Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Obrigado Nour Machlah!

Filipe Vaz Correia, 04.07.18

 

Numa altura de gritos e crises em relação a migrantes e refugiados, nada melhor do que as palavras de Nour Machlah para nos acalmarem a alma, darem esperança ao olhar e verdadeiramente sentir orgulho nesta espécie de imensidão que se amarra ao "Ser" Português.

Num texto no Facebook que se tornou viral, Nour enalteceu o gesto de Cristiano Ronaldo, naqueles instantes finais do jogo entre Portugal e o Uruguai, onde o craque Português ajuda de forma fraterna Cavani a sair de campo.

O jovem Sírio compara essa situação, àquela que o mesmo viveu em 2014, tentando fugir de um País dilacerado por bombas e mortos, tendo então recebido uma bolsa de estudo do Estado Português, assim como, outros 50 companheiros seus, acolhidos nesta terra tão nossa.

As palavras de gratidão, amizade e amor, espelham a forma como este jovem foi recebido e integrado, num gesto que diz muito da generalidade deste nosso Povo...

Nour vai mais longe, recordando as dificuldades económicas e a crise que então atravessava o País para reforçar o gesto e dar dimensão ao peso que isso teve na sua vida.

" Nunca vou chamar este País de segunda casa, nunca vou chamar este povo de segunda família."

" Portugal é a minha casa e o seu povo é a minha família."

São estas as palavras com que Nour Machlah decidiu finalizar o seu texto, deixando pouco espaço para alguém acrescentar outras, tal a beleza e amplitude de tamanha gratidão.

No entanto, corro o risco...

Obrigado Nour.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

As Meninas Do Arco-Íris!

Filipe Vaz Correia, 01.06.17

 

A simpatia faz mesmo a diferença...

Vezes sem conta, no meio dos meus escritos, acorro ao Centro de Cópias do Centro Comercial Arco-Íris, para imprimir sem parar, poesias ou prosas, textos da minha imaginação ou apenas desabafos transformados em opinião.

Hoje mais uma vez, lá fui ao Arco-Íris.

Queria imprimir um conjunto de textos desformatados que aqui escrevi no Caneca ao longo do tempo, imortalizá-los no papel, dar-lhes aí vida, como antigamente...

E assim para infelicidade da minha querida Telma, calhou-lhe a ela, durante mais de uma hora, ter de formatar e imprimir, texto após texto, palavra por palavra, o meu imaginário escondido neste Blog.

De pé e buscando a melhor forma de poder concretizar este meu pedido, lá conseguiram as meninas que o Caneca ganhasse vida, como que por magia, aos meus olhos...

Entre sorrisos e lamentos prosseguimos a empreitada, com as conversas a fluírem para atenuar a extenuante tarefa, sempre pincelada com a expectativa de já não faltar tudo.

E por entre essas conversas até descobri que foi ali que se imprimiu a Madonna de papel, maqueta claro, que esteve presente no cinco para a meia noite, da Filomena Cautela...

E como estava bem a Madonna.

Por tudo isto, por tantas e tantas vezes que vos maço, o meu muito obrigado meninas, pela paciência e dedicação...

A simpatia faz mesmo a diferença e a vossa é a prova disso mesmo.

 

Obrigado...

 

 

Filipe Vaz Correia