Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Insistentemente Amor

Filipe Vaz Correia, 02.09.19

 

Queria escrever sem parar;

Sem parar de gritar,

Gritando de uma vez,

Uma vez inteira,

Inteiramente desnudada,

Desnudadamente primeira,

Sem contar com o ardor,

Desse antigo antigamente,

Sem nexo o torpor,

Repetindo novamente,

Esse bater, tambor,

Insistente, insistentemente...

 

Insistentemente amor!

 

 

 

 

 

Ensaio Poético Sobre Coisa Alguma...

Filipe Vaz Correia, 27.08.19

 

Sobe e desce sem parar;

Como se tratasse de uma montanha russa,

Num instante a viajar,

Por entre a entrelaçada angústia,

Nessa espera a esmagar,

O que sobrou da velha astúcia...

 

Sempre em busca desse encontro;

Desconhecido ou por saber,

Já descrito por reencontro,

Desencontrada forma de sofrer...

 

Sobe e desce sem parar;

Nessa estrada repleta de letras,

As palavras a soletrar,

As incertas partes de um poema.

 

 

Consigo...

Filipe Vaz Correia, 15.11.17

 

 

 

Consigo sentir-te;

Discretamente distante,

Nas asas do vento,

Contando a história,

Que há muito,

Nos uniu...

 

Consigo vislumbrar,

Esses dias,

Ausentes pinturas,

De um tempo,

Perdido...

 

Consigo descrever;

Em cada palavra,

A dor e mágoa,

Que sobreviveu,

Por nós...

 

Consigo sorrir;

Mesmo querendo gritar,

Consigo fugir,

Querendo esperar,

Por ti...

 

Consigo tanta coisa;

Que não pensava conseguir,

Guardar dentro de mim,

Todas aquelas letras,

Que outrora,

Foram nossas...

 

Consigo;

Contigo!

 

 

 

 

Pedaço De Mim!

Filipe Vaz Correia, 04.10.17

 

 

 

É tão complexa;

A incompleta imaginação,

Incerta e desconexa,

Vontade do coração,

Que deixa perplexa,

A apaixonada emoção,

Da alma reflexa,

De tão grandioso amor..

 

Tão distante,

E ao mesmo tempo presente,

Em cada instante,

E ao mesmo tempo ausente,

Asfixiante,

Imensamente quente,

Assim descrito,

Eternamente...

 

Pois amar-te;

É o melhor pedaço,

De mim mesmo.