Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

13
Nov19

O “Menino” André... No Você Na TV!

Filipe Vaz Correia

 

O André Ventura foi ao Você na TV, tal e qual como o rapaz de saias...

De facto, por vezes, os extremos tocam-se.

O “menino” André sentado no seu gabinete recebendo o Manuel Luís Goucha, nem consigo imaginar como arrepiados deverão ter ficado alguns dos seus, mais radicais, camaradas de partido.

Nesta entrevista ficámos a saber que afinal, o deputado, não é contra a homossexualidade, somente o casamento, que não se considera de extrema-direita, que se afasta da direita Alemã ou Francesa, que é capaz de atenuar posições e afagar esse lado democrático que parece nele haver.

Olha que bonito...

Pelo meio, sobraram os laivos populistas que, sendo mais fortes do que o próprio, vêm sempre ao de cima, por entre, as visitas a uma freira violada ou a castração química.

Enfim...

Agora tenho de admitir que até tem piada assistir a esta entrevista do “nosso” André Ventura com o Manuel Luís Goucha, de fato azul “berrante”, por entre, mútuos cumprimentos e simpatias.

Uns de fato e gravata, outros de saia, no entanto todos buscando o mesmo...

Um pouco de audiência para vender o seu “peixe”.

Agora é esperar pela vez da Joacine Katar Moreira.

O Você na TV no centro da vida parlamentar...

Não poderia imaginar programa mais apropriado para estes actores.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

28
Out19

A Era Da Política “Espetáculo” Ou The Show Must Go One?

Filipe Vaz Correia

 

As saias do assessor deram brado nas redes sociais, o assessor da Joacine, de saia rodada esventrando o Status Quo Parlamentar, os costumes sociais que se chocam...

Saia?

Um Homem?

Uma saia rodada?

Antecipam-se terramotos políticos nesta disputa entre uma esquerda cada vez mais radical, em contraponto com uma direita cada vez mais extremada...

Não no número de deputados mas na composição do seu elenco, pois convenhamos que contar com a presença e palpite do “mui” estimado André Ventura, trará um acréscimo de salitre ao debate.

No entanto, como devem saber, o sal é desaconselhado pela Organização Mundial de Saúde...

Por aqui passaremos a discutir as saias parlamentares, mais vezes, os gostos mais rocambolescos de um ou outro deputado da Nação, percorrendo o caminho até esse encontro com as sugeridas castrações químicas do “mestre” André, numa mistura imperceptível de ignorância trauliteira.

Discutiremos lugares e cadeiras, conversas sem eira nem beira, espectáculo teatralizado em cada gesto, em cada penacho de insatisfação que possa garantir aqui ou acolá uns “conscientes” votos eleitorais.

Antevê-se assim uma agitada legislatura, carregada de soturnas imperfeições, nomes e discussões soletrados na inovadora politiquice que grassará, por entre, as paredes daquela Assembleia da República.

Todos os Partidos, estes que agora aqui chegam ou os outros que há muito por aqui andam, irão puxar para si esse espalhafato mediático da coisa, os gritos e os holofotes do povo, da nação que urge influenciar.

Veremos quem neste tempo saberá moderar a coisa, chamar a si a responsabilidade adulta num recreio carregado de irritantes excitamentos...

Deste tempo, de saia rodada ou de mão em riste, tudo se poderá esperar, como num “circo”, num palco, onde o Show Must Go One.

Até lá...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

11
Mai19

A Vergonhosa Audição Do Comendador Pavão...

Filipe Vaz Correia

 

Joe Berardo foi ao Parlamento e saiu de lá sem ser preso, algo que a meio da audição Parlamentar, comecei a acreditar ser impossível de acontecer.

O dislate e topete com que esta personagem se apresentou diante daqueles Deputados fere a Democracia, rasga as vestes da equidade de Justiça exigida em uma sociedade, esmaga a esperança num futuro...

É, sem dúvida, a melhor forma de promoção de extremismos e radicalismos, assentes em slogans populistas que com situações destas ganham sentido e força.

A falta de vergonha com que Berardo fala da sua ausência de património mas ao mesmo tempo deixa cair a máscara, demonstrando controlar, afinal, todos os seus bens, aliada à figura patética do seu advogado tentando controlar o cliente pavão, transforma esta audição em mais um capítulo  vergonhoso da "nossa" Democracia.

"Um homem sem dívidas!"

É preciso ter "lata"....

Os contribuintes Portugueses que lhe digam quem tem estado a pagar as Suas dívidas.

Que vergonha!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

21
Out18

As "Fotografias" Da Polémica...

Filipe Vaz Correia

 

A polémica está lançada, por causa de umas quantas fotografias tiradas, aquando da captura dos três foragidos que haviam escapado de um tribunal no Porto.

Parece mentira mas é mesmo verdade...

No Jornal da Noite da SIC Noticias, deram destaque a esta situação com a intervenção indignada de Ministro e deputados, preocupadíssimos com a dignidade Humana, que parece ter sido posta em causa, neste especifico caso.

Pensei para mim:

Mas que raio fizeram aos homens?

A fotografia, do momento da captura, mostra os três indivíduos algemados, sentados no chão, enquanto aguardavam pelo transporte para a cadeia.

Será bonito?

Não!

Indigno?

Também não me parece.

O ridículo toma contornos risíveis, se a comparação não fosse abjecta, quando em plena reportagem do mesmo telejornal, se faz a comparação deste caso com o dos detidos em Abu Grahib, no Iraque...

Sinceramente, por mais absurdo que possa parecer, fizeram esta comparação, mostrando as imagens referentes a este atentado aos Direitos Humanos, aquando da ocupação Americana no Iraque, na Era Pós- Saddam Hussein.

Só para termos uma noção, aquelas pessoas estavam detidas nessa miserável prisão, despidas, torturadas, levando choques eléctricos nos seus órgãos genitais, colocados em posições humilhantes que, muitas das vezes, simulavam o acto sexual.

Vexatório demais para que um ignorante jornalista possa, por um instante, em nome de uma reportagem sensacionalista, querer usar essa memória em favor das suas audiências.

De facto, estamos a chegar ao ano zero do jornalismo, em muitos casos, fruto da reinante ânsia por polémicas.

Não esquecer que estes três detidos, faziam parte de um "gangue" violento que roubava e atormentava idosos em suas casas.

Dir-me-ão...

Isso justifica que possam ser mal tratados?

Não!

Mas foram?

Também não me parece.

Se as fotografias poderiam ter sido evitadas ou mesmo não divulgadas?

Claro que sim!

Mas fazer disto um caso de desrespeito dos Direitos Humanos...

Por favor!

Desrespeito pelos Direitos Humanos era o que estes meliantes faziam na sua actividade criminosa e é precisamente disso que os telejornais deveriam estar a falar.

Enfim...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

11
Mai18

Uma Questão de Género!

Filipe Vaz Correia

 

O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, vetou o diploma de Lei que permitia a mudança de género para jovens com idade compreendida entre os 16 e 18 anos.

A principal razão para este veto prende-se com a ausência de um relatório médico que atestasse a dita alteração e assim não permitisse uma rede de segurança, numa decisão tão importante na vida destes jovens.

Parte de uma Esquerda mais radical gritou bem alto a sua indignação, vociferando as sempre valorizadas questões de liberdade individual, esquecendo-se porém, que esta atitude do Presidente da República visa proteger em primeiro lugar aqueles que fariam uso desta nova lei.

Dirão que Marcelo foi Conservador...

Pois foi e concordo completamente.

Num mundo em constante evolução, é por vezes necessário saber construir o futuro, sem quebrar bruscamente os alicerces que fundamentam a Sociedade, saber caminhar sem queimar etapas.

Aqui não entra nenhuma questão de limitação da liberdade, como infelizmente ouvi da parte de alguns deputados, mas sim permitir que essa liberdade seja usada com um certo equilíbrio.

A partir do 18 anos, julgo ser possível a qualquer cidadão, usar o seu género ou identidade da maneira que melhor lhe aprouver, da forma como entender mais fiel a si mesmo, no entanto, permitir que essa escolha fosse feita sem barreiras, numa fase adolescente e principalmente sem aconselhamento médico, poderia constituir um erro com graves repercussões, nessas mesmas vidas.

Por tudo isto, mais uma vez exclamo...

Muito bem, Professor Marcelo!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

05
Dez17

Quem Está Contra O Leite Com Chocolate?

Filipe Vaz Correia

 

Querem retirar o leite com chocolate das escolas?

Esta ideia, muito saudável certamente, encontra em mim, uma imensa vontade de beber um leite com chocolate, em homenagem à minha infância e honrando aqueles companheiros de uma vida...

Ucal, Cola Cao, Nesquik.

O deputado André Silva, do Partido dos Animais  Natureza, parece agora disposto a empreender esta luta, e eu que até tinha simpatia pela pessoa, querendo roubar a futuras gerações de crianças, o prazer de lanchar um pãozinho com manteiga e um Ucal com chocolate, bem fresco.

Diz o Senhor Deputado:

" Estamos a criar diabéticos..."

Pois se calhar estamos, no entanto, não será demasiadamente redutor acabar com todos os prazeres da vida, em nome de uma vida saudável, mas certamente sem muita graça.

O exagero acaba sempre por limitar a racionalidade com que se discute os assuntos...

A carne de porco tem muita gordura, os doces, são isso mesmo, muito doces, a carne de vaca não é muito aconselhável, o leite com chocolate banido das escolas, as pastilhas fazem mal aos dentes, e o pão...

Maldito pão, que faz mal a quase tudo.

Resta-nos a água e as verduras, por enquanto...

Um dia descobriremos, que também elas são prejudiciais a qualquer coisa.

A mortalidade, este factor que apavora, é o sinonimo desta busca constante pela vulgarização deste conceito, nada contra, do alimento saudável, deixando pouco espaço, quando o discurso é radical, aos prazeres inerentes, ao palato humano...

Ao indecifrável prazer, de beber um belo leite com chocolate.

Por tudo isto e também porque é uma das coisas preferidas do meu sobrinho João, ergo a minha voz, a minha palavra, contra tamanho atentado ao prazer infantil.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

30
Nov17

O Verdadeiro Rosto do PCP!

Filipe Vaz Correia

 

O PCP teve no Parlamento um gesto pequeno, votando contra, o voto de pesar pela morte de Belmiro de Azevedo.

Estou longe de ser mais um dos que libertam palavras elogiosas, de maneira incessante, à memória do empresário Portuense, no entanto, julgo que não lhe reconhecer o valor que teve nos últimos 40 anos na Economia Portuguesa, no desenvolvimento de várias plataformas de criação de emprego, será na verdade, um hipócrita maneira de fazer política.

Para mais, quando falamos de um Partido que tentou aprovar votos de pesar na Assembleia da República, aquando das mortes de Chavez ou Fidel, dois ditadores anti-democratas, responsáveis por inúmeros e trágicos momentos de perseguição ao seu próprio povo.

Este contra-senso, que muitos apelidam de coerência, é essencialmente uma característica infeliz daqueles que sendo formatados no pensamento, pouco conseguem vislumbrar para lá da cartilha aparelhista que lhes foi entregue...

E deputados assim não representam um País, representam apenas uma parte pequena do seu imaginário redutor.

O PCP nestes pequenos gestos volta à sua essência, demonstrando incessantemente o seu rosto Estalinista conservador.

Uma vergonha.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Dezembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D