Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

01
Ago19

TVI: Qual O Caminho Para Resgatar A Liderança Perdida?

Filipe Vaz Correia

 

Não percebo nada de audiências...

Dessas batalhas televisivas em busca de uma mirifica liderança capaz de trazer mais publicidade, mais dinheiro.

Neste novo cenário televisivo, a SIC roubou o protagonismo que há muito estava nas mãos da TVI, numa estratégia arriscada mas carregada de esperança, desenhada por Daniel Oliveira.

Esta estratégia passava pela contratação da maior estrela cá da aldeia, Cristina Ferreira, e assim desferir um golpe certeiro no Canal da Média Capital...

Um plano bem gizado, coroado de sucesso.

Ao fim de mais de uma década, a SIC conquista a liderança generalista pelo 6 mês consecutivo, algo inédito desde o início deste século.

Fala-se agora na mudança de canal de Ricardo Araújo Pereira, outra das estrelas da TVI, aquela que será a mais cintilante do canal de Queluz.

Se for bem conseguida será um golpe tão ou mais arrasador do que a contratação da “Princesa” da Malveira.

E a TVI?

Como irá responder?

As mudanças começam a ser divulgadas com uma dança de lugares na estrutura directiva do canal, onde salta à vista a saída de Bruno Santos para a entrada de Felipa Garnel...

A sério?

Sinceramente não contesto a saída de Bruno Santos, exausto após estes meses de derrotas e sem conseguir encontrar respostas para o terramoto que se abateu para os lados da antiga televisão da igreja, no entanto, a escolha para o seu lugar é no mínimo redutora, escassa, fraquinha.

Felipa Garnel não tem “estaleca” nem experiência para uma batalha desta envergadura, um caminho de pedras que se antevê dificílimo.

Enfim...

Aqui ficam umas dicas de um escrevinhador, absolutamente leigo na matéria, mas carregado de um esperançoso bom-senso.

Se é para entrar nesta batalha, seriamente, o primeiro passo terá de ser garantir a continuidade de Ricardo Araújo Pereira e intensificar o seu papel dentro do canal, talvez alargando a sua intervenção no dia a dia da “nova” TVI.

Tentar infligir à SIC o mesmo tipo de dor que esta tentou e conseguiu infligir na “velha” TVI...

Trazer para a direcção geral de programas Daniel Oliveira e com isso virar o “momentum” vivido para os lados de Paço de Arcos.

Contratar para as manhãs da TVI alguém que possa rivalizar, seriamente, com Cristina Ferreira, mesmo que no inicio possa parecer difícil, num novo formato, refrescando o day time.

Esse nome poderia ser Tânia Ribas de Oliveira.

Não esqueceria nomes como Filomena Cautela ou Herman José para um Late Night televisivo, trazendo inovação e modernidade ao canal, e na ficção resgataria a Gabriela Sobral dessa sua imposta pré-reforma maternal, apostando na recuperação da liderança do prime time.

Quem se recorda como era o desempenho das novelas da SIC antes da chegada de Gabriela Sobral ao canal, e como o seu trabalho marcou um ponto de viragem na ficção de Carnaxide.

Se pudesse opinar sobre a TVI 24, apenas daria um conselho...

Contrataria o Bernardo Ferrão para a liderança do canal de cabo da Média Capital, dando carta branca para que este pudesse renovar e inovar sem medo.

Por fim, daria a direcção desportiva ao Pedro Pinto da Eleven Sports, afastando os bacocos comentadores “peixeiras” da antena.

Tanta coisa e ideias de alguém que não percebe nada disto...

Só havia uma coisa que não faria:

Entregar a liderança da TVI generalista à queridíssima Felipa Garnel.

Veremos quanto tempo durará.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

08
Mar19

Uma Pequena "Mentira" Marciana...

Filipe Vaz Correia

 

A polémica está instalada, por causa de uma suposta mentira, do Chef Kiko Martins.

Tudo por causa de Marte.

Ora, evidentemente que esta situação tem de ser analisada, à luz de um critério Extraterrestre.

O que é mentira aqui, na Terra, pode bem ser uma hipotética verdade, lá para os lados de Marte, uma espécie de narrativa Socrática, capaz de enredar a mais bela argumentação.

A NASA nega este concurso e a sua eventual associação, desmentindo assim o Chef Português, num gesto deselegante e incompreensível...

Será que ninguém avisou os "Americanos" que o rapaz esteve a demonstrar os seus dotes no Programa da Cristina, onde anunciou a boa nova, a toda a Nação.

Quer dizer, com a SIC Internacional, foi para o mundo.

E vendo bem, até poderemos encontrar algo de Marciano nesta teoria...

Ir ao Programa da Cristina, é neste momento uma experiência quase Espacial, pois ali ninguém anda, todos levitam, devido aos estrondosos resultados que estão a conseguir nesta batalha, pela liderança das audiências.

Sendo assim, caso a Revista Sábado tivesse mencionado, este pequeno pormenor, tenho a certeza que a NASA, sabendo desta ligação, rapidamente se iria apressar em corroborar a história do Chef Kiko...

Talvez até ligassem para o Programa, em directo, de um qualquer local recôndito deste espaço que nos sobrevoa, em mais um momento icónico de audiências.

Opá! Lá diria a "doce" Cristina e num abraço apertado mandaria para o espaço todos os chouriços e alheiras, cogumelos ou farinheiras preparados pelo Chef "vencedor".

Assim, parece que tudo não passou de uma farsa, uma mentira trapalhona, tão inusitada como estúpida, anunciada num programa de televisão.

Meu caro Chef Kiko, se era para mentir, mais valia ter escolhido a Praça da Alegria, com o Jorge e a Sónia, pois provavelmente ninguém teria sabido, tão insignificantes que são as suas audiências.

Olhe que teria sido melhor.

Agora é aproveitar, pois algo me diz que teremos promoções num ou noutro Restaurante de Lisboa.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

05
Mar19

Quem (Ainda) Não Esteve Na Casa Da Cristina?

Filipe Vaz Correia

 

Todos querem ir à casa da Cristina...

No dia da sua inauguração, telefonou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, seguido da presença de Luís Filipe Vieira, que por ali andou a jogar às cartas com a apresentadora.

Porém Cristina não ficou por aqui...

Partiu narizes e trocou dentes, cortou cabelos e retirou gorduras a pessoas comuns, enquanto abria as portas de sua casa, aos convidados "famosos" que ratificavam o estatuto do Programa.

Assunção Cristas levou a família, Marido e filha mais nova, pois os mais velhos estavam na escola, para uma conversa à volta de um arroz de tomate com atum, por entre, sopas partidárias, temperos políticos ou particularidades pessoais.

Bruno de Carvalho, o Ex-Presidente do Sporting, também por ali passou, neste périplo por conseguir promover o seu livro, rasteirinho, que descreve a sua realidade paralela, construída através da sua torpe mente.

Tudo o que está a ferver, passa por lá.

Até Conan, esse "Semi-Deus" da histeria Lusitana, não faltou...

Mesmo a querida Dona Dolores, não deixou de dar uma entrevista para o Programa da Cristina.

Desta vez foi António Costa, rodeado pela família, mulher, filhos e nora, dar o ar de sua graça na "casinha" da Cristina.

Num estilo casual, o Primeiro-Ministro cozinhou uma cataplana de peixe, respondeu a tudo e até participou, discretamente, na entrega de prémios.

Enfim, é esta ligeireza que acaba por seduzir telespectadores, mas também arrisca transformar a política num espaço mais superficial, de gestos encenados, imagens vendáveis, em contraponto com o que deveria ser a mensagem de valores objectivos, princípios discutidos no debate público, no seio da opinião pública.

Não digo que uma certa informalidade não possa acrescentar "verdade", ao quadro político de um País, no entanto, convém que essa informalidade não seja entrelaçada a ofertas de automóveis ou dinheiro, não esteja aprisionada a chinelos ou "palhaçadas".

Nesta Era de Cristina, sem retirar o imenso mérito à "personagem", parece que se inverteu o conceito de prime-time televisivo em Portugal.

Mais do que um Telejornal, mais do que um debate ou um programa de entrevistas, mais do que tudo isso...

O importante é entrar na Casa de Cristina.

Bem...

O que esta realidade dirá de Nós, enquanto País?

Uma boa questão para reflectir.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

02
Mar19

12 Anos Depois... Temos SIC!

Filipe Vaz Correia

 

A TVI perdeu a liderança das audiências, nesta batalha iniciada em 2019, mais de 12 anos depois, 150 meses.

E perdeu para a SIC.

Por isso, dar os parabéns a quem merece...

A quem arriscou em Daniel Oliveira para a Direcção de Entretenimento, ao Daniel Oliveira que resolveu apostar em Cristina Ferreira, revolucionando o panorama concorrencial das televisões generalistas...

E à "saloia" da Malveira, Cristina Ferreira, também conhecida como a Princesa Diana Portuguesa.

Muitos poderão dizer que foi uma mera coincidência, que menos de dois meses depois da chegada de Cristina a Paço de Arcos, a SIC tenha conseguido resgatar uma liderança que lhe fugia há mais de uma década, no entanto, para aqueles que quiserem, honestamente, observar esta transição de poder no espectro televisivo Nacional, não poderão  escamotear a sua influência nesta transformação.

Neste caso com as devidas diferenças e dimensões, quase que me faz recordar o caso de Ronaldo no Real Madrid...

Claro que nem a "nossa" Princesa Diana é o Ronaldo, nem a TVI é o Real Madrid, no entanto, assim como Florentino achou que Ronaldo seria facilmente substituído, também em Queluz de Baixo, este pensamento deve ter norteado a decisão de deixar partir, a querida Cristina.

Pois bem...

Erraram!

Que venha o futuro pois a batalha ainda agora começou.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

07
Jan19

O Telefonema Do Presidente Marcelo...

Filipe Vaz Correia

 

Não vi a estreia do Programa da Cristina em directo, pois preferi o meu sono retemperador aos gritos lancinantes da manhã, no entanto, não vejam nesta frase qualquer preconceito, apenas gosto, pois respeito sempre o mérito de quem o tem...

E para o "seu" público, a "jovem" Cristina tem.

Porém, o que me faz aqui escorrer um pedaço de tinta, não é a estreia do dito programa, aliás já tinha anteriormente escrito sobre ele, mas sim a minha estupefacção quando me alertaram para o telefonema do "nosso" Presidente da República.

Todos os que seguem os meus textos, sabem o quanto admiro Marcelo Rebelo de Sousa, esta forma próxima de fazer política, dando um sinal à direita, à minha direita, de que é possível ser Conservador e Humano, aproximar sem perder a seriedade política.

No entanto, Marcelo perdeu uma parte desse sentido nesta manhã, num singelo telefonema que se assemelhou a um populismo bacoco, desmedido entrelaçar com a mediocridade vigente nos dias que correm.

Poderia Marcelo telefonar a Cristina Ferreira, transmitindo os seus votos de felicidade?

Claro que sim...

Em privado.

Simplesmente em privado.

O que Marcelo fez, foi levar a Presidência da República para a batalha das audiências, tornar a sua legitimidade política numa arma, nas páginas cor de rosa, onde se apela e debate, o que é singelamente trivial.

Este populismo fofinho, não é menos perigoso e criticável do que qualquer outro, antes pelo contrario, acaba por normalizar a demagogia, por banalizar a arma democrática representativa.

Uma pena.

Assim é com tristeza que o escrevo...

O Presidente Marcelo foi, hoje, apenas mais um populista num programa da manhã.

Um Presidente popularucho.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

07
Jan19

O Dia De Cristina...

Filipe Vaz Correia

 

Cristina Ferreira vai estrear o seu programa na SIC...

Chegou o grande dia.

O País parece parar, para tão importante ocasião, numa batalha fratricida que se anuncia entre TVI e SIC, entre Goucha e Cristina.

As audiências marcarão as notícias, os convidados serão disputadíssimos, os frames analisados ao pormenor...

Quem vencerá?

Quem sairá derrotado?

A curiosidade parece invadir as redes sociais, antecipando cada instante de uma batalha anunciada.

Neste dia de Cristina, pois será  dela a estreia, quase que podia apostar numa vitoria da "saloia" da Malveira, não somente pela capacidade que a nossa "Princesa Diana" tem em amarrar o telespectador ao ecrã, mas também pelo desesperado erro cometido pela TVI, com a trapalhada de um tal de Mário Machado...

Entre o convite e a justificação, sobrevive a imperiosa sensação de uma desesperada busca por audiências.

E isso poderá revelar a ansiedade vivida nos estúdios de Queluz de Baixo.

Mas pouco importa.

Chegou o grande dia...

O dia de Cristina.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

18
Set18

Cristina Ferreira: A Princesa Diana Portuguesa?

Filipe Vaz Correia

 

Não gosto nem desgosto da Cristina Ferreira...

Posso mesmo dizer que me encanita o estilo, meio saloio, mas agrada-me a genuinidade com que se apresenta, com que parece enfrentar os desafios que se lhe deparam.

Gosto do carácter, da ligação emocional que cria através do olhar e lhe parece granjear uma multidão de seguidores.

Não sou de escrever muito sobre estas questões do entretenimento, se excluirmos a nossa classe política deste escalão, no entanto, o chorrilho de disparates ressabiados que se tem ouvido sobre a transferência em si e o dinheiro que a mesma envolve merecem de mim um singelo reparo...

Mas o que têm as pessoas a ver com isso?

A "jovem" Cristina vai trabalhar para uma empresa privada, paga a peso de ouro, assim como outros que fazendo bem o seu trabalho retribuem ao seu empregador cada cêntimo em si investido.

Uma estratégia de uma empresa privada que certamente prevê lucrar com o talento de uma criadora de audiências e programas.

Por mim que seja feliz.

Apenas um comentário:

Ao ver a sua entrevista no Jornal da Noite, não pude deixar de notar uma comparação que talvez seja um pedaço "exageradinha"...

Comparar a sua saída da TVI à morte da Princesa Diana, é mais ou menos como comparar a Volvo Ocean Race aos Descobrimentos Portugueses.

Aqui a minha querida pôs-se a jeito...

Excedeu-se.

Quanto ao resto e saloiices à parte esperemos por mais um capitulo de Cristina by Cristina.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Dezembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D