles rostos, imaginando o terror com que devem viver aquelas jovens mulheres, o quão angustiante deverá ser o abandonar de sonhos que neste momento não passam de pecados.

Não, isto não é uma boa notícia...

É apenas um paliativo.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

Vanessa E Dava: As Meninas Da Vodafone do Campo Pequeno...

Filipe Vaz Correia, 04.01.19

 

O meu telemóvel resolveu despedir-se do mundo, após três anos de uma perfeita relação, entre nós.

Silenciou-se, num suicido esperado, devido aos "ferimentos" marcados em si, não me deixando esquecer as quedas e sobressaltos pelos quais passou.

Foi com tristeza e irritação que me apercebi de tal "destino" mas parti, mesmo irritado, em busca de uma solução...

Vulgo, comprar outro.

Essa parte dolorosa, de uma despedida, ficaria ainda marcada por inesperados contratempos que me levaram ao sublime desespero.

Comprei o telemóvel na Rádio Popular, convencido por um "asno", peço desculpa a todos os asnos, no entanto, o que mais me irritou foi ter-me apercebido desse singelo facto...

Se um "asno" me convenceu a comprar aquele telemóvel, o que dirá isso de mim?

Bem...

Poupem-me à resposta.

Mas o mote para escrever este texto, mais do que referir a falta de acompanhamento do empregado da Rádio Popular, é a indescritível simpatia e disponibilidade das "meninas" da Vodafone do Campo Pequeno...

As belíssimas Vanessa Sarah e Dava Lima.

Em primeiro lugar a simpatia, depois a disponibilidade, aliada a uma boa disposição e por último uma espécie de encantamento que fideliza o cliente, neste caso não tinha comprado o equipamento na sua loja mas mesmo assim recebi ajuda como se o tivesse feito.

Sem hesitações, fizeram o trabalho que o "asno" não soube fazer, ou seja, fizeram aquilo que não tinham de fazer.

Saí da loja com o telemóvel configurado, preparado para a primeira chamada, prometendo-lhes que aqui escreveria sobre elas.

Subscreveram o "Caneca de Letras", por acaso a Dava ainda não, mas cá a espero...

Minhas queridas, por tudo isto, um obrigado do tamanho do mundo, sem saber como descrever o quão impressionado fiquei com a vossa simpatia e carinho.

Assim, deixo-vos um beijinho imenso, com a certeza de que sempre que for ao Campo Pequeno, as visitarei, grato por toda a vossa atenção.

As queridíssimas Vanessa e Dava, são o melhor cartão de visita de uma empresa e a Vodafone bem pode se orgulhar destas suas "meninas".

Beijinhos.

 

 

Filipe Vaz Correia