Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

14
Jun19

John Stewart: O Comediante Que Virou Estadista...

Filipe Vaz Correia

Quando, por estes tempos, a minha crença diminui em relação a esse imenso País, Estados Unidos Da América, existe sempre algo ou alguém que me recorda porque razão tanto me inspira a cultura Americana.

Mesmo com Trump, com essa espécie bacoca e boçal de pensamento, perdoem-me pela palavra pensamento, sobrevive na estrutura Institucional ou na sociedade Americana uma força maior que contagia, enobrece, recorda a todos os valores maiores que importa resguardar.

John Stewart, o comediante que durante anos apresentou o Daily Show, apresentou-se diante do Congresso num gesto resgatador de uma certa dignidade, por vezes perdida nos meios políticos, nos bastidores da alta roda política.

As palavras de John Stewart desmascarando os Congressistas ausentes e ao mesmo tempo dando voz aos esquecidos socorristas do 11 de Setembro, muitos deles moribundos, esventrados pelo cancro em virtude das suas acções heróicas nesse dia, abanaram os alicerces apodrecidos de um hipócrita Status Quo sediado em Washington.

Aprovar cortes nos apoios e pensões destes homens, em nome de orçamentos ou planos económicos da Nação, é o espelho final de uma sociedade desmemoriada e desprovida de valores.

As palavras de Stewart emocionaram-me, tocaram o meu sentir, num misto de indignação e orgulho, de revolta e contentamento.

Nada está ou estará perdido com exemplos como este, com gente que se levanta e grita não perante os abusos perpetrados por uma pequena elite, canalha, ridícula e sem dimensão para representar a Nação.

Os medíocres de hoje que não respeitam os heróis de ontem, nem se interessam por construir um futuro melhor.

Sem humor mas igualmente brilhante, John Stewart ousou nos recordar que vale sempre a pena lutar, sem medo, por aqueles que, de entre nós, foram especialmente maiores.

Thank You!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

30
Mai19

120 Milhões Por João Félix?

Filipe Vaz Correia

 

O defeso ainda agora começou e já se assiste a notícias em catadupa, loucos relatos em relação a alguns jogadores.

Um deles é João Félix, jovem jogador do Benfica que inunda as manchetes dos jornais com especulação variada e na maior parte dos casos, sem nexo.

Mas alguém poderá acreditar que algum clube pagará 120 Milhões por um jogador de 19 anos sem qualquer tipo de "gabarito" na alta roda do Futebol Mundial?

A sério?

Das duas uma...

Ou estas notícias serão completamente falaciosas ou o Clube que cometer tamanha loucura estará, certamente, carregado de incompetentes.

Na altura em que se fala na contratação de Éden Hazard pelo Real Madrid, por 100 Milhões, acreditar que alguém poderá despender 120 Milhões por João Félix não deverá passar de um assomo clubista com o intuito de valorizar o "produto".

Direi mais...

Este tipo de notícias prejudicarão em primeira instância o próprio João Félix, carregando este jovem jogador de uma pressão absolutamente desnecessária.

Não está em causa o valor do jogador que, importa salientar, acredito ter um futuro risonho.

Vejo em João Félix características únicas, muito similares ao "pequeno" João Vieira Pinto, não apenas na capacidade técnica mas também na capacidade de fazer golo, muito importante para a posição que ocupa.

Esperemos pelo desfecho de mais um defeso, acreditando seriamente que acima de 50 Milhões, tudo o que puder ser escrito, não passará de publicidade gratuita de carácter duvidoso.

E para isso basta ir a um quiosque e comprar A Bola ou o Record.

Enfim...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

17
Mai19

Estão Todos Contra o Comendador Berardo?

Filipe Vaz Correia

 

Também é má vontade...

Então agora querem retirar as condecorações ao "queridissimo" Joe?

Então o senhor Comendador deixará de ser chamado Comendador?

Meus amigos tudo tem limite...

Que o "nosso" estimado Joe Berardo, esse "filantropo", possa ter cometido um ou outro erro poderá até corresponder à realidade, que esses erros possam ter feito desaparecer umas centenas de milhões de Euros em seu proveito, poderemos concordar, no entanto, amesquinhar uma pessoa idosa tentando lhe sonegar um título tão precioso, já me soa a tremenda injustiça.

Mas neste tempo de grande revolta, onde se procuram culpados para as agruras do País, não se olha a meios e injustiças, como fica bem patente neste caso.

Daqui a pouco, os credores irão querer ficar com os quadros do tão simpático Comendador...

Que injustiça.

Esta Sexta-feira saberemos o desfecho deste caso das condecorações, pois o "dinheirinho" será bem mais difícil de resgatar.

Tenha calma caro Comendador, olhe que ainda existem celas disponíveis no Estabelecimento Prisional de Évora...

Essa bela terra Alentejana.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

23
Abr19

Meu Caro Joe Berardo...

Filipe Vaz Correia

 

Meu querido Joe...

Não posso deixar de lhe escrever, com a certeza de lhe enviar a minha solidariedade, nesta perseguição que lhe é feita.

Então o meu querido amigo, passa uma vida a escavar terra em busca de diamantes, investe em obras de arte para as colocar ao serviço da mui nobre Nação...

E é assim que lhe agradecem?

Tudo bem que o senhor pediu um ou outro empréstimo, que as somas desses empréstimos deverão rondar as centenas de Milhões de Euros, no entanto, ninguém consegue prever o infortúnio.

Que culpa tem o meu caro amigo, das crises financeiras ou das derrocadas bancárias?

E agora...

Agora que o caro Joe está completamente na "pobreza", apenas com uma garagem para viver, aliam-se bancos e instituições para o processar...

Que vergonha!

Assim, receba estas minhas palavras como forma de apoio nestes tempos carregados de "injustiça".

Para terminar...

Se fosse possível dar-me o contacto do gerente bancário que lhe arranjou os ditos empréstimos, ficava grato, pois tenho umas "acções" para comprar...

E já agora...

Fiador?

Pode ser?

Um abraço solidário...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

01
Mar19

"SRD": Sindicato Dos Reformados Defuntos...

Filipe Vaz Correia

 

Durante uma década o Estado andou a pagar reformas a contribuintes que haviam morrido...

Ora bem, cai por terra a teoria que assegurava não existirem contribuintes satisfeitos.

Acredito que não plenamente satisfeitos, visto se encontrarem defuntos, no entanto, do ponto de vista meramente económico, talvez, esta seja a única maneira de ressarcir um cidadão, de uma vida de exploração fiscal.

Perdão...

Contribuição fiscal.

4 Milhões de Euros, foi quanto se mediu ter gasto o Estado neste tipo de pagamentos, uma soma avultada entregue a Portugueses que, há muito, "emigraram".

De qualquer maneira, não deixa de ser irónico, olhando para os desmandos do Estado que fomos tendo conhecimento ao longo dos tempos, que esta despesa seja, mesmo assim, aquela que considero menos escandalosa.

Prefiro pagar reformas a alguns Portugueses, já mortos, do que alimentar quadrilhas e compadrios, como aqueles que saltam para as manchetes dos jornais.

Sendo assim, quase que se justificaria um Sindicato para gerir as reivindicações e os direitos de tantos interessados, pois mesmo finados, parecem contar para a Economia Nacional.

Enfim...

É o que temos.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

20
Set18

Qual É O Preço De Um Migrante?

Filipe Vaz Correia

 

Que Europa é esta para a qual caminhamos?

Admito que já fui terrivelmente crente na União Europeia, num tempo distante, onde pareciam existir passos e espaços que davam sustentação a um ideal Europeu comum.

Com o passar do tempo, esse rumo parece ter se perdido, com vozes cada vez mais dissonantes no aspecto de integração e Humanismo, expectável desde o começo desta longa aventura.

Ouvir falar sobre uma proposta de pagamento de Migrantes, ou seja vidas, será certamente de uma obscenidade atroz, no entanto, reveladora do estado medíocre em que se encontra a cena política.

Países que não querem receber os ditos Migrantes estariam dispostos a pagar para que outros os recebessem, num leilão de preços inenarrável.

O Primeiro-Ministro do Luxemburgo logo veio a terreiro, exclamar em suas palavras o que também na minha alma se liberta...

"Estamos a falar de pessoas, não de tapetes nem de bens!"

De facto.

Se chegarmos a este ponto, da negociata com vidas Humanas, sem censura dentro das instâncias Europeias então cederemos perpetuamente ao pequeno aspecto miserávelista do Ser.

Não podemos ser Humanos, sem esta espécie de vergonha e censura daquilo que é desumano.

Esperemos por um futuro melhor.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

18
Set18

Cristina Ferreira: A Princesa Diana Portuguesa?

Filipe Vaz Correia

 

Não gosto nem desgosto da Cristina Ferreira...

Posso mesmo dizer que me encanita o estilo, meio saloio, mas agrada-me a genuinidade com que se apresenta, com que parece enfrentar os desafios que se lhe deparam.

Gosto do carácter, da ligação emocional que cria através do olhar e lhe parece granjear uma multidão de seguidores.

Não sou de escrever muito sobre estas questões do entretenimento, se excluirmos a nossa classe política deste escalão, no entanto, o chorrilho de disparates ressabiados que se tem ouvido sobre a transferência em si e o dinheiro que a mesma envolve merecem de mim um singelo reparo...

Mas o que têm as pessoas a ver com isso?

A "jovem" Cristina vai trabalhar para uma empresa privada, paga a peso de ouro, assim como outros que fazendo bem o seu trabalho retribuem ao seu empregador cada cêntimo em si investido.

Uma estratégia de uma empresa privada que certamente prevê lucrar com o talento de uma criadora de audiências e programas.

Por mim que seja feliz.

Apenas um comentário:

Ao ver a sua entrevista no Jornal da Noite, não pude deixar de notar uma comparação que talvez seja um pedaço "exageradinha"...

Comparar a sua saída da TVI à morte da Princesa Diana, é mais ou menos como comparar a Volvo Ocean Race aos Descobrimentos Portugueses.

Aqui a minha querida pôs-se a jeito...

Excedeu-se.

Quanto ao resto e saloiices à parte esperemos por mais um capitulo de Cristina by Cristina.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

25
Jul18

As Dívidas Da Juve Leo...

Filipe Vaz Correia

 

A Juventude Leonina deve um milhão de euros ao Sporting Clube Portugal...

Isto existem injustiças intoleráveis.

Então este grupo de meninos travessos, sempre dispostos a acompanhar o seu líder, gritando e vociferando as palavras de ordem escritas no gabinete Presidencial, qual guarda pretoriana de um ditador Romano...

"Perdão a todos os ditadores desse império que tanto marcou a História Mundial."

Então mesmo depois de perseguições em nome da Nação Bruniana, dos uivos permanentes louvando o "pequeno líder", mesmo depois das esperas a Rui Patrício na garagem do Estádio de Alvalade, das tochas contra o guarda-redes Leonino, no jogo com o Benfica no "nosso" Estádio, da invasão a Alcochete para um "Tau tau" aos jogadores...

Mesmo assim ninguém lhes perdoou essa singela quantia?

Um milhão de euros não davam para pagar uma perna do Alan Ruiz e as suas inquestionáveis comissões...

Que tamanha ingratidão.

Eu caso fosse um devoto membro da claque, sempre disposto a zurrar a plenos pulmões esse encantador mundo Brunista, olharia para esta atitude com imensa tristeza...

Mas fica a certeza:

As claques, na sua maioria, são braços armados daqueles que monopolizam o poder nos Clubes, desvirtuando o ideal para o qual foram constituídas.

Olhemos para o exemplo Inglês e sigamos o rumo...

Acabemos com as claques.

Sem mais...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

23
Jul18

O Que Mais Irritará Otelo Saraiva De Carvalho?

Filipe Vaz Correia

 

Estava a caminho do Pingo Doce, no Campo Pequeno...

Depois de uma tarde espectacular a banhos, quando me deparo com uma glamorosa multidão, um sem número de "empregados de mesa", munidos de vinho fresco e croquetes, (perdoem-me alguns Sportinguistas), envolvidos numa gigantesca e frenética quantidade de pessoas.

Espantei-me, não deixando de apreciar o momento e até desejar que algum desses "criados" se cruzasse comigo, pois apesar do calção de banho e camisa desportiva, existia em mim a esperança de que os meus olhos pequenos, quase rasgados, pudessem convencer, com sorte, os generosos anfitriões de que também eu fazia parte daquela "festa".

No entanto, o que me chamou mais a atenção foi o facto de todos aqueles convidados serem Chineses, ou qualquer coisa assim do género, excluo serem Japoneses, pois reconheço um Japonês em qualquer parte do mundo...

Talvez a sua nobreza?

Género Samurai...

Ou reconhecer em cada um deles, um Mr. Miyagy?

Não sei!

Para mim eram todos Chineses num imponente evento, denominado:

"Prudential Gala Dinner".

Segui a minha vida...

E por entre, o vinho Planalto, o Porto Offley, os camarões cozidos ou o gelado de framboesas, uma expressão surgiu na minha mente:

O que mais irritará Otelo?

A Reinauguração do Campo Pequeno, citando as palavras de Alberto João Jardim:

" Otelo, querias meter toda a direita Portuguesa no Campo Pequeno, pois bem, hoje estamos cá todos."

Ou ter o Campo Pequeno invadido por milhares de Chineses, cidadãos de um País Comunista, (perdão emocionei-me...), vestidos como se estivessem numa entrega dos Óscares, aproveitando ao máximo aquilo que o Capitalismo selvagem lhes tem oferecido?

Adorava saber...

O que mais irritará Otelo Saraiva de Carvalho?

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

 

  

16
Ago17

Luanda: Entre a Miséria E O Luxo!

Filipe Vaz Correia

 

A realidade de Luanda reflecte um pouco a triste caminhada de um País desencontrado, entre a miséria e o luxo, entre a pobreza e a ostentação.

Com o aproximar das eleições, uma reportagem da RTP, demonstra a saciedade o estrabismo esquizofrénico escondido por entre os condomínios luxuosos da baía de Luanda, com o preço mais caro do mundo por metro quadrado e os bairros de lata que envolvem o resto da cidade.

A ilha de ostentação reservada para os membros pertencentes à oligarquia do regime, contrasta com a miséria destinada ao cidadão comum, incapaz de se libertar do jugo familiar que controla aquele País.

As eleições Angolanas serão, como se espera, fraudulentas, uma espécie de farsa que guiará ao poder João Lourenço, como sucessor de José Eduardo dos Santos, à frente dos destinos do MPLA...

E consequentemente, à frente dos destinos da nação.

O poder manter-se-á assim na mesma, com os mesmos, para os mesmos...

Mais do que sinalizar uma realidade contrastante, que todos adivinhávamos, a reportagem emitida pela Televisão Portuguesa, tem como virtude desmascarar aqueles que afectos ao regime, entendem desmentir a verdadeira corrupção, que tomou há muito conta daquele País.

As duas faces de Luanda, são o resultado de anos e anos de poder imposto pelo MPLA, pela cúpula aparelhista que ostenta os dólares do petróleo em seu beneficio e que controlando as forças armadas, guia os destinos daquela pátria a seu belo prazer.

Nada mudará após estas eleições, nada será diferente com esta aparente mudança de lugares, pois o poder permanecerá centralizado na mesma família.

Assim, viajando por entre as faces de Luanda, por entre as diferenças gigantescas que ali se vivem, podemos constatar, o quão falhado se tornou o processo de independência Angolano...

Pois de livre e independente, pouco ou nada, se deve sentir aquele povo.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Dezembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D