Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Saudades Tuas...

 

Minha Mãe...

Num dia como este, 2 de Junho, dia dos teus anos e também da Avó Alice, as saudades tornam-se maiores, apertam um pouco mais, sendo que jamais desaparecem, se esquecem.

Tantas coisas para escrever, te dizer, nesta distância de oito anos, quase oito anos que marcam a partida tua, que se tornou nossa separação imposta...

Tão dolorosa como sufocante, numa mistura constante, constantemente na alma minha, que eternamente será tua.

Tenho saudades de tudo e de nada, dos momentos de risos e tristezas, dos olhares só nossos e daqueles silêncios ruidosos, escondidos por entre as gargalhadas sonoras que apenas a nós pertenciam.

Tenho saudades do cheiro aconchegante, que se tornou no aconchego que sempre conheci, do calor da tua mão, da fragilidade da tua voz, que sendo frágil escondia a firmeza do carácter que sempre em ti apreciei...

Tenho saudades do carinho, do amor incondicional que sempre soube em ti ter, da segurança imensa que somente contigo parecia existir, da imensidão de dias e noites só nossas que agora parecem pequenas...

Parecem distantes e ao mesmo tempo tão poucas.

Quase oito anos...

De saudades, soletradamente saudades que jamais acabarão.

Neste dia que sempre foi o teu, deixo-te aqui através deste jogo de palavras denominado de escrita, amor esse que também de ti recebi, este infindável amor que sempre te pertencerá...

Um beijinho deste teu filho que eternamente te amará.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

2 comentários

Comentar post