Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

A Justiça Versus As Portas Dos Tribunais...

 

Mais um dia de discussão judicial, de televisão em televisão, de parangona em parangona, de comentador em comentador, de estupidez em estupidez.

Do Bruno culpado, preso definitivamente, passámos para o inocente, libertado em nome de uma justiça popular que se verbaliza sem dentes, com ranho e postiços, num qualquer microfone à porta de um tribunal.

Mas enfim...

Nada faz sentido.

Deixando de lado as minhas convicções, sobre os "acusados", pois a justiça não deve compactuar com convicções populares, muito menos transforma-las em sentenças, importa realçar a minha perplexidade com o andamento dos dias...

Destes dias em que a "novela" Bruno e o atrelado Mustafá, se tornou o assunto mais falado cá do sítio.

A decisão de prender Bruno de Carvalho durante cinco dias, para que este prestasse depoimento, tem tanto de absurdo como de arbitrário, uma manifestação de um poder judicial bacoco, prepotente e autoritário.

Quer ouvir?

Convoque...

Notifique e só em casos excepcionais detenha, prive da liberdade aqueles que gozam da presunção de inocência, ainda para mais, quando nem acusados se encontram.

É o mínimo.

Mas para tornar tudo mais inusitado, atentemos ao despacho que decretou a liberdade daqueles dois arguidos:

O Juiz considera que Bruno e Mustafá podem, em liberdade, perturbar o processo...

Mesmo assim liberta e não proíbe o contacto entre arguidos.

Considera ainda que existe perigo de fuga...

Mas não apreende os seus passaportes.

Esta deliberação alerta, ainda, para a possível e grave perturbação da ordem pública...

E mesmo assim não impede ou limita a acção dos mesmos, em determinados locais públicos.

Mustafá, esteve nesta mesma noite, no Pavilhão  do Sporting, a ver um jogo de Futsal.

Por fim...

O Juiz salienta, de forma veemente, a indiferença dos arguidos diante do sofrimento causado às vitimas deste processo, fazendo assim, um perturbador julgamento que deixa antever o seu pensamento.

E mesmo assim...

Liberta.

São estas contradições que perturbam um leigo cidadão, como eu, num confuso jogo de palavras e intenções que mais uma vez desmerecem a "Justiça".

A decisão da Magistrada Pública, de supostamente, recorrer desta libertação, divulgada em alguns canais de televisão, demonstra o descrédito que anteriormente descrevi, numa entrelaçada promiscuidade entre o poder judicial e o "mundo" jornalístico que corrói  desmedidamente o digno "julgamento" democrático.

O singelo direito de todo cidadão, ambicionar um justo tratamento entre a acusação e a defesa.

Mas assim prossegue a dita Justiça, sem nexo ou sentido.

De uma coisa tenho a certeza:

Nem Bruno se tornou "culpado" no dia em que foi detido, nem se tornou "inocente" por não ter ficado preso preventivamente.

Quanto às descontroladas convicções...

É esperar pela próxima porta de um Tribunal.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

A "Justiça" Meretriz...

 

A justiça comporta-se como uma "prostituta", sem venda, com uma câmara de televisão, em vez, de uma balança.

É assim que vejo a Justiça mediática que nos rege.

Ao saber das sentenças do caso BPN, não posso deixar de reflectir sobre as palavras de Saragoça da Matta, que viu o seu cliente ser absolvido de todos os crimes de que foi acusado.

" Esta absolvição não retira anos de capas de jornais ou títulos caluniosos."

Tem toda a razão.

O que me chocou no dia de ontem, nesta prisão de Bruno de Carvalho, foi esta espécie de circo mediático que atropela tudo e todos, sem respeitar os princípios básicos de um cidadão ou dos seus familiares.

Como é possível uma televisão ser avisada de buscas em casa de um arguido, filmar o seu prédio, a rua, o número da porta...

Enfim, tornar pública a morada do dito cidadão e da sua família.

Como é possivel que o seu advogado e seus familiares, sejam massacrados por uma matilha de jornalistas, preparados para devorar cada gota de tragédia, cada inquietamento, cada pedaço de amargura.

Como?

É nesta mistura de indecência e justicialismo que se encontra a minha incredibilidade com esta Justiça, "Reality Show", que tanto satisfaz os ressabiados de plantão...

Repugna-me esta mediocridade.

Por fim...

E  antes que para aqui venham  os caciques do momento, leiam o que penso sobre a personagem, o que sempre pensei e como nunca me inibi de escrever sobre o que este representava.

Mas isso não me permite prostituir os valores que sempre defendi, em nome de uma satisfação bacoca, dos que se contentam com a desgraça alheia.

Somente isso...

E isso, não é de somenos.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

700 Mil Aldrabices No Reino Do Leão...

 

Parece que a auditoria realizada no Sporting encontrou, até agora, um buraco de 700 mil Euros relativos a despesas com Scouting e Empresários, desconfiando-se que esse dinheiro possa ter ido parar a contas do antigo Presidente do Clube de Alvalade.

Parece mentira...

A imprensa adianta mesmo que não foram encontrados relatórios desse Scouting, nem nenhum jogador potencializado na equipa principal.

Ora bem...

E depois?

Não considero sequer isto um caso, acreditando que a explicação para este equivoco é de uma simplicidade factual...

Não foram feitos relatórios desses movimentos de Scouting?

Pois não!

O que se poderia escrever sobre Naby Saar, Mauricio, Ryan Gauld, Shikabala, Montero, Dramé, Petrovic, Viviano, Barcos, Sahko, Leonardo Ruiz, Jonathan Silva, Jatobá, Marcos Túlio, Tanaka, Matheus Oliveira e etc...

Nada de relevante a não ser um silencioso arrepio.

Assim, não estranho a ausência de qualquer relatório sobre este tipo de Atletas pois só desta forma se poderia comprar jogadores deste calibre.

E ainda não devem ter chegado ao Alan Ruiz...

Nesse caso nem relatório, nem quadro psiquiátrico, nem cadastro criminal e muito menos aconselhamento nutricional.

Enfim...

Este passado Leonino estará repleto de incompetência e aldrabice mas só se enganou quem quis.

No presente, continuamos iludidos mas desta vez, graças a Deus, num cenário mais polido, contido, recatado...

Mas quanto à competência?

É melhor continuar sem escrever para não atrapalhar a unidade no Reino do Leão.

No "meu" Sporting.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Um "Palhaço" Chamado Bruno...

 

Em primeiro lugar pedir desculpa a todos os Palhaços, todos os que usam essa arte como profissão.

Não quero por isso deixar de notar que não confundo Palhaços, com este "palhaço"  a quem me refiro...

Bruno voltou à ribalta, num dia repleto de Brunismo, de Brunistas, de palhaçadas, perdoem-me a redundância.

Parafraseando Victor Espadinha:

"Estou farto deste gajo."

E muito mais haveria para citar das palavras desse actor Português, no entanto, para poupar os impropérios, vou-me abster de as citar, não esquecendo que com todas elas concordo.

Parece impossível que ainda existam pessoas a acompanhar este palhaço alucinado, esta espécie de Hitler desportivo, descompassadamente desencontrado com o tempo que passou...

Bruno vive encerrado num mundo que já não existe, numa realidade paralela que apenas serve para alimentar esse ego desmesurado que lhe pertence.

Tudo mudou...

Nada será igual nesse Reino Brunista em que se havia transformado o "meu" Sporting.

Bruno não se importa com o Clube, com a equipa e seus resultados, aliás como sempre fez...

No tempo de Marco Silva, este tipo de atitude, manifestou-se no pós Guimarães, no tempo de Jesus aquando da marcação da primeira Assembleia Geral, estávamos nós em 1º lugar, no pós Madrid, no dia anterior ao jogo com o Marítimo ou no dia anterior à final da Taça de Portugal.

Tantas as vezes que Bruno apareceu para criar a instabilidade no Sporting Clube de Portugal, de maneira eficiente, como nenhum rival foi capaz de o fazer.

Mantém o estilo, continua na forma, mostra-se o mesmo aldrabão de sempre...

Mas já não engana.

Resta a todos nós, Sportinguistas, demonstrar ao mundo a nossa revolta perante um aldrabão como Bruno de Carvalho, acautelando que nunca mais um demagogo deste calibre possa ser Presidente do Sporting Clube de Portugal.

Para isso só resta um rumo...

A Expulsão.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

O Louco Mundo De Bruno De Carvalho...

 

Suspenderam Bruno de Carvalho...

Que tristeza!!!!

Bruno, no entanto, não reconhece esta suspensão, não reconhece esta comissão fiscalizadora, não reconhece a comissão de gestão, a Presidência da SAD de Sousa Cintra, não reconhece José Peseiro, não reconhece...

Ameaça não reconhecer a Assembleia destitutiva, depois de a ter reconhecido, assim como os resultados da mesma.

Bruno não reconhece nada, nem mesmo aqueles que com ele estiveram até ao fim...

Já não reconhece esse tipo de gente que atrasou o seu projecto, que o impediu de ir até ao Clímax da gestão.

Será que Bruno se reconhece a ele próprio?

Um caso, na minha opinião, de completa loucura.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

O Estranho Mundo De Bruno...

 

Nem tenho palavras para qualificar este espectáculo tresloucado que nos foi ofertado por Bruno de Carvalho e seus apoiantes...

Não posso, uma vez mais, evitar memórias das minhas aulas de História, ou mesmo, de horas de infinito gosto a ver o Panorama BBC.

Ali, naquele espaço, revi diversos lideres que em algum momento do seu caminho se sentiram demasiadamente poderosos, extremamente perfeitos, para que alguém, um dia, os pudesse derrubar...

E assim levaram, até ao limite, a irracionalidade do seu desmedido querer.

Hitler no Bunker em Berlim, Ceausescu naquela varanda em Bucareste, Baptista no seu palácio em Havana, Nicolau II nos salões do Palácio Imperial em São Petersburgo, o Xá da Pérsia nos recantos de Teerão ou Mussolini nas ruas de Roma.

Todos eles acreditaram, até ao fim, que seriam inatingíveis, que nada havia mudado na sua relação de poder com os muitos que os suportavam...

Eles acreditaram numa realidade paralela e Bruno também acredita.

O que está nesta génese é o pensamento, a mente patologicamente desvirtuada, entrelaçada com a perfeição criada em si mesmo, de si mesmo...

Estes lideres passaram a acreditar, não na realidade, mas sim naquela imagem construida por aqueles que o rodearam, criando assim, a tempestade perfeita para a sua queda.

Naquela sala, onde Bruno apresentou a sua recandidatura, as vozes vociferavam descontroladamente, os olhares enraivecidos acompanhavam a imagem do seu "Fuhrer", ao som de...

Viva o Bruno!

Bruno!

O Sporting esteve menos presente naquela euforia do que Bruno, sempre Bruno, irresistivelmente Bruno.

É este, mais um indicador, desta patológica verdade ditatorial.

No entanto, notou-se a degradação do poder, daquele poder arrasador, ameaçador, com que Bruno de Carvalho estrangulava quem dele discordava...

Nesta encenação sobrevive o "pequeno líder", através desta efémera esperança se alimentam os poucos que com ele marcham, acreditando até ao fim nesse lado teatral que os mantém vivos.

Um triste espectáculo no fim de um reinado.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

Bruno de Carvalho: Nunca Mais!

 

A recandidatura de Bruno de Carvalho tem tanto de incompreensível como expectável, tendo em conta a personagem e o seu modus operandis.

Bruno vive num mundo próprio, por entre, as realidades construidas na sua mente, num histerismo compreensível, coadunado com a sua irreversível instabilidade de carácter.

Prejudica o Sporting?

E então...

Quem espera bom-senso de um egocêntrico paranóico?

Bruno vive centrado em si, por entre, constantes fugas para diante, tentando recuperar o que perdeu, o apoio incondicional da massa adepta, buscando indefinidamente alternativas para sobreviver como Presidente do Sporting.

Na verdade, compreendo o labirinto emocional em que se encontra, pois o que será esse futuro, o seu, sem as comodidades que lhe eram facultadas pelo Clube...

Espero que a comissão fiscalizadora use dos seus poderes e impossibilite a candidatura deste senhor, ou mesmo, de algum daqueles seis que com ele construiram a página mais negra da vida deste "nosso" Clube.

Para que assim todos, com algumas aguardadas excepções, possamos dizer...

Bruno de Carvalho, nunca mais!

 

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

Não Sejas Inácio...

 

Não sejas Inácio...

Esta frase celebrizada num anúncio televisivo na Benfica TV, nunca foi tão apropriada.

Muitos Sportinguistas sacralizam Augusto Inácio pelo célebre titulo de 99/00, terminando assim com um jejum de 18 anos...

O Presidente da altura era um croquete, convém não esquecer.

Tenho de fazer uma declaração de interesse:

Sempre fui grato a Inácio por esse seu trabalho, estando ao lado dos muitos que consideraram que o seu despedimento se tratava de uma imensa injustiça.

Convém recordar que quem o iria substituir era José Mourinho.

Quando Bruno de Carvalho se candidatou à Presidência do Sporting, nem o apoio de Inácio, esse trunfo eleitoral, me fez acreditar no projecto, na capacidade daquela lista ser o melhor para o "meu" Clube.

Sempre respeitei o seu passado e a sua história, dando como certo o seu desinteressado amor pelo "nosso" Sporting.

Infelizmente tenho que rever essa minha posição, pois é para mim extremamente difícil de compreender, a posição adoptada pelo actual Director Desportivo, assinando um contrato com o Clube a poucos dias de uma Assembleia Geral, que toda a gente sabia ter uma alta percentagem de destituição para anterior Presidente.

Mais...

Participando em contratações milionárias e sem qualquer nexo, como foram Viviano e Mihajlovic.

E se não me enganar a intuição, esperando intensamente que falhe, antevejo que os cinco anos de vinculo no seu contrato, não serão inocentes mas uma forma de garantia para um chorudo acordo.

Será esta uma atitude de Leão?

Será este um gesto defensável para uma glória que um dia trocou o Sporting pelo F.C. do Porto?

Com tantas dúvidas e incertezas é de facto muito apropriada a frase:

Não sejas Inácio!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Bruno De Carvalho: O Menino Mimado...

 

Bruno de Carvalho num gesto digno, perdão pela contradição, demonstrou a desconhecida sapiência de saber sair no momento certo...

Certo?

Se calhar exagerei...

Bruno escreveu a altas horas da manhã que nunca mais seria Sócio ou Adepto, que jamais vibraria com as vitórias do "seu" Sporting e em momento algum demonstraria contentamento por esse futuro de Leão.

Bruno partiu, abandonou aquele amor que afinal não era o "seu", aquele destino que de maneira incongruente parece se ter desvanecido, por entre, uma esmagadora derrota eleitoral.

No entanto tudo mudou...

Neste momento vai a votos, luta pelo Clube, por aqueles que nele votaram, pelos milhares que acreditaram nas suas palavras.

Este Bruno, é o Bruno...

O charlatão, o pedaço de oportunismo que sobressai em cada intervenção.

Já não surpreende nem engana, apenas entristece a alma leonina.

O Bruno é isto e nada mais...

Façam uma auditoria de gestão e tenho a certeza de que pouco restará deste discurso...

Pois o resto será com a policia.

Viva o Sporting

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Bruno Out...

 

A Assembleia destitutiva finalmente chegou...

Este será o dia para os Sócios do Sporting gritarem bem alto a indignação imensa de um destino que não queremos, o resgatar de um ADN que apenas a este clube pertence.

Será o dia mais importante da História do SCP, na tentativa de sair do período mais negro que alguma vez foi possível imaginar.

Bruno esperneia sem parar, num corrupio de mensagens nas redes sociais, procurando com as suas falsidades enganar e iludir aqueles que neste dia irão decidir o futuro Leonino.

Faz parte da personalidade do Bruno, esta capacidade de desviar a verdade, de amarrar aos seus desvarios a realidade paralela em que vive, em que reina, onde apenas ele existe...

Mas não será mais assim, pois na vontade Leonina, estou convicto, subsistirá a emoção gritante deste amor pelo "nosso" Sporting, que erradicará esta loucura insistente espelhada em cada acto deste nefasto Presidente.

Hoje não será dia de Burnout...

É dia de Bruno Out.

Viva o Sporting

 

 

Filipe Vaz Correia