Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

08
Jan20

Retaliação Iraniana Ou O “Início” De Um Conflito Histórico?

Filipe Vaz Correia

 

O Irão resolveu começar a sua retaliação à morte do General Soleimani, atacando uma base militar no Iraque onde se encontram soldados Americanos.

A base de Ain Al-Assad serviu de alvo a uma vingança prometida pela liderança Iraniana, dando seguimento a uma escalada bélica iniciada pelo erro Americano aquando da morte de Soleimani.

Se deste ataque resultarem mortos Americanos estará desenhado o cenário de catástrofe resultante desta "estúpida" brincadeira.

Sejam rockets ou mísseis balísticos todo este cenário nos leva a crer que o Médio Oriente e o Mundo estão agora presos em suspense às mãos irresponsáveis de um e de outro lado.

Enquanto escrevo este artigo vou recebendo informação...

Possíveis baixas Americanas em uma base, aviões Americanos levantando de uma base na Arábia Saudita, naquilo que poderemos chamar de uma ofensiva em larga escala.

Parece que podemos estar a reviver a primeira noite da invasão ao Iraque nos anos 90...

Nuno Rogeiro, sempre ele, alertando, avisando, noticiando...

Parece que Donald Trump deixará o seu legado na História...

Infelizmente, um legado da mesma dimensão da sua reconhecida e boçal estupidez.

Mais uma noite negra em pleno Golfo que certamente atingirá o Mundo.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

05
Out17

Felipinho...

Filipe Vaz Correia

 

O que se terá passado na mente de Felipe VI de Espanha?

Quem terá aconselhado o Rei para um discurso estranho, enviesadamente partidário, escolhendo ser mais um a acentuar as diferenças, quando poderia e deveria ser aquele que uniria, apaziguaria um conflito incompreensível...

O Rei de Espanha aparece tardiamente em cena, numa comunicação ao País carregada de ralhetes, de dedo em riste, acentuando a sua função correctiva, numa altura em que isso apenas contribui para um inflamar da situação.

Considero esta atitude de Felipe, desestabilizadora e pueril, talvez mesmo um erro Histórico, de percepção política, pois as posições já de si extremadas aconselhariam que nesta intervenção, o Rei fizesse valer a sua capacidade de mediar, de através do seu papel conseguir moderar os extremos que se opõem...

A figura do Rei, caso interviesse mais cedo ou tivesse outro tipo de discurso, ganharia certamente outro peso nesta disputa, mesmo entre aqueles que se encontram nas ruas de Barcelona, pedindo a Independência.

Felipe preferiu o caminho mais fácil, franzir o sobrolho, apontando e nomeando os desleais e desordeiros, excluindo-se assim, talvez sem se aperceber, do papel aglutinador que poderia e deveria ter.

Felipe consegue assim legitimar aqueles que em Madrid ou em qualquer parte de Espanha, destilam ódio contra os insurgentes Catalães, ao mesmo tempo que legitima, aos olhos dos que clamam pela Independência Catalã, a injustiça plasmada em cada palavra de um Rei que deveria ser de todos....

Mesmo daqueles que reclamam o direito a escolher, não o ter, como seu Rei.

 

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

21
Set17

E Agora Espanha?

Filipe Vaz Correia

 

Volto a escrever sobre Barcelona, consoante a minha estupefacção pelo caminho extremado, por onde resolveram seguir as duas partes desta discórdia...

A Catalunha de orgulho ferido, grita aos quatro ventos, a determinação em resgatar a dignidade amordaçada pelos invasores de Madrid, recuperando a figura do Generalissimo Franco como justificativa para a repressão imposta pela Guardia Civil.

Nas Calles da Catalunha nota-se a revolta, o destemido momento em que as pessoas quiseram sair à rua, para se juntarem àqueles que no seu entendimento defendiam o Ser Catalão e é aqui que poderá se confrontar, o passado e o futuro de Espanha.

Rajoy como ainda ontem escrevi, não entendeu o favor que fazia aos Independentistas Catalães, ao endurecer as medidas repressoras para com aqueles que organizavam este referendo, permitindo uma percepção de injustiça, que une...

Que contribui para a narrativa separatista.

Este caminho apocalíptico, de confronto despudorado, poderá traçar um desmembramento Espanhol, frágil em certos domínios, silenciado mas não adormecido e que reflectido nesta revolta Catalã, poderá despertar como um furacão impossível de travar.

O que esperar do País Basco perante uma Independência catalã?

Como controlar as reivindicações de outras regiões?

O futuro de Espanha joga-se neste referendo, nesta disputa entre o centralismo democrático e a vontade orgulhosa de um povo...

A Catalunha é uma das regiões mais ricas de Espanha e isso não pode ser dissociado da questão Independentista, no entanto, o esventrar dessa unidade, do Ser Espanhol, terá repercussões inimagináveis na arquitectura da Nação Castelhana.

Assim, sobrevoando toda a inquietude que por estes dias toma lugar pelas Calles da Catalunha, não será demais dizer...

Que o futuro de Espanha, será também, o resultado deste referendo.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Setembro 2020

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D