Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Neste teu Dia... Meu Amor!

Filipe Vaz Correia, 12.05.20

 

Parabéns a você...

Acho que é assim que começa a canção.

Mas não interessa, ou melhor, pouco interessará nesta viagem que nos marca, neste caminhar que nos entrelaça há vinte anos.

Por entre tropeços e quedas, sorrisos e feridas, me amparas a alma, seguras o olhar e segues caminho como se nada fosse, numa fragilidade aparente que disfarça a fortaleza constante com que amarras a vida.

Sei bem...

Eu melhor do que ninguém.

Só eu e mais ninguém.

Obrigado por tudo, como se esse tudo fosse capaz de descrever esse imenso por que já passámos, esse parar de carro à porta de minha casa no dia em que minha Mãe morreu, esse amparar de lágrimas que brindavam a órfã alma que ali desnudada se encontrava.

Sem palavras ou repleta delas, pouco importa, sobrará no desenho poético deste desgarrado texto esse amor maior, esse querer abraçar que se confunde com união mas que é mais do que isso...

É gratidão, é amizade, é amor.

E se não chegar...

Podes ficar com o meu coração, pois bate por ti há pouco mais de vinte anos.

De foguetão!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

1 comentário

Comentar post