Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Tu És...

 

Tu és o melhor lado de mim e o seu oposto...

És o sorriso que descontroladamente, vezes sem conta, me invade e as lágrimas que amiúde me escorrem pelo rosto, és o olhar de encanto, entrelaçado com esse mesmo desencanto ao cair de mais uma noite.

És o bater da chuva em dia de tempestade ou a maresia num final de tarde enternecedor, és o cheiro a nada carregado de tudo, és a esperança deslumbrada, desperançando-me tantas vezes...

És a razão que mais me inquieta e ao mesmo tempo a desinquietante razão que mais me completa.

És tudo isso e muito mais...

Pois tu és para mim, simplesmente, amor.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Aperta-Se O Cerco...

 

Fernando Mendes foi preso, não o comentador da CMTV, apertando-se assim o cerco ao mandante dos deploráveis acontecimentos de Alcochete.

Não sei quem foi o mandante, no entanto, desconfio...

Desconfio, não querendo ofender os imensos Brunistas, que tipo virgens puristas poderão ver nestas minhas palavras, um qualquer género de ofensa para o seu puritano comandante.

No entanto, continuo a desconfiar...

Aperta-se o cerco, o mesmo cerco que Rui Patrício descreve nos factos que sustentam o seu pedido de rescisão.

E calam-se os adeptos Leoninos, incapazes de sair à rua e defender o passado digno desta tão grande Instituição...

Aperta-se o cerco, plasmado em imagens, em relatos, em memórias, em indignidades "chatas", de um crime para o qual devemos começar a estar "habituados".

Palavras que não me pertencem mas sim a esse arauto, de seu nome, Bruno...

Aperta-se o cerco e Deus queira que nada fique por saber.

Viva o Sporting

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Que Chovam Croquetes Em Alvalade...

 

Filipe Soares Franco esteve na SIC Noticias, numa entrevista sobre o momento do Sporting Clube de Portugal na qualidade de Ex-Presidente e adepto.

Gostei da entrevista de Soares Franco, tinha saudades deste nível maior na representação do meu Clube, esta espécie de regresso a valores e princípios que parecem, há muito, desaparecidos de Alvalade.

Soares Franco de forma civilizada falou de tudo, das reestruturações financeiras, do futebol, do abismo para onde caminhamos, de jogadores e casos...

Serenamente deixou dúvidas e questões, frisou palavras e recordações, não fugindo ao confronto e ao passado que tanto pertence a este clube.

Defendeu o Roquettismo e muito bem, com os erros e as virtudes que esse mesmo projecto teve, mas não esquecendo que nenhum outro, nos últimos 40 anos, trouxe tanto sucesso ao futebol Leonino.

De José Roquette a Dias da Cunha passando por Filipe Soares Franco, ficaram dois campeonatos nacionais de futebol, quatro taças de Portugal, uma final europeia e algumas Supertaças...

" Se ser croquete, é ser solidário, educado, disciplinado e responsável, então que chovam croquetes em Alvalade."

Palavras de Soares Franco, com as quais não poderia estar mais de acordo...

Este estigma que se instalou, esta espécie de ostracismo a que estão votados todos aqueles conotados com o Roquettismo, a malfadada elite Leonina, concorreu em grande medida para o nascimento deste tipo de populismo e boçalidade que nos rege e que certamente destruirá o SCP.

Este tipo de discurso está aliás na base de vários movimentos socio-políticos que levaram a regimes extremistas e ditatoriais por esse mundo fora...

Cuba, China, Venezuela, entre outros.

Diaboliza-se uns para criar o movimento das massas, fazendo acreditar que apenas segregando, se poderá vencer.

Gostei muito desta entrevista, do conteúdo, da forma e com orgulho me confesso...

Mais do que nunca, sinto-me croquete.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Fui A Uma Manifestação... Pelo Meu Sporting!

 

Pela primeira vez na minha vida, participei numa espécie de manifestação, aglomerado de pessoas reivindicando na rua a sua vontade, o seu desejo por um amor maior...

O futuro do Sporting.

Quem me conhece, sabe bem que nunca fui muito apologista deste tipo de manifestações públicas, no entanto, o momento turbulento e desastroso em que se encontra o meu clube, não me deixou alternativa...

Naquele espaço, em frente ao Edifício Visconde de Alvalade, juntaram-se mais de um milhar de pessoas, pacificamente exclamando o que dita a ferida Alma Leonina, desesperadamente crendo que poderíamos fazer a diferença para o bem do destino do Sporting.

Basta!

Basta mesmo deste tipo de ditadura populista, desta autocracia bacoca que tomou conta do que um dia foi o SCP.

Porém, não posso deixar de dizer que fiquei decepcionado com a quantidade de pessoas ali presentes, num momento como este, defraudando o sonho de mudança que em mim subsistia...

Bruno dificilmente se demitirá, sendo que na minha alma crescia a ténue esperança que diante de uma esmagadora presença de adeptos e associados, o Presidente aprisionado no seu gabinete, pudesse vislumbrar a realidade e por um momento sentir o pulsar deste descontentamento Leonino.

Entristece-me a pequeneza de um Clube imenso, a pacatez aparente num mar revolto de vergonha e boçalidade, a normalidade tranquila no meio de tanto despautério.

Se este momento não motiva os Sportinguistas a gritarem com todo o folgo dos seus pulmões, a expressarem a necessidade de mudança em prol do Clube, talvez não sejamos assim tão grandes...

Talvez não estejamos à altura da História que nos suporta.

A todos os que ontem ali estiveram, de consciência tranquila vos digo...

Foi com gosto que participei nesta "manifestação" Leonina, ao vosso lado, sonhando somente com a possibilidade de resgatarmos novamente para todos nós, o futuro deste nosso Sporting.

Viva o Sporting

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

Saudades Tuas...

 

Minha Mãe...

Num dia como este, 2 de Junho, dia dos teus anos e também da Avó Alice, as saudades tornam-se maiores, apertam um pouco mais, sendo que jamais desaparecem, se esquecem.

Tantas coisas para escrever, te dizer, nesta distância de oito anos, quase oito anos que marcam a partida tua, que se tornou nossa separação imposta...

Tão dolorosa como sufocante, numa mistura constante, constantemente na alma minha, que eternamente será tua.

Tenho saudades de tudo e de nada, dos momentos de risos e tristezas, dos olhares só nossos e daqueles silêncios ruidosos, escondidos por entre as gargalhadas sonoras que apenas a nós pertenciam.

Tenho saudades do cheiro aconchegante, que se tornou no aconchego que sempre conheci, do calor da tua mão, da fragilidade da tua voz, que sendo frágil escondia a firmeza do carácter que sempre em ti apreciei...

Tenho saudades do carinho, do amor incondicional que sempre soube em ti ter, da segurança imensa que somente contigo parecia existir, da imensidão de dias e noites só nossas que agora parecem pequenas...

Parecem distantes e ao mesmo tempo tão poucas.

Quase oito anos...

De saudades, soletradamente saudades que jamais acabarão.

Neste dia que sempre foi o teu, deixo-te aqui através deste jogo de palavras denominado de escrita, amor esse que também de ti recebi, este infindável amor que sempre te pertencerá...

Um beijinho deste teu filho que eternamente te amará.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Segunda-Feira: Dia Do Adepto Leonino...

 

Segunda-Feira deverá ser um dia muito importante na História do Sporting...

Um encontro de adeptos à volta do Estádio de Alvalade, exigindo a demissão de Bruno de Carvalho, numa tentativa de salvar este Clube que tanto amamos.

Depois dos últimos desenvolvimentos, rescisão de jogadores à mistura, não resta tempo a perder diante da prepotência e alheamento demonstrados pelo jovem ditador.

Bruno e seus colegas de direcção preparam-se para tentar controlar a vida do Sporting, num tresloucado acto de sobrevivência, competindo assim a todos nós, adeptos e sócios, fazer ouvir a nossa voz...

Não poderemos ficar em casa, nem delegar a pacificação da vida do nosso Sporting, na consciência de alguém desprovido de tal caracteristica.

Teremos de gritar...

De unir as nossas vozes e em uníssono gritar bem alto a nossa revolta, este nosso amor que é verde e branco...

Demissão já!

Não podem restar duvidas, não pode ficar uma réstia de interrogação nas almas bacocas daqueles que dirigem os destinos do Sporting.

Quem não puder se deslocar a Alvalade, que marque um ponto de referência na sua terra, que incite os seus amigos a sair à rua, que se agrupem como se todos fossemos um só...

Um só Leão.

Pelas 20h00 desta Segunda-Feira todos aqueles que quiserem lutar pelo futuro do Sporting, deverão comparecer junto ao Edifício Visconde de Alvalade, sem medo ou receio de dizer basta...

Basta!

Se todos o fizermos, estaremos mais perto de resgatar o nosso clube das mãos deste déspota, demonstrando ao mundo que ninguém poderá travar a vontade de mais de 3.5 Milhões de pessoas.

Viva o Sporting

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

Até Sempre Rui...

 

Hesitei muito em escrever este texto, por não saber se seria verdade, apesar de tudo o indicar, por não querer acreditar que poderia ser verdade, por não querer expressar por palavras a tamanha tristeza que em mim subsiste...

No entanto, aqui vai:

Tudo indica que Rui Patrício terá sido vendido ao Nápoles, por uma quantia irrisória tendo em conta o seu valor, valor esse futebolístico, sentimental, histórico.

Nada representa mais, para mim, deste reinado boçalista ou Brunista se preferirem, como esta venda estranhamente inexplicável.

O Rui simboliza um pedaço da nossa alma, desse caracterizar do sentido verde e branco, da formação continua, continuada por mais de dez anos na equipa principal, por mais de vinte e três desde que por ali entrou.

Este partir, saindo pela porta pequena, pois em Alvalade nesta Era já não existem portas grandes, é definitivamente o quebrar com todo o sonho de uma criança, aquela de Marrazes que com sete anos por ali entrou e com ela todas aquelas crianças que um dia acreditaram na magia de ser Leão.

A partida de Rui Patrício, a se confirmar, mata profundamente o verdadeiro sentido deste Clube que me habituei a ter como "meu"...

Torna-nos a todos mais "Bruno", coniventes com esta vontade de nos conformar-mos com esta espécie de nada, somente permitida nesses refúgios meio Cubano-Venezuelanos.

Os Sportinguistas estarão confrontados com o maior desafio da sua história, permitir ou não que um pequeno homem destrua a obra centenária de muitos...

Até lá, resta-nos despedir de alguém que respira da mesma forma que nós, que ama este Clube da mesma maneira que nós amamos, que é tão Leão como todos nós.

Para sempre ficarão as lágrimas tuas no relvado do Jamor, pela derrota naquela Taça, pela vergonha do que sobrou deste nosso Sporting...

Para sempre ficará na memória, na minha, a primeira defesa, o primeiro momento, a eterna sensação de que serias eterno.

Até sempre Rui Patrício.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

Um Dia Professora...

 

Há muito que não escrevo sobre o Presidente Americano, Donald Trump, entretido que ando com esta tragédia em que se tornou o "meu" Sporting...

No entanto, não posso ignorar este pequeno episódio envolvendo o Senhor Trump e uma professora reformada, numa carta tão surreal como reveladora.

Yvonne Mason, professora Norte-Americana, na reforma, escreveu ao Presidente Trump para incita-lo a visitar as famílias das vitimas de mais um tiroteio em escolas Americanas...

Mais um pedaço de horror, patrocinado por políticas proteccionistas ao Lobby das armas e que há muito corroem os Estados Unidos.

Política essa, validada em certa medida, pelas acções e discurso do actual Presidente.

Donald Trump enviou uma carta a esta professora, respondendo assim aos seus anseios...

Porém, o que mais sobressai na missiva enviada a esta professora, é a quantidade de erros gramaticais apresentados, dentro do registo intelectual que todos podemos esperar de Donald Trump, sendo que não deixa de espantar o singelo facto de ninguém a ter corrigido.

Das duas uma...

Ou Donald Trump escreve pelo seu punho as respostas às cartas que recebe na Casa Branca ou a sua equipa de assessores tem o mesmo grau de iliteracia do seu "Chefe".

Qualquer uma dessas hipóteses é inquietante.

Quanto a Yvonne Mason, uma nota de verdadeiro apreço...

Demonstrou que uma Professora nunca deixa de o ser, qualquer que seja o momento, nem mesmo diante da grotesca ignorância de uma mimada criança, quase a entrar na fase idosa da sua vida.

Haja paciência.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Palhaço

 

 

 

Luzes apagadas;

Sem brilho,

Sem nada...

 

Silencioso vazio;

Na penumbra de um momento,

Singelo arrepio,

De um arrepiante tormento...

 

Vai nevando de mansinho;

Do outro lado do mundo,

Vai sonhando devagarinho,

Num desejo profundo...

 

Num desejo que não cala;

O bater do coração,

Segredando cada lágrima,

Repleta de emoção...

 

Repleta de magia;

Despojada de certezas,

Combatendo em cada dia,

Amarguras e incertezas...

 

E vai descendo o pano;

Se extinguindo os aplausos,

Encerrando o sorriso,

De um pobre palhaço.

 

 

 

 

 

 

Velha Alma...

 

 

 

Sentada na beira da estrada;

Dessa estrada empoeirada,

Caminhando desbravada,

Desbravadamente desencontrada,

Desencontradamente desesperada,

Desesperadamente emocionada,

Emocionadamente aprisionada,

Na beira de uma estrada...

 

Na beira dessa estrada;

Memória bem trancada,

Permanece pincelada,

A parte recordada,

De cada beijo retratada,

Retratando sem mais nada,

Um pedaço deste amor...

 

Na beira de uma estrada;

De uma estrada empoeirada,

Vai cantando de soslaio,

A velha alma,

De outrora.