Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

14
Fev20

Dia do "Amor"

Filipe Vaz Correia

 

Amar, amor, amantes...

Neste dia dos Namorados, nesse celebrar de novos tempos, comerciais tempos, sobra a essência do espírito da coisa, desse entrelaçado sentir que se traduz naquela que será a maior busca de um Ser Humano...

O amor!

Como caminhar, passo ante passo, por esse destino, vida, procurando uma alma com quem partilhar a caminhada, alguém que no olhar traduza pedaços de um sentir que complete o puzzle, que envelheça connosco, se disponha a cumprir a incompleta história de cada um.

Nem sempre o amor são corações cor de rosa, borbulhas sentidas no estômago ou cupidos de setas apontadas nessa felicidade prometida, porém, acreditar nessa promessa é o destino da destinada poesia, desse amor trágico que por vezes irrompe, desse amar intenso, imenso, desmedido, que nem sempre chega e por vezes chegando...

Chegando se torna amargo, amargando a amargura salgada de uma onda arrebatada.

Um beijo ou um abraço, um toque ou um afago, um olhar ou uma melodia, singelamente disfarçados em poesia, por entre, as promessas eternas de amor.

Amor não tem dia, nem hora...

Como disse Cazuza:

"Amar é agora!"

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

13
Fev19

Por Amor...

Filipe Vaz Correia

 

 

 

Por amor...

 

Palmilho todas as terras;

Voo por entre os céus,

Percorro rios e serras,

Sem medos ou véus...

 

Soletro bem baixinho;

Escrevinhando sem parar,

Segredando devagarinho,

Cada pedaço deste amar...

 

Cada parte de lágrima seca;

Tornada em flor,

Cada pétala imperfeita,

Desse entrelaçado amor...

 

Entrelaçando na esperança;

Esse querer, desatino,

Na secreta lembrança,

Nosso infinito destino...

 

Por amor...

Simplesmente Amor.

 

 

 

 

15
Fev17

Amo-te!

Filipe Vaz Correia

 

Em cada pedaço do teu olhar;

Reencontro uma parte de mim,

A cada instante, nesse teu respirar,

Resgato uma memória sem fim,

E em cada entrelaçar,

Perco-me enfim,

Nesse eterno, desejar,

Eternamente frenesim,

Que insiste em nos aprisionar...

 

De mãos dadas com o tempo;

Como no dia em que te conheci,

Naquele precioso momento,

Onde certamente me perdi,

Perdendo-me neste sentimento,

Que vive em mim, por ti...

 

Porque só assim faz sentido;

Este destino partilhado,

Formigueiro desconhecido,

Reconhecendo emocionado,

Esse tempo, jamais esquecido,

Deste amor conquistado...

 

Conquistando eternamente,

O bater do teu coração!

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Posts mais comentados

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts destacados

Pesquisar

Calendário

Abril 2021

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub