Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

No Tempo Dos Populismos... Importa Dizer Não!

Filipe Vaz Correia, 12.04.19

 

O perigo do Populismo...

Essa palavra muito em voga, vezes sem conta, negada por tantos que a prosseguem, a executam sem decoro.

Exemplos não faltam, desde o nosso "Jovem" André Ventura, intra muros, até ao já "ilustre" Maduro, fora de portas.

Não posso deixar de referir o "Pequeno" Bruno de Carvalho, alguém que chegou a Presidente com o mesmo ar truculento que mantém, entrelaçado num passado de falências e aldrabices, vociferando mentiras e calúnias transformadas em "verdades" no seio da alma Leonina.

Recordo-me bem, de quem como eu, não se levantava para aplaudir o "Pequeno Líder", aquando das suas subidas ao relvado...

Dos olhares, das palavras, do ar de reprovação a estes "Croquetes" do antigamente.

O Populismo inebria as massas, transmuta a realidade, traz perigo às Sociedades.

Que o diga o "meu" Sporting.

No entanto, a situação é mais grave do que apenas um ou outro exemplo, um ou outro personagem desesperado de protagonismo, sedento de conseguir os seus intentos.

Gente capaz de tudo, por entre, uma coluna invertebrada, capaz de se adaptar sem valores, àquilo que julgam ser o mais adequado para convencer o "Povo".

Neste cenário, as redes sociais desempenham um papel cimeiro, como veículo de disseminação das ideias, ou falta delas, dos slogans, dos ódios libertados como forma de amarrar o descontentamento popular.

Assim, uma mentira ganha vida, surge capaz de enlamear qualquer um, independentemente da veracidade da sua origem, do seu fim.

Televisões, Jornais ou Pasquins se elevam, pouco preocupados com verdades ou seriedade jornalística, apenas com a sua "verdade"...

As tiragens, audiências ou lucros suficientes para alimentar a sua sobrevivência, numa Era onde cada vez mais perdem importância e relevo.

Assim, importa escrever, falar, gritar, numa constante querença maior, capaz de se antagonizar com esse Populismo velado que parece ameaçar Sociedades e seus Cidadãos.

Nesta Caneca...

As letras estarão sempre dispostas, a se juntar, para gritar Não ao bacoco Populismo, destes "novos" tempos.

Não!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Ainda Sobre O "Pornográfico" Mundo Do Futebol Português...

Filipe Vaz Correia, 26.03.19

 

No surgimento deste "novo" personagem na vida Lusitana, Vítor Catão, algumas questões continuam a me intrigar...

O dito Senhor saiu dos estúdios da CMTV no Porto, sem que a PJ estivesse à sua espera?

Luís Filipe Vieira já foi notificado para interrogatório?

O Senhor César Boaventura ainda não foi detido?

Algum "notável" Benfiquista já se indignou com as vastas suspeitas, recentemente, levantadas?

Isto não parece a República das bananas?

Mas daquelas banana importadas do Paraguai, meio enfarinhadas e de duvidosa reputação...

Questões que não param de me perseguir, pensando, vezes sem conta, se por alguma razão isto se passasse em Itália, Inglaterra ou França.

Vejamos o que aconteceu ao Milão, Roma, Olimpyque de Marselha ou Juventus...

Mesmo a personalidades como Moggi, Tapie ou o antigo seleccionador Inglês, Sam Allardyce, exemplos de como a Justiça destes Países, não se mostra branda com actos ou práticas duvidosas, mesmo que isso possa colidir com estruturas poderosas do "seu" valioso futebol.

Enfim...

Neste nosso "cantinho" tudo é escrutinado, menos o futebol, onde alguns parecem eternamente impunes, ostensivamente impunes.

Até quando?

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

Até Quando Sporting?

Filipe Vaz Correia, 06.04.18

 

Ao terminar o jogo em Madrid contra o Atlético, pensei que a noite havia sido triste, marcadamente frustrante, uma vez mais...

Frustrante nos erros, Centrais, no que deixámos de fazer, naquilo que tendo sido feito se tornou incompleto, diante da falta de eficácia verificada, nos vários lances de golo que o Sporting dispôs.

No entanto, enganei-me...

Após o jogo, o Sr. Bruno de Carvalho em mais um gesto pueril, voltou ao Facebook, quase da mesma forma como Donald Trump vai ao Twitter, para regurgitar algumas palavras de ataque aos seus Jogadores, numa atitude habitual num Presidente cobardolas.

Fez isso várias vezes, com vários treinadores, sempre demonstrando a sua falta de liderança e acima de tudo a sua flagrante impreparação para o cargo.

Bruno é isto e não mais...

É este pedaço de boçalidade impreparada para lidar com o revés, com o insucesso, por mais que esta frase possa ser costumeira, pois ao longo do seu mandato, no que diz respeito ao Futebol, é precisamente o insucesso que repetidamente o acompanha.

Atacou vários jogadores, como Bas Dost, Coentrão, Coates ou Mathieu e até Gelson Martins...

Tem esse direito?

Sem dúvida, desde que no recato da privacidade de um balneário pois será sempre essa a primeira premissa para a confiança e respeito.

Mas Bruno de Carvalho não percebe este sentido, não atinge este significado, perdido por entre o seu desmedido julgamento de si mesmo, da dimensão irrealista com que avalia os seus gestos.

Para ultrapassar esta espécie de indigência Presidencial, Bruno conseguiu superar-se...

Telefonou para a CMTV para comentar a análise que os convidados faziam às suas palavras, escritas naquele famigerado Post.

O Sporting nunca esteve num patamar tão baixo, como aquele em que se encontra neste tempo, esventrado vezes sem conta, pela vergonha desmedida de um boçal primário, aos comandos da naú Leonina.

Não existem palavras para descrever, frases para caracterizar, parágrafos para concluir tamanho pesadelo...

Vai à deriva o pedaço de história que se completa, de uma tradição que nos orgulha mas que corre o risco de se perder, por entre, os desmandos de um louco populista.

Até quando Sporting?

 

 

Filipe Vaz Correia