Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

A Carta De Cristiano Ronaldo A "El Chiringuito"......

 

Cristiano está na Juventus, como se isso fosse de somenos, partindo assim desse mundo Madridista que viveu sob a sua genialidade, um dos mais importantes momentos da sua História, senão o mais importante.

Ronaldo será sempre uma lenda Madridista, pelo que jogou, pelo que ganhou.

Será sempre um dos maiores jogadores da História do jogo, senão o maior...

Mas é na dimensão humana, tantas vezes criticada, que se vê o quão especial ele é.

A carta escrita por Cristiano ao programa televisivo Chiringuito, despedindo-se de todos, os que o defenderam, amigos e Madridistas, assim como, os que sempre estiveram contra si, demonstra o lado cordial, afável e humano deste super jogador.

O lado emocional de tal gesto ficou marcado no rosto de todos, daqueles jornalistas que representam o mais importante programa desportivo da televisão Espanhola.

São pormenores, singelos pormenores que constroem a verdadeira essência deste monstro do futebol Mundial.

Cristiano partiu para Turim, mas soube partir...

Soube despedir-se, mesmo vendo negado um adeus oficial no Santiago Bernabéu, soube deixar mais do que saudades do seu futebol, as mais sinceras manifestações de respeito e carinho pelo homem.

E é também por isto que serás eterno...

Cristiano Ronaldo.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

Modric Ou Geraldes?

 

Quando oiço que querem vender o Chico Geraldes, algo em mim se arrepia...

Num desespero imenso, questiono-me se será possível tamanha estupidez.

Será que não percebem?

Será que sou só eu?

O Chico é a personificação do romantismo no futebol, aquela parte do jogo que se foi extinguindo com a robotização, cada vez mais presente, no futebol moderno.

O Chico é o pensador, o pausador de serviço que temporiza e agita, que modera e apimenta, que num simples momento acalma e acelera...

É o Modric da academia de Alcochete, num momento pensador noutro silenciador, num segundo um marcador de livres noutro um recuperador de bolas.

Ele pensa o jogo, numa Era em que se busca quem rompa e esventre os momentos, criando espectáculo e fogo de artificio...

Neste misto de contra-senso, assisto com receio às manchetes dos jornais e ao interesse do Frankfurt...

A sério?

Recuso-me a desperdiçar tamanho talento, tamanha ligação ao "nosso" Sporting...

Recuso-me a aceitar tamanha estupidez!

Quero ver o Chico no Sporting, como Modric está no Real Madrid...

O talento, condição primeira, não engana.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

O Estranho Mundo De Bruno...

 

Nem tenho palavras para qualificar este espectáculo tresloucado que nos foi ofertado por Bruno de Carvalho e seus apoiantes...

Não posso, uma vez mais, evitar memórias das minhas aulas de História, ou mesmo, de horas de infinito gosto a ver o Panorama BBC.

Ali, naquele espaço, revi diversos lideres que em algum momento do seu caminho se sentiram demasiadamente poderosos, extremamente perfeitos, para que alguém, um dia, os pudesse derrubar...

E assim levaram, até ao limite, a irracionalidade do seu desmedido querer.

Hitler no Bunker em Berlim, Ceausescu naquela varanda em Bucareste, Baptista no seu palácio em Havana, Nicolau II nos salões do Palácio Imperial em São Petersburgo, o Xá da Pérsia nos recantos de Teerão ou Mussolini nas ruas de Roma.

Todos eles acreditaram, até ao fim, que seriam inatingíveis, que nada havia mudado na sua relação de poder com os muitos que os suportavam...

Eles acreditaram numa realidade paralela e Bruno também acredita.

O que está nesta génese é o pensamento, a mente patologicamente desvirtuada, entrelaçada com a perfeição criada em si mesmo, de si mesmo...

Estes lideres passaram a acreditar, não na realidade, mas sim naquela imagem construida por aqueles que o rodearam, criando assim, a tempestade perfeita para a sua queda.

Naquela sala, onde Bruno apresentou a sua recandidatura, as vozes vociferavam descontroladamente, os olhares enraivecidos acompanhavam a imagem do seu "Fuhrer", ao som de...

Viva o Bruno!

Bruno!

O Sporting esteve menos presente naquela euforia do que Bruno, sempre Bruno, irresistivelmente Bruno.

É este, mais um indicador, desta patológica verdade ditatorial.

No entanto, notou-se a degradação do poder, daquele poder arrasador, ameaçador, com que Bruno de Carvalho estrangulava quem dele discordava...

Nesta encenação sobrevive o "pequeno líder", através desta efémera esperança se alimentam os poucos que com ele marcham, acreditando até ao fim nesse lado teatral que os mantém vivos.

Um triste espectáculo no fim de um reinado.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

Bruno Fernandes: Ingrato, Traidor, Mercenário Ou Herói?

 

Todo o mundo a falar e escrever sobre Cristiano Ronaldo, sobre essa mediática contratação da Juventus e eu...

Eu só a pensar em Bruno Fernandes.

Neste dia, onde foi novamente apresentado em Alvalade, num regresso marcadamente importante, desmedidamente crucial para este projecto chamado Sporting e que todos esperamos vencedor, não poderia deixar de escrever algumas linhas sobre tal facto...

Bruno sentou-se no auditório Artur Agostinho ao lado do Presidente Sousa Cintra, diante da comunicação social, com os olhos Leoninos postos em si.

De facto, o universo Sporting é deveras especial, carregado de opiniões, de palpitadores profissionais e essencialmente de um sem fim, de juízes inquisitórios.

Bruno foi ingrato num primeiro momento, o da rescisão, traidor num segundo momento, o da possível transferência para o Benfica, Mercenário num terceiro momento, o do regresso com aumento de contrato e finalmente herói...

Neste novo contrato com as mesmas condições contratuais.

Mas mesmo assim alguns desconfiam, torcem o nariz, acreditando que poderá ter recebido algum dinheiro por fora, por dentro, pelos lados...

Sei lá!

Neste texto, apenas me apraz regozijar com esta volta, este novo Bruno Fernandes que se espera idêntico ao anterior, com o mesmo compromisso, a mesma alma, a mesmíssima competência.

Estive ao lado dos jogadores, sempre ao lado dos jogadores do Sporting neste conflito, provocado e originado pela anterior direcção do Clube, assim como, pelos marginais que a suportavam dentro e fora das claques, criando um clima hostil e intimidativo a qualquer um que se atrevesse discordar com o rumo "Gestapiano", por eles definido.

E estive ao lado dos jogadores por acreditar que isso representava o que verdadeiramente seriam os valores do "meu" Sporting e não a justificação bacoca do indefensável argumentário Brunista ou de Brunistas arrependidos.

Tenho pena por Patrício, Podence, William, Gelson que partiram ou partirão...

Tenho pena por uma história, "nossa e deles", que poderia e deveria ter sido diferente.

Por isso mesmo este regresso de Bruno Fernandes é tão especial, pois comporta em si uma esperança Leonina que tanto gostaria ver replicada em alguns outros que ainda não decidiram o que fazer...

Leste Rafael Leão?

E se por algum milagre, Cintrense, resgatarmos mais um ou dois...

Fica a minha alma preenchida de contentamento, desejando que todos eles saibam que num hipotético regresso serão muito bem recebidos.

Por fim, uma palavra para Nani, de quem tanto se fala estar perto de regressar a sua casa, o Sporting...

Bem-vindo, Nani boy!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

Bruno de Carvalho: Nunca Mais!

 

A recandidatura de Bruno de Carvalho tem tanto de incompreensível como expectável, tendo em conta a personagem e o seu modus operandis.

Bruno vive num mundo próprio, por entre, as realidades construidas na sua mente, num histerismo compreensível, coadunado com a sua irreversível instabilidade de carácter.

Prejudica o Sporting?

E então...

Quem espera bom-senso de um egocêntrico paranóico?

Bruno vive centrado em si, por entre, constantes fugas para diante, tentando recuperar o que perdeu, o apoio incondicional da massa adepta, buscando indefinidamente alternativas para sobreviver como Presidente do Sporting.

Na verdade, compreendo o labirinto emocional em que se encontra, pois o que será esse futuro, o seu, sem as comodidades que lhe eram facultadas pelo Clube...

Espero que a comissão fiscalizadora use dos seus poderes e impossibilite a candidatura deste senhor, ou mesmo, de algum daqueles seis que com ele construiram a página mais negra da vida deste "nosso" Clube.

Para que assim todos, com algumas aguardadas excepções, possamos dizer...

Bruno de Carvalho, nunca mais!

 

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

O Rumo Certo Para O Sporting... "Na Minha Opinião"

 

O que, na minha opinião, deveria ser o projecto Sporting...

Escrevo como apaixonado por este meu amor, estas camisolas verde e brancas que me fazem sonhar desde que me lembro de mim.

O projecto do Sporting, no futebol, deveria assentar em dois pólos:

Formação e contratações pontuais.

Isso acarretaria que talvez estivéssemos, mais uma mão cheia de anos sem ser Campeões, no entanto, traria o Clube para uma dimensão, que julgo pudesse ser de referência no Futebol Português e Mundial.

Reparem na Selecção Portuguesa e na quantidade de jogadores que se formaram em Alvalade e que de lá saíram sem retorno desportivo, ou em grande parte dos casos, em ruptura com a estruturas dirigentes...

Patrício, Cédric, Mário Rui, José Fonte, William, Adrien, João Moutinho, João Mário, Ricardo Quaresma, Gelson Martins, Beto, Cristiano Ronaldo.

Poderia acrescentar Pepe que jogou em tenra idade na equipa principal, no tempo de Boloni, ou aqueles que ficando de fora, marcaram um período na Selecção como Miguel Veloso ou Nani.

O Sporting é isto, nas últimas décadas, um viveiro incrível de talento desaproveitado, criado com a maior cautela, para brilhar em outros Clubes...

Será que o problema estará nos jogadores?

Podemos recuar a Figo...

Tenho mesmo de escrever?

Ou Simão...

Bem são incontáveis os casos, incontáveis as histórias, inenarráveis as consequências.

O Sporting tem na sua formação, apesar de depauperada pela gestão de Bruno de Carvalho, Virgílio e Inácio, alguns excelentes jogadores, Miguel Luís, Max, Dani Bragança, Matheus Pereira, João Palhinha, Thierry Correia, Elvis Baldé, Pedro Marques e espero que ainda Rafael Leão...

O caminho, o único que aceito como bom, até porque nunca foi experimentado, será o de apostar firmemente na formação, dando espaço e tempo a estes miúdos para crescerem, sendo contratados por época um ou dois grandes jogadores, de valor indiscutível...

Não compramos mais.

Os meninos da formação serão remunerados de acordo com a sua evolução, sendo ponto de honra que é mais importante renovar com um dos nossos, do que gastar Milhões em contratações...

A curto prazo esta política poderá ter custos elevados, pagando o clube as dores de crescimento, no entanto, ao fim de uns anos, este tipo de projecto poderá mudar o destino do Clube e recolocá-lo no patamar que todos desejamos e do qual tem estado arredado.

Olhem para os nomes da Selecção Portuguesa e imaginem o onze do Sporting...

Mesmo sendo impossível manter Cristiano Ronaldo, adiando a sua venda, certamente que esta iria ser muito superior a 15 Milhões.

Deixo aqui a minha ideia para o futuro deste nosso Sporting, a minha querença maior...

Que venham os candidatos para mudar o destino do Leão.

Viva o Sporting

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

Não Sejas Inácio...

 

Não sejas Inácio...

Esta frase celebrizada num anúncio televisivo na Benfica TV, nunca foi tão apropriada.

Muitos Sportinguistas sacralizam Augusto Inácio pelo célebre titulo de 99/00, terminando assim com um jejum de 18 anos...

O Presidente da altura era um croquete, convém não esquecer.

Tenho de fazer uma declaração de interesse:

Sempre fui grato a Inácio por esse seu trabalho, estando ao lado dos muitos que consideraram que o seu despedimento se tratava de uma imensa injustiça.

Convém recordar que quem o iria substituir era José Mourinho.

Quando Bruno de Carvalho se candidatou à Presidência do Sporting, nem o apoio de Inácio, esse trunfo eleitoral, me fez acreditar no projecto, na capacidade daquela lista ser o melhor para o "meu" Clube.

Sempre respeitei o seu passado e a sua história, dando como certo o seu desinteressado amor pelo "nosso" Sporting.

Infelizmente tenho que rever essa minha posição, pois é para mim extremamente difícil de compreender, a posição adoptada pelo actual Director Desportivo, assinando um contrato com o Clube a poucos dias de uma Assembleia Geral, que toda a gente sabia ter uma alta percentagem de destituição para anterior Presidente.

Mais...

Participando em contratações milionárias e sem qualquer nexo, como foram Viviano e Mihajlovic.

E se não me enganar a intuição, esperando intensamente que falhe, antevejo que os cinco anos de vinculo no seu contrato, não serão inocentes mas uma forma de garantia para um chorudo acordo.

Será esta uma atitude de Leão?

Será este um gesto defensável para uma glória que um dia trocou o Sporting pelo F.C. do Porto?

Com tantas dúvidas e incertezas é de facto muito apropriada a frase:

Não sejas Inácio!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

O Regresso de José Peseiro...

 

Nunca vi o Sporting jogar tão bem, como aquele Sporting de Peseiro em 2004/2005, onde conseguiu chegar à disputa do titulo nas últimas jornadas, num desfecho Paraty, e à final da Taça Uefa em Alvalade, final essa que me escusarei comentar, tal a tristeza que ainda hoje guardo em mim.

José Peseiro regressa à casa de partida, volta ao lugar onde tudo pareceu brilhante, imensamente perfeito.

Infelizmente para Peseiro e para os Sportinguistas não foi assim...

Perdemos o titulo, fugiu a Taça Uefa e sobrou tristeza, amargura, resquícios de contestação que acabariam por se manifestar no inicio da época seguinte, levando ao despedimento do treinador e ao fim da linha para a direcção que o apoiava, liderada por Dias da Cunha.

Por razões que me abstenho de aqui referir, estive com Peseiro no inicio da época de 2005/2006, na Academia de Alcochete, e logo ai tive a noção de estar diante de um homem em fim de linha, sem capacidade de liderança no grupo de então, submerso em fantasmas inultrapassáveis...

No entanto, reconheço a Peseiro essa imensa virtude de colocar as suas equipas a jogar um futebol atraente, sedutor, mas infelizmente não vencedor.

Para os jovens de Alvalade, sobra mesmo assim, uma certeza importante...

Peseiro não tem receio de apostar na formação, antes pelo contrário, que o digam João Moutinho, Nani ou André Silva.

Essa virtude ninguém a poderá contestar.

Nunca escolheria José Peseiro, sendo que muito provavelmente, qualquer um desses nomes que desejava, rejeitariam ingressar no "meu" Sporting, neste momento.

Espero que Peseiro seja feliz, tão feliz como a esperança Leonina presente em meus sonhos, esses mesmos sonhos que fazem parte deste sentir da minha alma.

Para terminar, referir apenas, este pequeno facto que me deixou deslumbrado:

Aeroporto de Riade, Arábia Saudita, no centro da cultura Sunita, radicalmente Islâmica, num mundo conservador sem medida...

"Jesus, Jesus, Jesus!" Gritavam em loucura os milhares que aguardavam Jorge Jesus, o novo treinador do Al-Hilal.

Em terra de Sunitas, uma multidão gritando o nome de "Jesus"...

É obra!

Só mesmo o Jorge Jesus.

Viva o Sporting

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Voltei a ter 14 Anos...

 

Tenho novamente 14 anos...

Novamente feliz, esperançoso, crente em ti, por ti, sempre por ti.

Tinha saudades de assistir a uma conferência de imprensa do Sporting e sentir estas "coisas", há muito, afastadas do "meu" clube.

José de Sousa Cintra, o Presidente da minha adolescência, que me fez sonhar vezes sem conta, crer desmesuradamente a cada inicio de época, sentindo essa esperança tão nossa.

Cintra volta a prestar um serviço inigualável ao "seu" querido Sporting, de maneira despretensiosa, apenas com esse amor que todos lhe reconhecemos...

Nem todos, mas esses serão "Judas" sem qualquer relevância.

Cintra fará tudo para resgatar os jogadores que rescindiram, assim como num Mercedes branco, percorreu a antiga Jugoslávia, para tentar contratar Darko Pancev...

Como invadiu uma reunião do Zamalek para contratar Amunike ou em pleno Campeonato do Mundo dos Estados Unidos adquiriu Naybet.

Cintra dará tudo por nós, fará tudo para que possamos vencer.

E nas suas palavras, nessa crença de que seremos campeões, volta a sorrir o simples adepto Leonino, mesmo que nos chamem malucos, como o próprio Cintra referiu...

Mesmo assim, sabe bem voltar a ter alguém do bem, ao leme dos destinos do "nosso" Sporting.

Sabe mesmo bem.

Viva o Sporting

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

O Cotovelo... Do Professor Queiroz!

 

Carlos Queiroz portou-se neste jogo contra Portugal, na Rússia, como no divã do seu psicanalista, expiando em gestos e por palavras, todas as frustrações e fantasmas que dentro de si devem habitar.

O seu comportamento no banco de suplentes, raiando em alguns momentos o estilo rufia, provocando e gesticulando alucinadamente, revelou o quão importante era este jogo, para o Senhor professor...

Este jogo contra a Nação Lusitana e principalmente contra Cristiano Ronaldo.

O ressabianço, palavra que me parece encaixar no perfil do dito Senhor, fica claro na conferência de imprensa após o jogo, onde se deleitou caracterizando as tremendas injustiças sofridas pelo "seu" Irão...

Cristiano deveria ter visto vermelho, disse uma vez, duas vezes, três vezes...

Infinitas vezes.

O cotovelo de Ronaldo, o cotovelo de Cristiano, o cotovelo...

Os pénaltis que ficaram por marcar contra Portugal e o que dirão dele neste nosso País.

Tantas e tantas frases, todas elas impregnadas de raiva e ódio, de alguém que sente não ter sido feita justiça ao seu mérito e passado.

Infelizmente para Carlos Queiroz, a sua comunicação sempre atraiçoou os seus desejos, o seu trajecto ficou sempre aquém dos sonhos que almejava.

No entanto, nem Ronaldo, nem o País têm culpa disso, por muito que isto possa custar ao treinador do Irão.

E no meio de tamanha agitação, de palavras amarguradas, de provocações, como aquela de ir falar com João Moutinho, antes de este entrar...

No meio dessas pequenas artimanhas, fica a certeza de que o único cotovelo que realmente apareceu neste jogo do Campeonato do Mundo, foi o do Professor Queiroz...

Uma tremenda dor de cotovelo.

 

 

Filipe Vaz Correia