Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Vialli: O Touro Italiano

07.01.23, Filipe Vaz Correia



 

C84F9082-F18F-4F0C-B73B-03E6EC499038.webp

 

Gianluca Vialli partiu neste dia de Reis de 2023...

Um dos melhores e maiores avançados que vi jogar na minha vida, seja na mítica Sampdória, na Vechhia Signora Juventus ou no embrionário "novo" Chelsea com Gullit e Zola.

Vialli não foi o melhor jogador do mundo, nem sequer o maior avançado que vi jogar mas foi certamente o melhor jogador a rematar de primeira e aquele que mais golos deslumbrantes vi marcar na minha vida.

Adorava Vialli, a forma de correr, de lutar, de se transformar dentro de campo...

Esse modo de ser moldou a minha forma de ver o futebol, o imaginário de menino que adorava Gianluca Vialli.

Morreu no dia de Reis, no mesmo dia em que nasceu o meu melhor amigo de infância, Luís Miguel Afonso Teixeira, também ele vítima de um cancro, neste caso nos testículos, há quase 27 anos atrás.

Vialli também povoava o seu imaginário de menino sendo que nós éramos Milanistas, sonhávamos com Gullit, Rijkkard e Van Basten...

Num dia em que durante 18 anos fui feliz, junta-se a esta recordação de saudade a partida de Vialli e com ela esta imagem que aqui vos deixo, de um abraço de Mancini e Vialli, aquando do último título de campeões da Europa de Futebol da selecção Italiana.

Olho para esta imagem e vejo Vialli e Mancini mas também vejo o Luís e Eu...

Vejo amizade e amor, irmandade e fraternidade.

Vejo a vida a continuar e as lágrimas a correrem.

Até sempre Gianluca Vialli...

Até sempre, meu Luís.

 

 

Filipe Vaz Correia