Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Carta Para Um Leão...

 

Meu caro João Benedito...

É com tristeza que te escrevo esta carta, como forma de publicamente expressar o apreço e consideração que por ti tenho.

É com essa tristeza que vi os resultados eleitorais de ontem, foi com essa mesma tristeza, depois de tanta esperança, que vi a derrota da tua candidatura.

A dimensão do teu fervor Leonino, assim como do carácter de que és feito, ficou ontem claro aos olhos de todos, através das tuas palavras, equivalentes ao percurso que sempre foi o teu...

Esse carácter incorruptível, essa alma leonina que se agiganta, esse amor verde que te pertence, esse querer no olhar, aprisionado na memória de qualquer um que tenha visto entre os postes ou fora deles, o eterno Capitão...

O verdadeiro Capitão...

João Benedito.

Mas enfim, é chegado o tempo de silenciar as criticas e tocar a unir, como pediste, mesmo suportado por um resultado eleitoral, onde perdeste tendo mais votantes, onde falhaste sendo o que mais pessoas tocou.

Enfim...

Vou cumprir pelo "meu" Sporting, "Nosso" Sporting, esse repto cheio de classe, repleto de honra, feito no rescaldo eleitoral, sobejando-me, no entanto, as duvidas se outros em teu lugar teriam a mesma atitude.

Mas assim o farei, tal como o fiz em 2013 e 2017, sofrendo sempre pelo clube que amo.

Direi por isso e sem calar que desconfio de Varandas, da gente que por trás dele habita, dos yuppies de plantão, dos arruaceiros Barbinianos, dos Sampaios sempre na direcção, dos Barrosos na plateia, misturados com os Godinhos de outrora e que outrora eram demónios...

Que grande confusão!

Mas o "povo" gosta e o Leão carrega, uma vez mais, a esperança de que desta vez será diferente...

Será?

Por tudo isto aqui te deixo o meu abraço, de Leão para Leão, esperando estar errado na ideia que tenho destes que dirigem os destinos do Sporting, destes que neste momento dirigem os destinos do Sporting...

Mas não tenho dúvidas de que um dia aquele lugar será o teu.

Um abraço e saudações leoninas...

 

 

Filipe Vaz Correia