Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

17
Set20

Demência

Filipe Vaz Correia

 

Estou voando para além do que seria imaginável, caminhando por entre o que não seria expectável, reescrevendo aquilo que não adivinhava escrito...

De mãos dadas com a intrínseca vontade de correr, correr sem parar, de pulmões abertos, respirando tudo de uma vez.

Nas entranhas da alma a querença de viver tudo intensamente, como se fosse o último pulsar de esperança, nessa correria de indiferença que nos circunda, nos entrelaça, nos espera.

Corro, corro imensamente na busca do prometido oásis, essa felicidade descrita na ingénua imaginação que um dia a todos iludiu, esse olhar pincelado de cores, sabores... amores.

O tempo...

Tic tac, tic tac, tic tac.

Os abraços agora perdidos, o afago agora esquecido, o gélido afastamento agora imposto, vai marcando a fria constatação desse solitário egoísmo cada vez mais marcado nos rostos do mundo, um fracturante partilhar que ameaça esse futuro desconhecido.

Estou voando para além do que seria imaginável, buscando esse amanhã que será sempre indecifrável, nas entrelinhas de um futuro ansiadamente melhor...

Até lá, se Deus quiser.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

28
Mar20

RE-PUG-NAN-TE...

Filipe Vaz Correia

 

O discurso do Ministro das Finanças Holandês no Conselho Europeu, não foi o único, é absolutamente repugnante...

António Costa assim o classificou e muito bem.

Parece que nada aprendemos com a crise de 2008, sendo que muitos dos que saltaram para fora do barco se apresentam capazes de fazer o mesmo assim que o Tsunami económico chegue.

Uma barbaridade.

Uma coisa a União Europeia terá de repensar...

O seu propósito.

Se não serve para uma solidária resposta num caso como este, então não servirá para nada.

Gostaria, não sei se gostar será o verbo, de ver o que valeria a Economia Holandesa, Austríaca, Húngara sem o chapéu de chuva do Euro.

Mantendo este tipo de atitude, se calhar, iremos descobrir mais cedo do que julgamos.

Pois desta resposta se fará o futuro da União Europeia.

Repugnante...

Bela palavra Senhor Primeiro-Ministro...

Absolutamente repugnante.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

03
Fev20

Sporting Clube De Portugal: Que Futuro?

Filipe Vaz Correia

 

A lenta agonia leonina...

Até quando andaremos entregues a este triste destino, sem rumo, que nos levará até ao definhamento desmedido.

O meu Sporting...

Meu amor.

Não tenho palavras para o estado de coisas que cerceiam e mutilam o meu clube, o divisionismo gritante que nos cerca e a incompetência desmedida que nos lidera.

O Sporting está hoje preso a diversos enigmas, entre populismos e ressabiados, entre sabichões e ignorantes, várias visões de "orgulhosos" Sportinguistas.

Só nos resta um caminho...

Profissionalismo.

Profissionalismo das estruturas, (nada de amor ao clube, estou farto dessa lengalenga), profissionalismo na liderança, na profissionalização global de todas as áreas e formas do Sporting Clube de Portugal.

Quem é o melhor CFO de desporto?

Contratem!

Quem é o melhor director desportivo, com vertente de formação global?

Contratem!

Quem é o melhor treinador de clube, com aposta em jovens da formação?

Contratem!

Não há dinheiro?

Como não?

Esta administração gastou perto de 40 milhões em coxos, jogadores que na sua maioria nada acrescentaram ao clube, por isso mais valia guardar os milhões desperdiçados em contratações miseráveis e apostar em uma estrutura altamente especializada e preparada, de preferência sem passado em Alvalade. 

Vianas, Betos, Manéis Fernandes, Vidigais, Inácios ou afins...

NÃO!

Contratem os melhores em cada área e expliquem o caminho aos sócios, sem mentiras, indicando tempo para a recuperação do clube, da sua equipe de futebol, apostem na prata da casa, com sete ou oito miúdos de Alcochete, recuperem outros desperdiçados por administrações incompetentes, acompanhados de contratações pontuais de jogadores de inegável qualidade que possam fazer crescer estes meninos da formação...

Mas quem vier, que não faça parte da formação, terá de ser uma indiscutível mais valia.

Cumpram este requisitos e certamente contarão com o apoio da maioria dos Adeptos.

Caso não seja este o caminho, continuando de eleição em eleição a eleger pirómanos tresloucados ou em alternativa, bananas encartados, rumaremos ao único cenário que um dia restará ao Clube...

A sua alienação como forma de sobrevivência e esperança de vencer.

Viva o Sporting.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

05
Nov19

Rosto

Filipe Vaz Correia

 

Já me perdi;

Vezes sem conta,

Nessa estrada imaginada,

Vezes sem conta,

Cantando a desencantada,

Voz da alma...

 

Já me esqueci;

Vezes sem conta,

Desse sorriso de outrora,

Vezes sem conta,

Perdido nesse agora,

Que tarda em chegar...

 

Já me feri;

Vezes sem conta,

Nas entrelaçadas memórias,

Vezes sem conta,

Em cada pedaço dessa história,

Que imaginei nossa...

 

Já se apagou a luz;

Intermitente luz de um poema,

Singelamente discreto,

Imponentemente dilema,

Dessa parte que é deserto,

E que não voltará a nascer...

 

Mas se um dia aqui regressar;

Neste tempo, momento,

Numa janela de futuro,

Revisitando o passado,

Saberei reescrever,

Cada leve traço,

Do “nosso” rosto.

 

 

 

05
Nov19

Terás Futuro, Sporting “Meu”?

Filipe Vaz Correia

 

Tenho feito um esforço para não escrever sobre o “meu” Sporting, para acalmar a tristeza que em mim habita.

Fico perplexo com a aparente indiferença do actual Presidente Leonino diante deste desgraçado momento que vivemos, a calma com que se pavoneia pelos campos de futebol, sempre com aquele ar seráfico com que, vezes sem conta, nos brinda.

Sei bem que esta será a enésima vez que aqui pugno pela demissão do actual Presidente, numa vontade maior de terminar com este suplicio que se tornou o dia a dia do SCP.

Uns quererão ainda mais tempo para esta indigente Direcção, outros levantam fantasmas de um passado recente, outros ainda buscam remexer em enterrados machados na procura de uma bacoca “revanche”...

Eu apenas busco esse futuro risonho que, há muito, se perdeu no horizonte verde e branco.

O futuro...

Por entre guerrilhas, agarrado ao poder, sobrevive este inenarrável Presidente e a sua direcção, um conjunto de gente, paga a peso de ouro, impreparada e incompetente.

Profundamente incompetente, amarrados ao saber que julgam possuir, entrelaçados a esse convencimento que os esventra, nos trucida.

Já não temos equipe, há muito que não temos treinador e continuando neste rumo provavelmente nem Clube sobrará.

Urge gritar...

É imperioso olhar em frente e buscar soluções, soluções diferentes pois o tempo para experimentalismos acabou.

Ou o Sporting encontra, definitivamente, um rumo sólido, com gente capaz e experiente, contratando gestores externos e profissionais, entrelaçados com profissionais de campo de reputação inquestionável, partindo do 0 na reconstrução de todas vertentes em que deverá assentar um Grande clube de futebol...

Ou então iremos de época em época rumo ao abismo total.

Um nome me parece capaz, pela credibilidade, pelo conhecimento e capacidade de se mover nas mais altas esferas do futebol Mundial, para empreender esta tarefa...

Luís Figo!

E não me venham com as “tretas” do costume...

Festejou um golo contra o Sporting, usou chuteiras encarnadas ou outras coisas que tal...

Estou-me nas tintas!

Luís Filipe Vieira foi sócio dos três Grandes Portugueses e isso importou para os Benfiquistas?

Não!

Domingos Soares de Oliveira, número dois e Vice Presidente do SLB, é um reconhecido adepto do SCP, julgo mesmo ter sido sócio por vários anos...

E isso importou?

Não...

Pela simples razão de que era o melhor para o cargo.

E Pedro Mil Homens ou Jean Paul que se viram escorraçados de Alcochete, sendo os principais responsáveis pela Formação actual do Benfica...

Alguém, no Seixal, quer saber quais são os seus Clubes?

Não me parece.

Assim, volto a referir que estou pouco me importando para alusões a bacocos sentimentalismos clubísticos, importa o Sporting de uma vez por todas seguir o caminho da competência, do profissionalismo, resgatando esse futuro perdido.

Só assim existirá futuro...

Pelo menos o que sempre sonhei para o “meu” Sporting.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

28
Out19

A Era Da Política “Espetáculo” Ou The Show Must Go One?

Filipe Vaz Correia

 

As saias do assessor deram brado nas redes sociais, o assessor da Joacine, de saia rodada esventrando o Status Quo Parlamentar, os costumes sociais que se chocam...

Saia?

Um Homem?

Uma saia rodada?

Antecipam-se terramotos políticos nesta disputa entre uma esquerda cada vez mais radical, em contraponto com uma direita cada vez mais extremada...

Não no número de deputados mas na composição do seu elenco, pois convenhamos que contar com a presença e palpite do “mui” estimado André Ventura, trará um acréscimo de salitre ao debate.

No entanto, como devem saber, o sal é desaconselhado pela Organização Mundial de Saúde...

Por aqui passaremos a discutir as saias parlamentares, mais vezes, os gostos mais rocambolescos de um ou outro deputado da Nação, percorrendo o caminho até esse encontro com as sugeridas castrações químicas do “mestre” André, numa mistura imperceptível de ignorância trauliteira.

Discutiremos lugares e cadeiras, conversas sem eira nem beira, espectáculo teatralizado em cada gesto, em cada penacho de insatisfação que possa garantir aqui ou acolá uns “conscientes” votos eleitorais.

Antevê-se assim uma agitada legislatura, carregada de soturnas imperfeições, nomes e discussões soletrados na inovadora politiquice que grassará, por entre, as paredes daquela Assembleia da República.

Todos os Partidos, estes que agora aqui chegam ou os outros que há muito por aqui andam, irão puxar para si esse espalhafato mediático da coisa, os gritos e os holofotes do povo, da nação que urge influenciar.

Veremos quem neste tempo saberá moderar a coisa, chamar a si a responsabilidade adulta num recreio carregado de irritantes excitamentos...

Deste tempo, de saia rodada ou de mão em riste, tudo se poderá esperar, como num “circo”, num palco, onde o Show Must Go One.

Até lá...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

25
Set19

Sporting: Quo Vadis?

Filipe Vaz Correia

 

Sporting...

Qual o caminho?

Como se entende, lendo este blog, tenho divergências insanáveis com esta direcção, caminhos diferentes para o destino do "meu" clube.

Já nas anteriores eleições defendi uma lista oposta, a de Benedito, o João de todos nós, no entanto, chegando aqui, a esta pobreza desportiva e financeira em que nos encontramos, julgo ser indispensável ir um pedaço mais longe...

Apenas dois nomes terão capacidade de influência e decisão para mudar este triste desígnio Leonino.

Luís Figo e Cristiano Ronaldo.

Como o segundo permanece entretido com a sua deslumbrante carreira, nem poderia ser de outra forma, somente Figo poderia reclamar esse destino por cumprir que poderá resgatar aquilo que tanto desejamos...

A glória Leonina.

Figo ameaçou avançar, na companhia do competentíssimo Tomás Froes nas últimas eleições, porém devido ao conturbado processo eleitoral, compreendo o seu afastamento, esse renegar de um caminho pejado de armadilhas.

O Sporting e os seus adeptos, vivem há muito tempo entrelaçados com figuras de estilo, aparências bacocas e juras de amor ultrapassadas...

O que urge valorizar é a competência, o poder de influenciar, a capacidade de mudar o imutável, de transformar a divisão em união.

Isso só poderá ser feito com sagacidade, sabedoria e competência...

E nesse pormenor, pormaior, Luís Figo poderá representar uma incomensurável mais valia.

Sei que muitos levarão as mãos à cabeça, pois no seu puritano pensamento se recordam de um festejo, de uma polémica da segunda circular ou de uma rescisão não cumprida...

No entanto, passados tantos Presidentes, tantos falhados processos, talvez tenha chegado o tempo do pragmatismo, desse lugar maior que desnuda os românticos, os situacionistas, dando espaço a um projecto vencedor...

Sem poesias ou fogo de artifício mas capaz de estripar os parasitas do costume, dando primazia à competência e ao mérito.

Não hesites Luís Figo...

Este é o teu tempo.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

06
Mai19

A Estrada Da Vida...

Filipe Vaz Correia

 

Atravesso a estrada, sempre a mesma estrada, na mesma passadeira, rodeado dos mesmos silêncios, mesmos ruídos, num absoluto sentir repetitivo.

Todos os dias como se fosse derradeiro, mesmo sendo primeiro, tal qual como o primeiro, repetitivamente inteiro, repleto de nadas.

Os mesmos carros, os mesmos rostos, a mesma expressão carregada do céu, num olhar sem véu sobre os comuns mortais.

Um jogo intuitivo num gesto repetitivo, numa sentença desenhada nessas entrelinhas entrelaçadas, desse destino que se alicerça, sem tempo para reescrever o tempo que num ansiado momento, passa de presente a passado, ansiando um futuro que sempre se repete.

Será este um sonho, pouco risonho, que se atreve a amarrar as angústias e amarguras numa tela pincelada de um desmedido e solitário destino?

Ou será apenas um jogo, inventado por Deuses, entretidos em escrever cada sorriso impreciso de cada alma terrena?

Atravesso a estrada, sempre a mesma estrada...

Todos os dias, como se fosse o primeiro.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

26
Abr19

Eleições Espanholas: O Futuro Entre Vox(es) Radicais...

Filipe Vaz Correia

 

Os Espanhóis vão a votos por estes dias, confrontados com decisões importantíssimas, como há muito não se via.

A Democracia Espanhola está refém dos extremos populistas e radicais, tanto à esquerda como à direita, do espectro político...

Este desenho que se afigura complexo, retrata anos de indecisão política, décadas de uma crescente insatisfação popular com o sistema que coordena a vida de todos os Espanhóis.

Seja pela insegurança, pela precariedade laboral ou pela crescente e descontrolada imigração, cresce nas franjas da Sociedade, terreno fértil para o populismo, a demagogia encapotada, travestida de Nacionalismo ou orgulho patrioteiro.

Se o PSOE estará refém do Podemos, o PP poderá estar refém desse "assustador" Vox...

Uma Vox com tiques Nazistas, de braço erguido, urdindo chavões de ódio e discriminação.

Neste cenário tenebroso, se arrepiam as consciências daqueles que buscam soluções moderadas, à direita ou à esquerda parlamentar, perante as ameaças fracturantes anunciadas por estes novos "players".

Assim se aguarda pelos resultados eleitorais na vizinha Espanha, para se poder retirar as ilações do que se desenha para este nosso futuro Europeu...

Nesta velha Europa, cada vez mais a reviver pesadelos antigos.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Setembro 2020

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D