Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

09
Jan19

Uma Menina Chamada "Esperança"

Filipe Vaz Correia

 

Era uma vez uma menina, de seu nome Esperança...

Carregada de brilho, enchia as salas mais vazias, reflectia com o seu olhar a alegria escondida em sua alma, numa mistura de querer e sentir, presa ao sentimento desmedido de um tempo.

Mas o tempo foi passando e com ele levando parte desse colorido do coração, amargurando cada pedaço de um quadro que se tornou cinzento, escurecido, com as agruras do que não chegou...

Do que chegando não bastou, nesse destino meio perdido, por vezes ferido e que não pára de arder.

A menina, pequenina, cresceu e saiu voando pelas planícies da serra, porém foi se esquecendo de sorrir, de como outrora sorria no meio da chuva, de como dançava no calor do verão...

De como se sentia no sopé da tristeza que, hoje, a invade.

Perdeu-se, esqueceu-se...

Desencontrou-se desses sonhos, não sabendo mais acreditar nesse voar que se escapou.

E nessa tela carregada de negros que percorre o seu olhar, continua a bater o mesmo coração, a mesma encantadora criança, esperando um dia reencontrar essa esperança que insiste em não regressar.

No bater da alma, se esconde a mesma menina, a mesma Esperança...

Que um dia ousou sorrir, sem temer, sem olhar para trás.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

08
Jan19

Desapegadamente Entregue...

Filipe Vaz Correia

 

 

 

Podia chorar ou correr;

Desesperar até morrer,

Cantar sem sofrer,

Amargar sem saber,

Esgotar esse viver,

Num entrelaçado perder,

Sem tamanho...

 

Podia deixar ou esquecer;

E levemente fugir,

Mas como poderia reviver,

O que insisto em sentir,

Sentindo este querer...

 

Podia tanto e tão pouco;

Poderia até sorrir,

E num gesto louco,

Desistir...

 

Mas o sol renasce;

A lua espreita,

O vento corre,

E eu...

 

Acredito piamente;

Que ao acordar,

Novamente,

Te direi...

 

Que te amo demais.

 

 

07
Jan19

O Telefonema Do Presidente Marcelo...

Filipe Vaz Correia

 

Não vi a estreia do Programa da Cristina em directo, pois preferi o meu sono retemperador aos gritos lancinantes da manhã, no entanto, não vejam nesta frase qualquer preconceito, apenas gosto, pois respeito sempre o mérito de quem o tem...

E para o "seu" público, a "jovem" Cristina tem.

Porém, o que me faz aqui escorrer um pedaço de tinta, não é a estreia do dito programa, aliás já tinha anteriormente escrito sobre ele, mas sim a minha estupefacção quando me alertaram para o telefonema do "nosso" Presidente da República.

Todos os que seguem os meus textos, sabem o quanto admiro Marcelo Rebelo de Sousa, esta forma próxima de fazer política, dando um sinal à direita, à minha direita, de que é possível ser Conservador e Humano, aproximar sem perder a seriedade política.

No entanto, Marcelo perdeu uma parte desse sentido nesta manhã, num singelo telefonema que se assemelhou a um populismo bacoco, desmedido entrelaçar com a mediocridade vigente nos dias que correm.

Poderia Marcelo telefonar a Cristina Ferreira, transmitindo os seus votos de felicidade?

Claro que sim...

Em privado.

Simplesmente em privado.

O que Marcelo fez, foi levar a Presidência da República para a batalha das audiências, tornar a sua legitimidade política numa arma, nas páginas cor de rosa, onde se apela e debate, o que é singelamente trivial.

Este populismo fofinho, não é menos perigoso e criticável do que qualquer outro, antes pelo contrario, acaba por normalizar a demagogia, por banalizar a arma democrática representativa.

Uma pena.

Assim é com tristeza que o escrevo...

O Presidente Marcelo foi, hoje, apenas mais um populista num programa da manhã.

Um Presidente popularucho.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

07
Jan19

O Dia De Cristina...

Filipe Vaz Correia

 

Cristina Ferreira vai estrear o seu programa na SIC...

Chegou o grande dia.

O País parece parar, para tão importante ocasião, numa batalha fratricida que se anuncia entre TVI e SIC, entre Goucha e Cristina.

As audiências marcarão as notícias, os convidados serão disputadíssimos, os frames analisados ao pormenor...

Quem vencerá?

Quem sairá derrotado?

A curiosidade parece invadir as redes sociais, antecipando cada instante de uma batalha anunciada.

Neste dia de Cristina, pois será  dela a estreia, quase que podia apostar numa vitoria da "saloia" da Malveira, não somente pela capacidade que a nossa "Princesa Diana" tem em amarrar o telespectador ao ecrã, mas também pelo desesperado erro cometido pela TVI, com a trapalhada de um tal de Mário Machado...

Entre o convite e a justificação, sobrevive a imperiosa sensação de uma desesperada busca por audiências.

E isso poderá revelar a ansiedade vivida nos estúdios de Queluz de Baixo.

Mas pouco importa.

Chegou o grande dia...

O dia de Cristina.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

05
Jan19

Poesia...

Filipe Vaz Correia

 

 

 

Porque faz sentido a poesia?

Essa mistura de letras e palavras,

Voltando como maresia,

Num agigantar da alma,

Desesperada por um sentir,

Que mesmo fugaz,

Se imortalize...

 

Se torne intemporal;

Como o olhar de uma mãe,

Como a brisa do verão,

Um abraço desmedido,

Aquecendo o coração...

 

A poesia é beijo;

Ou um escondido desabafo,

Um intenso desejo,

Que não cala...

 

A poesia é um pedaço de tudo;

Um eco de nada,

Uma tela do mundo,

Uma voz retratada...

 

A poesia é enfim;

Uma beleza sem fim.

 

 

 

04
Jan19

Vanessa E Dava: As Meninas Da Vodafone do Campo Pequeno...

Filipe Vaz Correia

 

O meu telemóvel resolveu despedir-se do mundo, após três anos de uma perfeita relação, entre nós.

Silenciou-se, num suicido esperado, devido aos "ferimentos" marcados em si, não me deixando esquecer as quedas e sobressaltos pelos quais passou.

Foi com tristeza e irritação que me apercebi de tal "destino" mas parti, mesmo irritado, em busca de uma solução...

Vulgo, comprar outro.

Essa parte dolorosa, de uma despedida, ficaria ainda marcada por inesperados contratempos que me levaram ao sublime desespero.

Comprei o telemóvel na Rádio Popular, convencido por um "asno", peço desculpa a todos os asnos, no entanto, o que mais me irritou foi ter-me apercebido desse singelo facto...

Se um "asno" me convenceu a comprar aquele telemóvel, o que dirá isso de mim?

Bem...

Poupem-me à resposta.

Mas o mote para escrever este texto, mais do que referir a falta de acompanhamento do empregado da Rádio Popular, é a indescritível simpatia e disponibilidade das "meninas" da Vodafone do Campo Pequeno...

As belíssimas Vanessa Sarah e Dava Lima.

Em primeiro lugar a simpatia, depois a disponibilidade, aliada a uma boa disposição e por último uma espécie de encantamento que fideliza o cliente, neste caso não tinha comprado o equipamento na sua loja mas mesmo assim recebi ajuda como se o tivesse feito.

Sem hesitações, fizeram o trabalho que o "asno" não soube fazer, ou seja, fizeram aquilo que não tinham de fazer.

Saí da loja com o telemóvel configurado, preparado para a primeira chamada, prometendo-lhes que aqui escreveria sobre elas.

Subscreveram o "Caneca de Letras", por acaso a Dava ainda não, mas cá a espero...

Minhas queridas, por tudo isto, um obrigado do tamanho do mundo, sem saber como descrever o quão impressionado fiquei com a vossa simpatia e carinho.

Assim, deixo-vos um beijinho imenso, com a certeza de que sempre que for ao Campo Pequeno, as visitarei, grato por toda a vossa atenção.

As queridíssimas Vanessa e Dava, são o melhor cartão de visita de uma empresa e a Vodafone bem pode se orgulhar destas suas "meninas".

Beijinhos.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

03
Jan19

As Palavras De "Francisco"...

Filipe Vaz Correia

 

As palavras do Papa Francisco, despidas de qualquer véu, como tanto caracterizam o homem e o Santo Padre, tocam no fundamental da questão, nesse caminho de fé que irremediavelmente nos envolve.

" Vive como um ateu. Se vais à igreja, então vive como filho, como irmão, dá um verdadeiro exemplo."

" Quantas vezes vemos o escândalo dessas pessoas que passam o dia na igreja, ou que lá vão todos os dias e depois vivem a odiar ou a falar mal dos outros."

Num mundo carregado de populismos, onde o nome de "Deus" é usado frequentemente para suscitar divisões ou ódios, como sustentação de um ideal político, nada mais apropriado do que estas palavras do Papa Francisco.

De facto, o Papa tem conseguido me aproximar da fé mas não daquela que prega o castigo e a severidade, antes a que nos abraça com amor e compreensão.

Uma lição, singela, para populistas e hipócritas de plantão, servida com carinho do Vaticano para o "Mundo".

Obrigado...

Querido Papa Francisco.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

02
Jan19

O Melhor Ministro Das Finanças Europeu...

Filipe Vaz Correia

 

Já tínhamos Cristiano Ronaldo no desporto, Sara Sampaio na moda, Lobo Antunes na literatura, Paula Rego nas artes plásticas, Salvador Sobral na Eurovisão, Siza Vieira na arquitectura, Miguel Oliveira nas motas e até as temíveis Caravelas Portuguesas no mundo animal.

Mas faltava a cereja no topo do mundo...

O The Banker escolheu Mário Centeno como o melhor Ministro da Finanças Europeu.

Ninguém nos "Pára".

Centeno é elogiado pela sua  performance como Presidente do Eurogrupo mas também como Ministro das Finanças de Portugal, onde a sua actuação é deveras elogiada.

A diminuição do desemprego, o "suposto" alivio fiscal das pessoas e empresas, a reestruturação bancária que "salvou" o sistema financeiro Lusitano, a diminuição do deficit ou da divida, estão elencados no rol de elogiosas palavras, escolhidas para sustentar o prémio.

Por tudo isto, mais uma vez, se verga o "Status Quo" diante do mediático CR7 das Finanças, numa justa apreciação de tamanho trabalho...

Mas um conselho "Canequiano" fica neste texto:

Um estudo ao Serviço Nacional de Saúde Português e ao estupidificante desgaste que tem sido submetido nos últimos Oito anos...

E talvez algumas ressalvas tenham de ser acrescentadas, aos gritos de euforia por tão prestigiante prémio.

É só uma opinião.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

01
Jan19

Donald Trump: A Caminho Da Reeleição?

Filipe Vaz Correia

 

Donald Trump continua o seu caminho, esta aventura, meio desventurada, como Presidente Americano.

Entrelaçado a posições populistas que o acompanham desde sempre, Trump saboreia agora um novo "momentum"...

A doce solidão Republicana.

Daqueles que com ele começaram esta caminhada, apenas Mike Pence permanece a seu lado, no entanto, cada vez mais silenciado, calado, adormecido.

Defesa, Tesouro, Educação, Justiça, todos foram caindo, uns por vontade própria, outros por vontade "Trumpiana", outros ainda pela vontade maior do escândalo público.

Trump continua impávido, amarrado aos seus Tweets, olhando para o "seu" mundo, como se de um jogo de "Risco" se tratasse.

Cada vez mais isolado, cada vez mais atrapalhado.

Mais se eterniza o discurso populista, esse que será o seu maior trunfo, numa Sociedade Americana fracturada, submersa em ódios e fantasmas, em refugiados e traidores, em "Nacionalistas" e "Comunistas".

Trump terá na busca por uma reeleição a sua maior batalha, que julgo se tornará cada vez mais difícil de concretizar, sem que novas alianças sejam forjadas...

E encontrar aliados, depois das tamanhas purgas internas, por si efectuadas, é coisa que se antevê, quase, impossível.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Pág. 4/4

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

  • Anónimo

    Meu caro, Notei com agrado a tua retratação relati...

  • Maria

    Há sempre um "tinhoso/a".É ignora-los. Porque há...

  • Filipe Vaz Correia

    Meu caro José...A mais pura verdade.Um abraço

  • Filipe Vaz Correia

    Minha querida Pingos de Chuva...Absolutamente verd...

  • cheia

    Uma erva daninha estraga uma seara.Um abraço

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Janeiro 2019

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D