Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

17
Jan19

No Caneca Com... Jaime Bessa!

Filipe Vaz Correia

 

Antes de mais, um sucinto preâmbulo:

Começo por cumprimentar o já vasto auditório da Caneca de Letras, devo dizer que o autor deste Blog, é mais do que um irmão para mim e todo o sucesso e adesão que a sua escrita tem suscitado são motivo de grande orgulho e zero surpresa.

Admiro-me que corra o risco de colocar todo esse trajecto de sucesso em causa, ao convidar-me para escrever, vou dar o meu melhor, aqui vai.

Decidi escrever sobre o Fortnite, um vídeo-jogo que está a tomar o mundo de assalto; que todas as crianças conhecem ou ouviram falar e para a maioria das que jogam (pelo menos até atingirem a puberdade) é certamente o tema mais importante e interessante das suas vidas. Por isso, e por ser um tema que certamente a maioria já ouviu falar mas que nem sabe bem do que se trata, resolvi escrever sobre isso.

O Fortnite battle royale foi lançado a 26 de Setembro de 2017, em Dezembro desse mesmo ano já tinha 30 Milhões de jogadores registados, acabou o mês de Janeiro de 2018 com 45M, em Junho 125M e em Novembro de 2018 já ultrapassavam os 200 Milhões de jogadores e este número continua a aumentar. ( cit. in. https://www.statista.com/statistics/746230/fortnite-players/).

O jogo por si só, apesar de ser grátis já facturou 2 Mil Milhões de dólares para a Epic Games, a empresa que o criou, já gerou celebridades, notícias, torneios de milhões de dólares, convidados de talk shows... Enfim um sucesso esmagador a todos os níveis.

Porque é que o jogo tem tanto sucesso?

1. Acessibilidade. É um jogo que pode ser jogado, num computador, num telemóvel, tablet, playstation, nintendo, xbox, switch, etc... Enfim qualquer dispositivo com um monitor e ligação à internet pode correr este jogo.

2. O preço; custa zero. O jogo é absolutamente grátis, sem truques nem ofertas de 30 dias que depois começam a ser cobradas sem o utilizador se dar conta. Pode de facto gastar-se dinheiro no jogo mas é completamente opcional e não é condição para jogar.

3. O conceito, 100 jogadores num autocarro que sobrevoa uma ilha gigantesca, cada jogador decide quando quer saltar do autocarro e iniciar a sua longa queda livre até ao solo firme da ilha. Cá em baixo, no terreno de guerra, começa uma busca frenética por armas e recursos, tudo o que possa dar uma vantagem em relação aos outros jogadores. A ilha está cercada por uma mortífera tempestade que lentamente drena o hp ( hit points, vulgo tira a vida ) aos jogadores que são apanhados nela, a tempestade vai aumentando e à medida que o tempo vai passando e como tal a área útil de jogo diminui, por isso os confrontos serão inevitáveis. Isto é o Battle Royalle.

Battle Royale é um conceito popularizado em 2000 por um filme homónimo Japonês. Basicamente significa uma luta até à morte onde só um sobrevive.

Não parece emocionante?

4. A jogabilidade. Depois de carregar no botão para iniciar o jogo, somos levados para um lobby, um sítio onde os jogadores se encontram e aguardam até estarem 100 elementos. Depois temos um breve ecrã de "loading" et voilá, começa a aventura. Os comandos são simples e intuitivos. Os gráficos coloridos e até infantis. A grande novidade do Fortnite é que os jogadores conseguem construir estruturas em tempo real, o que lhes dá uma liberdade muito grande e quanto a mim este é o segredo que seduz a nova geração. A liberdade que a construção de estruturas dá aos jogadores, em que parece que o único limite é a imaginação, por isto todos os dias alguém faz algo que nunca foi feito antes e 200 Milhões de jogadores querem saber o que é. Por isso existem tantos vídeos no Youtube e semelhantes.

5. A vida. O Fortnite BR é um jogo cheio de vida, tem luzes, cores e danças já famosas que são reproduzidas já em todos os casamentos, (se foi a algum casamento em 2018 já viu ou até dançou esta música). Os criadores do jogo estão sempre a lançar actualizações (média de duas por semana) em que mudam aspectos secundários do jogo (acrescentam veículos como carros, motas e aviões, mudam armas, alteram localizações, etc...) o jogo está sempre de cara nova, e tem sempre qualquer coisa nova. Os youtubers e streamers estão constantemente a fazer vídeos deste jogo, t-shirts e todo o tipo de merchandising, o Fortnite é mais do que um jogo é pop culture.

Devo deixar os meus filhos jogar Fortnite?

Claro que sim! Mas se está a aprender como educar os seus filhos em Blogs (por muito bons que sejam) deve entregá-los para adopção.

O jogo é violento demais para crianças pequenas?

Não de maneira nenhuma. Parecem desenhos animados infantis. Argumento até que são muito estimulantes e se a criança estiver acompanhada e o tempo de jogo for moderado, o Fortnite é um excelente fornecedor de estímulos e competências sociais pois também pode ser jogado em equipas de 2 e 4 pessoas.

Vou parecer mais "fixe" aos olhos dos mais pequenos se souber coisas deste jogo?

Sem dúvida nenhuma.

Experimente dizer ao seu filho/sobrinho/etc.:

 

"Gostas mais de cair em tilted towers ou lonely lodge? "

( Se ele responder a primeira é um jogador agressivo e confiante se responder a segunda é mais cauteloso e prudente.)

O que é que preferes, 3 minis ou um gordo?

(tipo de shields no jogo, os pro players preferem 3 minis)

Já fizeste algum no scope?

(matar de sniper sem mira, só para os melhores)

O Ninja não é tão bom como o Tfue.

(dois dos streamers/youtube mais famosos do momento)

 

Há muito mais a dizer, mas ficarei por aqui. Quaisquer dúvidas que surjam, comentem à vontade, sou frequentador assíduo deste espaço e responderei a todos o melhor que puder.

Termino com um agradecimento muito grande, ao meu grande amigo pelo convite e com uma pequena curiosidade que sei que vai ser muito apreciada. Tim Sweeney, CEO da EPIC games, criadora do jogo, já comprou milhares de hectares na Floresta Amazónia com o único objectivo de a preservar e manter intacta.

Respect.

 

Jaime Bessa

Cinéfilo, Cambista, Psicólogo e Jogador de Fortnite.

 

 

 

23
Jan18

Tide Pod Challenge!

Filipe Vaz Correia

 

Por mais que não me queira surpreender, não consigo...

"Tide Pod Challenge".

Este desafio que tem invadido as redes sociais, Youtube e Facebook, parece inacreditável, de tão imbecil, no entanto, reflecte a loucura inerente a tantos que aceitam qualquer coisa por um momento de fama...

Fazer um qualquer vídeo, por um punhado de likes.

O desafio tem por base, comer umas quantas cápsulas deste detergente, filmar e publicar nas redes sociais.

Quando vi o artigo que denunciava esta nova tendência virtual, não acreditei, por isso fui ver o vídeo da ABC, sobre o tema, para que a minha alma pudesse realizar tamanha estupidez.

Numa Era em que jogos de Auto-Mutilação viram moda, em que saltar de pontes ou atravessar Autoestradas é "cool", onde o estupidificante é aceitável por algumas visualizações, este jogo junta-se a esse reportório de estupidez que assola, infelizmente, muitos jovens.

A Empresa detentora da marca, viu-se obrigada a fazer publicidade alertando os jovens, para o facto de esta experiência além de ser proibida, ser extremamente perigosa...

Extremamente perigosa!

Assim, nesta espécie de desabafo, inacreditável expressão da minha alma, fico aguardando pela reacção tanto do Youtube como do Facebook, que mais do que nunca deverão questionar o seu papel e a sua influência neste mundo virtual.

Perante este pedaço de estupidez humana, fica apenas a pergunta que mais me ocorre ao escrever estas linhas:

Haverá algo mais estupido do que isto?

Eu diria que não...

Mas não sei!!!!!!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

20
Set17

A Reinvenção De Um Génio!

Filipe Vaz Correia

 

No dia em que Donald Trump foi discursar às Nações Unidas, pensei em lhe reservar um pedaço desta Caneca, para esse tão esperado discurso...

Não defraudou.

No entanto, durante a tarde, sentado à mesa da pastelaria Londres, deparei-me com algo que a minha singela ignorância, ainda não me havia permitido descobrir...

O velho Herman José, no seu actual Instagram, embrenhado por essas novas tecnologias, reinventando o humor, desbravando caminho por entre as novas gerações, deslumbrando o comum internauta, com pequenos trechos de genialidade.

Dois minutos em vídeo, das mais variadas personagens, interpretações perfeitas, satirizando como só ele sabe, ridicularizando sem ofender, a própria essência de cada uma daquelas personagens.

Que saudades do meu Herman, do nosso Herman...

Durante quase uma hora, deliciei-me vídeo após vídeo, de Lili Caneças a Maria Bethânia, de Miguel Sousa Tavares a João Villaret, de Maria Vieira a Donald Trump.

Como explanar por palavras a extraordinária imaginação de um humorista que surpreende, que nos resgata uma gargalhada, como se de um simples traço de um intemporal artista.

Herman agarra os mais jovens, uma vez mais, como já havia feito com os seus Pais há décadas atrás, voltando a ressuscitar, sem filtros, sem rede, como só ele poderia fazer.

Parece o mesmo Herman da Roda da Sorte ou do Tal Canal, do Casino Royal ou do Herman Enciclopédia, escapando ao desgaste temporal que muitas vezes aprisiona o talento daqueles que por instantes brilharam...

Com o Herman é diferente, pois o tempo verga-se diante da reinvenção de tamanha genialidade.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

16
Fev17

Czar Putin e as Matrioskas Americanas...

Filipe Vaz Correia

 

A verdade sobre as eleições americanas está cada vez mais evidente, aos olhos daqueles que incrédulos ouviam os rumores, sobre uma ingerência Russa concertada com a campanha do candidato Trump.

Seria possível que o Kremlin tivesse em marcha um plano, para interferir nas escolhas, destas sociedades ocidentais, com o intuito de as tornar instáveis e ingovernáveis?

Não me restam, muitas dúvidas...

Parece que sim!

O que se tem vindo a descobrir, através dos serviços secretos norte-americanos, mostra o quão vulnerável está o mundo, perante os hackers Russos (Escola KGB) que escondidos sob o anonimato das redes sociais vão lançando boatos e factos alternativos, atingindo os alvos especificos que não estejam alinhados com os seus interesses...

Todo um novo cenário se levanta, nestas democracias ocidentais, desgastadas com a crise económica e os escandâlos sucessivos de fraudes e corrupções.

A demissão de Michael Flynn, demonstra aos olhos da opinião pública as enviesadas ligações existentes entre o Staff de Trump e a Rússia, adivinhando-se outros nomes nessa balança controlada a partir de Moscovo.

Se em França os rumores, que começam a circular, visando Emmanuel Macron, tiverem como se desconfia, as mesmas fontes, poderemos estar perante a réplica do que aconteceu nos Estados Unidos, o que representaria uma espécie de queda do Muro de Berlim, mas que desta vez, destruiria muito provavelmente a União Europeia.

É o momento de se combater esta influência, que urge denunciar, e que só se poderá combater com a denúncia permanente, elucidando os cidadãos para este novo tempo que enfrentamos.

Putin não agirá sozinho, conta com a fraqueza das instituições europeias, assim como, contou com esse mesmo enfraquecimento do outro lado do Atlântico, mas acima de tudo conta com a ignorância, a revolta e o medo de certos quadrantes, destas mesmas sociedades.

Assim, torna-se cada vez mais importante, a descoberta destas matrioskas americanas e o seu envolvimento em todo este processo, que levou Donald Trump até à Casa Branca  e que acredito depois de Michael Flynn, outras pequenas matrioskas serão descobertas.

Porque se ficarmos aprisionados neste limbo sensacionalista, nunca mais conseguiremos resgatar a governação, do populismo desmedido que vencerá sempre no terreno da manipulação e demagogia, pois estas são precisamente, o alimento da sua subsistência...

Que venham então, as pequenas matrioskas escondidas, no seio da administração Trump e que com elas se possa saber, mais em concreto, quais os desejos do Czar, Vladimir Putin.

 

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

  • Maria

    "Certamente um dia", espero que esse dia seja brev...

  • imsilva

    Oxalá!

  • Calimero

    Oxalá seja breve A esperança, os sorrisos, o norma...

  • Filipe Vaz Correia

    Meu caro Anónimo...Um abraço

  • Anónimo

    Infelizmente é verdade, não é uma daquelas mentira...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Abril 2020

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D