Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Monchique...

 

 

 

Dias e dias a arder;

Numa angustia insistente,

Presa ao olhar das gentes,

Abandonadas e impotentes...

 

Em cada chama um vazio;

Um pedaço de nada que fica,

Dor e desvario;

Ardor que se intensifica...

 

Dias e dias a arder;

Nessa Monchique Algarvia,

Essa serra a sofrer,

Sofredora agonia...

 

E por entre tantas palavras;

Tantas esperançosas politiquices,

Mais um ano de vergonha,

De fogos e vigarices.

 

Dias e dias a arder...

A arder.

 

 

 

 

Até Sempre, Minha Querida Tia Fernanda...

 

Minha querida Tia Fernanda...

Escrevo este texto como forma de despedida, como forma de gratidão por todos os momentos que consigo tive o privilégio de passar, sempre carregados de carinho, afecto e boa disposição.

Sempre que me recordar da Tia, será o seu sorriso que em primeiro lugar me virá à mente, depois o seu encantamento pelas minhas sonoras gargalhadas, e por tantas coisas mais...

Pelos milhares de almoços em sua casa, uma e meia em ponto, pelas noitadas que nos deixava fazer, reunidos na sala de jantar ou pelas escapadelas sorrateiras pelas tantas da manhã, num ataque voraz à cozinha, sempre ideia do seu queridíssimo neto, Jaime Duarte.

Por tantos e tantos momentos que me marcarão e ficarão guardados no meu coração.

Pela sua presença, aquando da morte de minha Mãe...

Por tanto e tantas vezes.

Essencialmente por sempre me fazer sentir querido, como mais de um vós.

Neste dia em que sobra a tristeza, deixar-lhe apenas mais um beijinho, carregado de uma eterna gratidão pela maneira como em cada gesto seu, sempre em mim ficou um sentido de nobreza e carácter...

Que perdurará através dos seus netos Jaime e João Nuno.

Um beijinho Tia Fernanda.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

O Louco Mundo De Bruno De Carvalho...

 

Suspenderam Bruno de Carvalho...

Que tristeza!!!!

Bruno, no entanto, não reconhece esta suspensão, não reconhece esta comissão fiscalizadora, não reconhece a comissão de gestão, a Presidência da SAD de Sousa Cintra, não reconhece José Peseiro, não reconhece...

Ameaça não reconhecer a Assembleia destitutiva, depois de a ter reconhecido, assim como os resultados da mesma.

Bruno não reconhece nada, nem mesmo aqueles que com ele estiveram até ao fim...

Já não reconhece esse tipo de gente que atrasou o seu projecto, que o impediu de ir até ao Clímax da gestão.

Será que Bruno se reconhece a ele próprio?

Um caso, na minha opinião, de completa loucura.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Um "Rio" De Invisibilidade...

 

Rui Rio esteve no Chão da Lagoa, mítica festa de verão do PPD/PSD, onde disparou esta frase:

" Até aqui não estava preparado para ser Primeiro-Ministro, pois ainda não tinha vindo ao Chão da Lagoa, agora sinto-me mais do que preparado, pois já aqui estive."

Mais ou menos estas as palavras, certamente esta a ideia...

Sempre gostei de Rio, apoiei a sua eleição para Presidente do PPD/PSD, por achar que seria o perfil indicado, apesar de saber das dificuldades que poderia encontrar, num Partido controlado em grande medida, pelos apoiantes de Pedro Passos Coelho e seus "boys".

No entanto, tem sido pouco...

Muito pouco o que temos visto de Rui Rio.

E assim, aliando frases como esta ao seu percurso enquanto líder, irá tornar-se impossível a afirmação da sua liderança, quanto mais com a quantidade de "Montenegros" à espreita.

Perdão...

De adversários sedentos de um passado que passou, mas que estes desejam retomar os "Passos".

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

Eternamente Amor...

 

 

 

Sangue na expressão;

Desse terno olhar,

Por entre o bater de um coração,

Meu hesitante caminhar...

 

Ao longe;

Bem distante,

Adivinhando esse caminho,

Essa dúvida asfixiante,

Asfixiando devagarinho...

 

Trémulo chorar;

Que insiste em se fazer sentir,

Não conseguindo mais disfarçar,

As tristes lágrimas a cair...

 

E em cada lágrima fugidia;

Se esconde a tamanha dor,

Em cada gota luzidia,

Pedaço de ardor,

Do que um dia prometia,

Ser eternamente amor...

 

Amor.

 

 

 

 

 

 

 

 

Finalmente... Ricciardi!

 

Tantas vezes se falou...

José Maria Ricciardi apresentou a sua candidatura aos microfones da CMTV.

Tenho de referir que, na minha opinião, é sempre preferível vir a jogo, do que se esconder em palavras e intenções, demonstrando desta maneira uma coragem, absolutamente, louvável.

Não posso fazer uma avaliação correcta sem saber quem o acompanha, sem lhe dar o espaço para apresentar as suas ideias, caracterizando-as depois negativa ou positivamente.

Tenho duvidas quanto à força desta candidatura, quanto à capacidade de congregar junto do universo Leonino, mas caberá a Ricciardi convencer com os seus argumentos aqueles que desconfiados possam estar.

Devo confessar que gostei especialmente de uma parte desta entrevista...

A explicação sobre os croquetes.

Como croquete que sou...

Orgulhosamente croquete, gostei de ver alguém ter a decência de repor alguma verdade sobre a História deste clube.

"Os dois últimos Presidentes Campeões Nacionais foram croquetes."

"O fundador do Clube era indubitavelmente um croquete."

Estamos de acordo.

Quanto ao resto continuo onde sempre estive, ao lado de João Benedito, não deixando de saudar a corajosa chegada de Ricciardi.

Que venha para somar...

Viva o Sporting

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

A Demissão De Ricardo Robles...

 

A demissão de Ricardo Robles foi o único caminho que sobrou à direcção do Bloco de Esquerda, assim como ao próprio, após as noticias veiculadas pela imprensa.

Esta situação é o culminar da imensa hipocrisia latente no discurso Bloquista e que entra em contradição com a prática verificada neste caso.

Volto a referir o que já aqui escrevi...

Percebo o investimento de Ricardo Robles e seus familiares, aceito e até o aconselharia, pois tratou-se de um excelente negócio, se tudo estiver legal, com uma margem de lucro absolutamente fantástica.

Quem rejeitaria um bom negócio?

Eu não.

O que aqui inquina tudo é a posição do seu Partido,  "Revolucionários Caviar", sempre carregada de um carácter moralista, julgando e atacando tudo e todos que possam ter uma visão empreendedora na sociedade.

Este lado populista, que é intrínseco ao Bloco, aniquilou a defesa de Ricardo Robles e deixou sem margem de manobra os dirigentes do partido.

Talvez aprendam, talvez não...

A Ricardo Robles valerá a certeza de que, pelo menos, se manterão os milhões resultantes de tão bela negociata.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Os Pecados Do Bloquista Ricardo Robles...

 

Quero lá saber o que o jovem Robles faz com o seu dinheiro...

Desde que seja de forma legal.

Quais os seu investimentos...

Desde que os faça de forma legal.

Digo mais:

Acho imoral a publicação dos seus investimentos, a devassa da vida privada, uma vez mais, exposta em alguns pasquins diários.

Se comprou por x e vendeu por outro tanto, se rentabilizou e lucrou, vezes sem conta, o seu investimento, pois numa sociedade livre e capitalista, isso não é mais do que um direito seu.

A única coisa que me encanita é a hipocrisia...

O que dirá o Bloco deste Senhorio "fascista"?

Desta conduta selvagem?

Este tipo de lucro não transferiria Ricardo Robles directamente para o CDS?

Não?

Esta espécie de discurso moralista de esquerda, detentores dos pobres e renegados, não entra em contradição com as praticas de alguns dos seus autores?

Incongruências próprias de populistas encartados, que sofrem neste momento em virtude da arrogância moral, por eles, imposta durante infindáveis tempos.

Estarei sempre do mesmo lado...

O lado da decência e da reserva da vida privada, desde que de forma correcta e legal, da presunção de inocência, da propriedade privada, da elevação de valores.

O que neste caso trama Ricardo Robles, é o facto de se apresentar aos eleitores como o defensor dos pobres contra os ricos, esses malfadados senhorios de Lisboa, capazes de lucrarem com a especulação imobiliária.

Foi assim que se apresentou ao eleitorado.

E depois...

Descobrimos que Ricardo Robles é um senhorio capaz de, tentar, lucrar com a especulação imobiliária.

No entanto, farei a sua defesa pois tudo isto é repugnante...

A sua vida, a da sua irmã, escarrapachada em miseráveis tablóides, simplesmente por exercerem o seu direito a investir.

Triste fado este, o de uma sociedade capaz de se alimentar da futriquice e vida alheia...

Futriquice essa alimentada, muitas vezes, pelo senhor vereador Ricardo Robles e seu Partido.

O que diria o BE se este caso tivesse como protagonista Rui Rio?

Pois é...

Todos adivinhamos.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

O "Meu" Querido Pingo Doce...

 

"Meu" querido Pingo Doce...

Não sou de grandes patrocínios, no entanto, chegou a hora de abrir uma excepção...

Ontem, por entre o rebuliço de compras para uma almoçarada, acabei por me esquecer no "meu" Pingo Doce, do Campo Pequeno, do meu computador.

No final da noite, quando me preparava para escrever mais um dos meus textos, deparei-me com esse assustador facto...

Perdi o meu computador.

Felizmente a minha prodigiosa memória, percorreu todo o caminho, passo a passo...

Até àquele instante na caixa do Pingo Doce.

Eram 23h00.

Nada a fazer...

Uma noite de espera e interrogações, de ansiedade e arrependimentos, de questões e raiva.

Acordei bem cedo...

Corri de encontro ao local do famigerado esquecimento, com a esperança carregada na minha alma, a duvida impressa nos receios que me acompanhavam, a vontade maior de saber...

Escrevo este artigo no Caneca de Letras, do meu computador, religiosamente guardado pelas meninas do Pingo Doce, queridíssimas profissionais que sempre me receberam com total simpatia e carinho.

Como se isso não bastasse, esta imensa satisfação completando o sentido de ser vosso cliente.

Em nome de todas as profissionais, deixo aqui o meu obrigado, em forma de beijinho, na pessoa de queridíssima Susana Maceira, representando um pedaço de todas vós.

Obrigado!

 

 

Filipe Vaz Correia