Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Sporting: “A Terra Prometida”

Filipe Vaz Correia, 19.05.21

 

 

 

8970D000-B2BA-4E28-9AD2-CB2E963B9757.jpeg

 

 

O último jogo de uma temporada, o adeus a uma época  épica, um rugido no reino do leão.

Que aprendamos com esta época, com este caminho palmilhado por um Sporting repleto de feridas, saído de um reinado de boçalidade, às mãos de um populista rumo traçado por um tal de Bruno.

Este é o novo caminho, o certo, aquele que nos guiará sempre para mais perto da vitória, não quer dizer que vençamos sempre mas sim que estaremos lá, mais perto, mais próximo desse futuro risonho que tanto desejamos.

Rúben Amorim é o líder de um destino, o nosso, o mais genial dos geniais, aquele que nos representa como ninguém e esse pequeno pedaço de privilégio se deve a quem o escolheu...

O Presidente Frederico Varandas e Hugo Viana.

O Sporting, qual Ruanda, habituado a batalhas internas, a divisões históricas, deverá aprender com a sua história, sabendo diferenciar aqueles que desejam o melhor para o clube daqueles que desejam reinar nas fracturas desse mesmo clube.

É tempo de agradecer este rumo, de dar vivas àqueles que o construíram e sem receios abraçar o risonho destino que nos é prometido.

O meu Sporting caminha seguro como nunca, promete sonhar como sempre e conquistar em nome de todos nós como jamais almejámos.

Saibamos afastar os arruaceiros do costume, os fantasmas do passado e acreditar neste traço que compõe o compasso que nos levou aos títulos deste presente.

Obrigado Presidente, obrigado Hugo, obrigado Mister.

Viva o Sporting Clube de Portugal

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.