Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Versos Soltos Em Tempos Revoltos...

Filipe Vaz Correia, 30.09.20

 

 

 

Arde e queima

a semente desalinhada

sofre e teima

a mágoa passada...

 

Traço e compasso

na beira da alma

ruído e espaço

na busca da calma...

 

Mas o ardor a persistir

o torpor a aumentar

a velha alma a desistir

desse sofredor amar...

 

Cai a noite destemperada

no vazio dessa solidão

escapando da poesia desamparada

o adeus de uma ilusão...

 

A iludida ilusão

de uma desiludida desilusão.

 

 

 

 

 

 

 

 

Eu Sportinguista Me Confesso... Esperançado!

Filipe Vaz Correia, 29.09.20

 

 

 

E1CF6942-02B2-4A63-9C7F-4E75A2C16DC1.jpeg

 

Sorrio, sorrio sem parar, ao olhar para o "meu" Sporting no relvado da Mata Real, nesse jogo que nos deu a vitória sobre o Paços de Ferreira.

Não paro de sorrir, de sonhar, de querer...

Este Sporting desperta em mim memórias de diferentes tempos, onde o pedaço de orgulho se encontrava em campo, no rosto daqueles atletas que sinto como meus.

Este rejuvenescer do Leão tem de ser elogiado, tem de ser compreendido, tem de ser respeitado...

Este Sporting recupera a genética do Clube, assente na formação, capaz de mesclar a irreverência com o talento, a busca com a esperança.

Indo ao mercado privilegiando o campeonato Português, o Sporting tentou mitigar erros, assumindo a falta de prospecção do seu Scout?, tentando reduzir adaptações e potenciar talentos "nacionais".

Faz muito bem...

E os meninos?

O que dizer dos pequenos leões de Alvalade?

Ver Matheus Nunes, Tiago Tomás, que jogador pode estar ali, Jovane, Daniel Bragança, Nuno Mendes...

E imaginar que vem ai Palhinha, Quaresma, Maximiano, Inácio, Rodrigo Fernandes...

Como não ter esperança?

Como?

Dizem:

Mas não será curto para sermos Campeões?

Mas quantas vezes lutámos pelo titulo nos últimos 15 anos?

Tirando os tempos de Paulo Bento, só na primeira época de Jesus e com um orçamento desmedido, indescritível e insano, nas mãos de um lunático que quase levou o clube à ruína...

Em todos os sentidos.

Estou feliz, muito feliz com esta esperança renascida num projecto que teima em me seduzir.

E não apressem, não esmaguem aqueles que nos representam ao primeiro tropeço, não façam a Amorim o que muitos foram fazendo a Paulo Bento e ao seu trabalho ao longo dos anos, com o miserável preço que até a estes dias pagamos...

Esperemos, acreditemos e tenhamos coragem para sonhar.

Viva o Sporting e os meninos de Alvalade.

Quero deixar claro que mantenho as maiores diferenças com Frederico Varandas e sua entourage, considero que grande parte deles são incompetentes e desastrados, medíocres líderes nesse futuro Leonino, apoiei João Benedito nas últimas eleições e mantenho, reitero, essa minha convicção de ser uma solução para o Sporting Clube de Portugal.

Dito isto, não posso deixar de reconhecer esta acertada aposta em Amorim e tudo o que escrevi no texto acima...

Independetemente das diferenças, o Sporting é o que mais importa.

E comigo o Sporting está sempre primeiro.

 

 

Filipe vaz Correia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cálice... “Chico e Milton“

Filipe Vaz Correia, 26.09.20

 

 

 

 

A genialidade de Chico Buarque e de Milton Nascimento, por entre, a Ditadura Militar Brasileira...

Onde Cálice gritava Cale-se, onde as palavras ganhavam forma em poesias maiores do que a própria existência dos poetas.

Magnifico.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

Pág. 1/5