Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

09
Jun20

O Meu Tributo A Mário Centeno...

Filipe Vaz Correia

BC93DC6E-2D1D-43E1-BB2B-8F0392EAD82C.jpeg

 

Mário Centeno demitiu-se do Governo, algo anunciado, infelizmente anunciado.

Para somar a esta triste notícia, assistimos à despedida do mesmo Centeno, por entre, uma conferência de imprensa com o Primeiro-Ministro, o futuro Ministro das Finanças e onde também se falou de hipermercados, Estados de Calamidade ou Covid-19...

Mário Centeno merecia mais. 

Em Fevereiro de 2017 escrevi um texto, Centeno Ou Sem Tino, onde analisava o Ministro das Finanças e onde deixava algumas dúvidas sobre o futuro político de Mário Centeno.

Desde essa altura que fui apreciando o seu papel, a sua capacidade para gerir o dinheiro público e o responsável pelo primeiro superávit da História democrática.

Mário Centeno foi Ministro durante 1664 dias e Presidente do Eurogrupo quase 1000 dias, com os resultados que todos conhecem, tanto internamente como a nível Europeu.

Num tempo onde a acção do Ministério das Finanças será absolutamente fundamental, não é estranho o País trocar de titular dessa pasta?

Que razão poderá ter levado Centeno a este bater de porta?

Mário Centeno aparentava, há muito, incompatibilidades com diversos sectores do Governo, a ala mais à esquerda encabeçada por Pedro Nuno Santos e Graça Fonseca e nos últimos tempos até com o Primeiro-ministro António Costa.

Com a chegada dos Milhões de Milhões vindos da União Europeia, talvez a veia Socialista tenha crescido dentro do Conselho de Ministros, com a sede despesista que sempre marcou os Governos de esquerda e que foi contrariada ao longo da anterior legislatura precisamente pelo próprio Centeno.

Por esta razão, não só por essa, lastimo a saída de Mário Centeno, um Ministro das Finanças que muito me surpreendeu pela positiva.

Sendo um eleitor de Direita, não posso deixar de expressar o quão apreciei a obsessão de Mário Centeno pelas contas certas e o esforço que deve ter sido necessário para justificar essa decisão dentro de uma Geringonça apoiada pela esquerda radical.

Com esta saída do Ministro das Finanças, duas coisas poderemos ter, quase, como certas...

Mário Centeno deverá ser próximo Governador do Banco de Portugal, tem mais do que competência para o ser, e este Governo ficará fragilizado com esta saída do Terreiro do Paço.

Atenção que as noticias que nos chegam alertam para a saída do Secretário de Estado Mourinho Félix, aquele que verdadeiramente foi o homem de confiança de Mário Centeno, durante estes 5 anos de mandato.

Para terminar deixar um pedaço de adivinhação, nesse futuro carregado de imaginação...

Será que Mário Centeno busca a Governação do Banco de Portugal para mais tarde ser candidato à Presidência do Banco Central Europeu?

Daqui a alguns anos saberemos a resposta.

Por agora...

Obrigado e um abraço, Sr. Ministro Centeno!

 

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

23
Jul19

Centeno E O FMI: Ir Para Fora Cá Dentro?

Filipe Vaz Correia

 

O FMI quer levar Mário Centeno...

E ninguém para levar o Bruno Fernandes?

Atenção que eu gosto desmedidamente do Capitão Leonino.

Voltemos a Centeno...

O FMI parece ser o destino do "nosso" Mário, o Ministro das Finanças que tem feito brilharetes por essa Europa fora, cumprindo metas e deficits como há muito não se via.

António Costa vai acumulando os elogios ao seu "Ronaldo" num gesto agregador que contribui para o "suposto" curriculum do seu Governo.

Já aqui admiti que Mário Centeno me surpreendeu, pois jamais esperei que aquele senhor "apatetado", que confundia números na campanha eleitoral se transformasse no homem forte de uma Geringonça, capaz de açaimar PCP e BE.

Enfim...

Este Centeno é uma caixinha de surpresas.

Agora, depois do Eurogrupo, está numa shortlist para liderar o FMI, o mesmo FMI de que tantas vezes, tantas vezes com razão, disse mal.

Ao ouvir e ler a opinião de vários comentadores políticos, não posso deixar de me preocupar...

Pois se já desconfio desta Geringonça, como fica espelhado na miséria de trabalho no SNS, como encarar o futuro sem o travão Centeno aos desmandos Socialistas, aos ímpetos de extrema esquerda que se escondem nesta coligação encarnado e rosa.

Ao ouvir nomes como Elisa Ferreira para substituir Centeno, admito que estremeceu aquela parte de mim que ainda se recorda do papel da dita Senhora no Governo despesista, perdão Guterrista, que nos guiou em finais do Séc.XX.

Arrepiante...

Elisa Ferreira?

Também ouvi Vieira da Silva...

A sério?

Até Mourinho Félix...

O nome que mais me agradou, em primeiro lugar por ser primo do José Mourinho, algo que pelo menos deixa um laivo de esperança, depois pelos 4 anos de trabalho, como braço direito do actual Ministro das Finanças.

De qualquer das maneiras não estou satisfeito com esta possibilidade, pois já conformado com a vitória Socialista, temo que tenhamos que viver com um Costa em roda livre, acompanhado do "bolchevique" Pedro Nuno Santos e sem ninguém que possa, por um momento, refrear os ímpetos gastadores dos Jovens e Velhos "Turcos".

Centeno pode não ser o melhor do mundo, mas sem ele...

Temo um regresso das festas Socialistas.

Ou seja, acabaríamos por voltar a ter Centeno, como Chefe do FMI.

Olha...

Afinal o Centeno é capaz de ir para fora, ficando cá dentro.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

04
Dez17

O Centeno Na Europa!

Filipe Vaz Correia

Mário Centeno foi eleito, o novo, Presidente do Eurogrupo...

O País em festa, não me parece, mas razões não parecem faltar ao Governo de António Costa, pelo reconhecimento da competência do seu Ministro das Finanças.

Já aqui escrevi, num post anterior, que não acreditava que o Primeiro-Ministro Português arriscasse lançar o nome de Mário Centeno, sem ter garantido um conjunto de votos que lhe permitisse, pelo menos, ter uma noção de favoritismo...

E isso confirmou-se.

Esta eleição de Mário Centeno para o Eurogrupo traz vantagens para Portugal, pois exercendo este cargo, acredito que as hipóteses de entrarmos em qualquer aventura despesista ou descontrolo eleitoralista, estará sempre controlada, não só mas também, pelo novo cargo que ocupará o nosso Ministro das Finanças.

Por outro lado teremos também acesso a plataformas que anteriormente seriam inacessíveis, como por exemplo, a presença do Presidente do Eurogrupo como representante da U.E no G7, permitindo assim uma visibilidade e conhecimento que de outra forma nos eram vedadas.

Permitirá ainda participar de maneira mais intensa nas reformas que certamente existirão na nova arquitectura do Euro e de todo o sistema financeiro Europeu.

Estamos assim perante uma vitória de António Costa e de Mário Centeno, que na minha modesta opinião, é mesmo a peça central deste Governo...

Sem este Ministro da Finanças, tenho muitas dúvidas que esta Geringonça ainda andasse nos trilhos.

 

 

Filipe Vaz Correia

30
Nov17

Ronaldo No Eurogrupo?

Filipe Vaz Correia

 

O Governo de Portugal anunciou hoje que Mário Centeno, Ministro das Finanças, é candidato à Presidência do Eurogrupo.

Há muito que se aventava esta possibilidade, servindo de mote a muitas especulações em torno da figura do Ministro Centeno...

Segundo consta, Mário Centeno é mesmo apontado como o grande favorito ao lugar, reunindo apoios de Governos como o Alemão, o Italiano, o Espanhol, não se sabe a posição Catalã, e o Francês.

O Ronaldo do Eurogrupo, parte assim da Pole Position para assegurar este lugar em Part-Time, cargo que agora parece muitíssimo valorizado em Lisboa.

O papel de Centeno no Governo Português sempre me pareceu de valor, pois acredito ser dele o esforço maior para controlar os ímpetos Comunistas, Bloquistas e até Socialistas, num equilíbrio difícil, para manter as contas públicas em ordem, mesmo diante os variados desejos da Esquerda Nacional.

Este último Orçamento será o que me parece mais complicado de cumprir, aquele em que o Ministro das Finanças terá mais cedido, no entanto, não deixo de admitir que ao fim deste período de mandato, Centeno superou em muito as expectativas que nele depositava.

Acima de tudo, quero acreditar que para avançar com esta candidatura, António Costa terá garantido a eleição de Mário Centeno ab anteriori, pois caso saia derrotado, isso implicaria uma pequena humilhação para aquele que será aos olhos de muitos, o mais importante membro desta Gerigonça.

Assim, aguardemos o resultado desta eleição, para percebermos se o Ronaldo das Finanças, poderá ou não brilhar além fronteiras.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

24
Mai17

Centeno: O Ronaldo Do Ecofin!

Filipe Vaz Correia

 

Se alguém escrevesse há um ano atrás que Wolfgang Schauble algum dia diria que o Ministro das Finanças, desse Governo extremista Português, era o Ronaldo das finanças, certamente que seria trucidado por todos.

E não é que um ano e tal depois de tomar posse, os números do deficit apresentados, aliados à trajetória do crescimento do PIB e até os pagamentos antecipados ao FMI, descrevem uma reviravolta nesse triste fado imaginado para o nosso Portugal...

Mário Centeno emerge neste panorama, como o craque que faz a diferença, a mente brilhante por trás do plano e que o executa de forma magistral, como se de um remate à meia volta, do nosso CR7, se tratasse.

Já todos se esqueceram dos SMS, a Direita inclusive, pois o que importa ressalvar é a enormíssima vitória que Portugal tem granjeado por estes dias de elogios e celebração...

Sendo um conservador, sempre olhei para este Governo com desconfiança, apesar de não suportar a espécie de Tea Party rezingão em que Passos Coelho transformou o PSD, no entanto, tenho de admitir que estou deveras surpreendido com o trajeto desta Governação.

Uns dirão que foi mérito ou trabalho e outros ainda que foi sorte, em qualquer um dos casos, parece-me muito bem...

Se foi trabalho, visão ou mérito então extraordinário, comprovando aquilo que sempre me pareceu, pois nunca percebi este caminho de alternativa única, perpetrado pelo anterior Primeiro Ministro, no entanto, se foi sorte melhor ainda, pois nada melhor do alguém com sorte para assegurar um futuro auspicioso.

Dir-me-ão que a sorte não dura para sempre, no entanto, existem outros provérbios que podem desmentir esse mesmo dito popular:

A sorte protege os audazes, por exemplo.

Ou mesmo, a fortuna histórica do intemporal Gastão, personagem da Disney, que certamente nunca seria envolvido nestas coisas do deficit excessivo.

Assim desfrutemos de um Ministro das Finanças que aparentemente sabe fazer contas e se na verdade, até Wolfgang Schauble o diz, quem somos nós para contrariar...

Se o País estava na moda com um Ronaldo, imaginemos agora com dois.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

  • Filipe Vaz Correia

    Meu querido JB...Uma desilusão.A direita a precisa...

  • Filipe Vaz Correia

    Minha querida BC...Um beijinho do tamanho do mundo

  • Filipe Vaz Correia

    Minha querida BC...Um beijinho

  • BC

    Que tenhamos sempre os nossos sonhos espero que e...

  • BC

    Como diria Sophia, "amigo é quase a melhor palavra...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Novembro 2020

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D