Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

13
Abr20

A Lição De Boris!

Filipe Vaz Correia

 

Boris Jonhson saiu do Hospital, depois de dias difíceis, por entre, cuidados intensivos e inquietação Governamental.

Mas aprendemos alguma coisa?

Julgo que sim...

Na sua mensagem ao País, após estes inquietantes dias, Boris Johnson deixou uma mensagem de esperança e de recolhimento, agradecimentos e palavras soltas, amarradas a esse sentir que esta experiência lhe trouxe.

Nesse agradecimento geral, dois em particular:

A uma enfermeira da Nova Zelândia, Jenny, e a um enfermeiro Português, Luís.

Dois nomes, duas pessoas, dois Seres Humanos.

Naquele tempo, ao lado da cama do Primeiro-Ministro Inglês, não existiram nacionalidades nem polémicas, não se questionaram barreiras nem fronteiras, somente o bater do coração, esse querer maior que faz de nós Humanos.

Seria igual se ali estivesse naquela cama Farage, Le Pen ou Orban?

Para a Jenny e para o Luís, estou certo que sim...

E é essa lição que deveremos todos retirar, desta brava luta global, neste caso em particular...

Pensar num todo, como se o Mundo, a Europa, fosse constituída por pessoas, em casas diferentes, leia-se Países, mas todos circunscritos à mesma aldeia que nos serve de berço.

As melhoras Boris...

Parabéns a todas e todos que como a Jenny e o Luís estão na linha da frente a salvar vidas.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

10
Abr20

E Os “Miseráveis”?

Filipe Vaz Correia

 

E vale a pena perguntar:

E os miseráveis?

Irrita-me, sempre me irritou, esse monopólio da solidariedade social da Esquerda ou Extrema Esquerda no discurso politiqueiro.

Durante estes tempos que vivemos, muitas vezes me questiono como estarão a viver os mais miseráveis de nós?

Aqueles que sem rede se encontram destapados, entregues à crueldade do dia a dia, desamparados neste turbilhão que nos envolve e machuca.

E esses?

Como estarão a "viver" estes tempos?

Estamos tão preocupados com a economia, não me excluo deste grupo, com a arquitectura da retoma que todos desejamos, que por vezes nos esquecemos daqueles que nada têm para retomar, reerguer, recuperar.

Esses que dormem nas ruas, se esqueceram dos sonhos, não se recordam dos afectos, não tiveram direito a abraços ou regaços e que agora estarão mais "despidos" do que nunca.

Que frieza de consciências, que desabafo calado e surdo que insiste em se manter, neste conforto tranquilo daqueles que se dão ao luxo de ter preocupações...

Triviais preocupações sobre a Humanidade, muitas vezes sem a consciência da ausência dessa mesma Humanidade.

Olho para alguns destes miseráveis que se abeiram na fila do Supermercado, na fila para a Padaria, e que amiúde finjo não ver, evito contactar, desejo esquecer...

Vou voltar para as minhas macro preocupações, aquelas que me mantêm entretido sobre o futuro da nossa economia, sobre o destino da nossa Sociedade em geral.

É mais confortável, menos áspero...

Para quem?

Para mim.

Somente para mim.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

28
Mar20

RE-PUG-NAN-TE...

Filipe Vaz Correia

 

O discurso do Ministro das Finanças Holandês no Conselho Europeu, não foi o único, é absolutamente repugnante...

António Costa assim o classificou e muito bem.

Parece que nada aprendemos com a crise de 2008, sendo que muitos dos que saltaram para fora do barco se apresentam capazes de fazer o mesmo assim que o Tsunami económico chegue.

Uma barbaridade.

Uma coisa a União Europeia terá de repensar...

O seu propósito.

Se não serve para uma solidária resposta num caso como este, então não servirá para nada.

Gostaria, não sei se gostar será o verbo, de ver o que valeria a Economia Holandesa, Austríaca, Húngara sem o chapéu de chuva do Euro.

Mantendo este tipo de atitude, se calhar, iremos descobrir mais cedo do que julgamos.

Pois desta resposta se fará o futuro da União Europeia.

Repugnante...

Bela palavra Senhor Primeiro-Ministro...

Absolutamente repugnante.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

14
Mar20

Coronavirus: Andrà Tutto Bene!

Filipe Vaz Correia

 

Todos em casa!!!!!

Sem excepção...

Pelo menos todos os que não poderão ajudar nesta luta contra a pandemia.

Não vale a pena açambarcar, ir para os supermercados e comprar desmedidamente como se não fosse existir mais comida, contribuindo para um pânico que em nada contribui para os tempos que vivemos.

Vamos viver em comunidade e com responsabilidade, com receio mas sem o desespero que nestes momentos ameaçam a sanidade e acendem egoísmos bacocos.

Tempos diferentes se aproximam, fazendo recordar àquelas páginas do livro de História e que pareciam inverossímeis e distantes...

Peste negra, pneumonia espanhola, o início da SIDA...

Como é possível?

Ouvir as histórias do que se passa em Itália, com tendas montadas nas ruas, centros de crise, doentes amontoados em casa à espera de morrer, sem que o sistema de saúde italiano tenha resposta para todos, mais do que indescritível é absolutamente inacreditável.

Enfim...

Vivemos novos tempos, com a mudança de paradigma no mundo, pois nada deverá ficar igual.

Que este Coronavirus passe, vá embora e possamos todos por aqui continuar escrevinhado sobre problemas do dia a dia, problemas esses banais, quando confrontados com esta pandemia.

Andrà Tutto Bene!

Tudo ficará bem!

Se Deus quiser...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Março 2021

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub