Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Se Pudesse...

Filipe Vaz Correia, 16.03.18

 

 

 

Se pudesse pintar um desgosto;

Uma parte de mim que sangra,

Talvez memória esquecida que volta,

Vezes sem conta...

 

Se pudesse gritar,

E discretamente levitar,

Observando por entre as nuvens,

Como dói este destino,

Em que nada faz sentido,

Chorando destemperadamente,

Por entre a ilusão assombrosa,

Do que desassombradamente,

Esmaga...

 

Se pudesse voltar atrás...

 

Se pudesse;

Voltaria a pintar o mesmo quadro,

Com a mesma cor,

O mesmo cenário,

Esse mesmo amor...

 

Se pudesse;

Terminaria este poema,

Sem letras,

Sem palavras,

Sem nada...

 

Se pudesse...

 

 

 

 

Uma Battaglia De Sofrimento!

Filipe Vaz Correia, 16.03.18

 

Mais um jogo de sofrimento, de um incompreensível e desesperante sofrimento...

O meu Sporting está nos Quartos de Final da Liga Europa, passando assim mais uma eliminatória num objectivo que todos sabem, muito difícil.

O que não se pode deixar de estranhar, é a dificuldade encontrada contra uma equipa imensamente inferior, que se apresentou sem medo, perante um leão incapaz de entrar no jogo...

Jesus uma vez mais equivocou-se, misturou jogadores de maneira estranha e escolheu outros de forma ainda mais inexplicável.

Battaglia a lateral direito, com Piccini e Ristovski no banco, Petrovic a trinco, sendo que este jogador não tem qualidade para fazer parte deste plantel...

Bryan Ruiz a 8, obrigado a um desgaste e intensidade que ultrapassa em muito as suas características e o que estas podem dar à equipa.

Com o formato inicial, o Sporting não conseguia equilibrar o jogo, ter para si a posse de bola, criar de forma sustentada...

A chave deste jogo, na minha opinião, está na entrada de Piccini, pois com esta alteração o Sporting ganha em dois momentos:

Ofensivamente com a dimensão atacante que Piccini, a partir da lateral, incutiu na equipa e defensivamente com a intensidade de Battaglia, na recuperação e transporte de bola.

No jogo de ontem, quatro jogadores foram essenciais:

Patrício, um dos três melhores guarda-redes do mundo.

Coentrão, um leão que se entrega incansavelmente.

Bruno Fernandes, um jogador que não sabe jogar mal, mesmo que grande parte da equipa não o acompanhe.

Battaglia, pelo esforço, entrega e o golo que nos valeu a vitória.

Esta vitória, assim como a de Chaves, deixa duas notas:

Este Sporting tem alma e crença...

Mas não parece ter dimensão futebolística para simplificar processos e elevar o seu jogo.

Esperemos para ver, de Battaglia em Battaglia, até onde será capaz de chegar este Leão...

Viva o Sporting.

 

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

O Gesto Emocionante De Gigi Buffon...

Filipe Vaz Correia, 15.03.18

 

Às vezes na vida a dor supera qualquer imaginação, esmaga a estúpida noção de imortalidade que a todos, em algum momento, assola...

Durante estes dias, a todos chocou a noticia da morte de David Astori, deixando adeptos e colegas entregues a essa inevitabilidade que queremos esquecer.

No meio desta tragédia, de tantas e tantas demonstrações de amizade e grandeza, uma delas me emocionou...

Gigi Buffon.

Sempre admirei o guarda-redes do Parma e depois da Juventus, pelas suas qualidades como jogador, como líder, como um gigante que perdurará eternamente na história do jogo, assim como, Zoff, Schmeichel, Pfaff, Dassaev, Yashin, entre outros.

No entanto, é enquanto homem que aqui presto a minha homenagem a Buffon,  nessa definição de carácter, que permite distinguir os grandes dos que não o são.

A história é simples:

Buffon jogando na véspera, um jogo da Liga dos Campeões em Londres, fretou um avião para poder estar no dia seguinte em Florença no enterro do malogrado, Capitão da Fiorentina...

Avisou os seus colegas de equipa, alertando-os para estarem preparados às 4h30 da manhã, de forma a poderem chegar a horas, àquela triste despedida...

Assim o fizeram.

Chegados a Florença, tudo estava preparado para que Gigi Buffon entrasse na Igreja por uma porta lateral, devido ao perigo que advinha dessa rivalidade existente entre Juventus e Fiorentina...

Mas Buffon recusou.

O Capitão da Juventus decidiu entrar pela porta principal, prestando homenagem e solidariedade aos adeptos da Fiorentina e a toda a cidade de Florença.

Meu Deus...

Gigi Buffon emocionou o mundo de futebol, num gesto de nobreza, que em primeiro lugar apenas dignifica a memória daquele amigo de quem se despediu...

David Astori.

Por vezes no futebol, não é a bola o mais importante...

E  Buffon provou-o.

Mais do que o grandíssimo guarda-redes que foi ou é, sempre recordarei Buffon, pelo imenso Ser Humano que demonstrou ser.

 

 

 Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

Teu Olhar...

Filipe Vaz Correia, 14.03.18

 

 

 

Não consigo explicar;

O que não tem explicação,

Essa forma de amar,

Que amarra o meu coração,

Umas vezes a palpitar,

A palpitar dessa emoção,

Que por entre o teu olhar,

Me invade...

 

E no teu cheiro;

Me busco,

Sempre inteiro,

Me perco,

Em ti...

 

 Pois nos teus braços;

Em teus braços,

Tudo faz sentido,

Sentindo em mim,

O tempo a regressar,

A cada beijo perdido,

Lágrima prometida,

Ardor ferido,

De uma outra vida...

 

E em cada uma dessas vidas;

Encontro essa parte de nós,

Que se tornou eterna,

Vivendo intemporalmente,

Neste imenso amor...

 

Que nos pertence.

 

 

Meu Amor...

Filipe Vaz Correia, 13.03.18

 

 

 

Por entre vidas;

Esvoaçando...

 

Esvoaçando por entre destinos;

Tão desconexos,

Como complexos,

Arrepiantes lágrimas,

Somente permitidas,

A quem ama...

 

A quem ama intemporalmente;

Desta forma arrebatadora,

Que consome,

A imensa chama,

Sem calar...

 

Porque neste silêncio;

De tantos séculos,

De tantas e tantas vidas,

Sobra o sabor,

De cada instante,

Contigo...

 

Pois só tu;

Me completas,

E me completarás,

Eternamente.