Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Poema do Corropio...

Filipe Vaz Correia, 01.05.19

 

 

 

Corro sem parar;

Sem parar de correr,

Numa correria desenfreada,

Desenfreadamente entrelaçada,

Por entre laços e abraços,

Dias e espaços,

Noites a fingir,

No singelo fugir,

Sempre imenso...

 

Sempre imenso;

O doce e intenso,

Corropio...

 

Corropio de esperança;

De um sonho na lembrança,

Nessa tímida incerteza,

Que consigo aporta toda a beleza,

De tal palavra...

 

Amor.