Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

01
Fev18

Valeu A Pena!

Filipe Vaz Correia

 

Por vezes a leve esperança desvanece, levando com ela essa percepção imensa de um amor que não sobreviveu...

Mas se te amo perdidamente...

Se te amo ardentemente...

Se te amo, sinceramente, te amo...

Como pode esta dor ser tão esmagadora?

Porque por entre as nuvens, nesse céu outrora cristalino, se escondem em mágoas a despedaçada explicação, para esse diluvio infeliz?

Não se pode amar sozinho, mesmo que sozinho se torne o pedaço maior desse intemporal amor.

Se o tempo voltasse atrás, faria tudo de novo, me perderia todas as vezes, tantas e tantas, novamente.

Porque valeu a pena cada cheiro teu...

Cada sabor teu...

Cada palavra tua que ficou por dizer, ou que uma vez dita, fingiste esquecer.

Valeu a pena...

Mesmo este ardor que me queima, que me destrói sem parar...

Mesmo esse valeu a pena.

Porque nada pode apagar os tamanhos momentos em que te fiz sorrir...

Ou que através desse teu sorriso, sorri também.

Nada valeu mais a pena...

Do que este meu amor.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

01
Fev18

Um Sporting Com Estrelinha De Campeão...

Filipe Vaz Correia

 

Mais uma noite em Alvalade...

Mais uma jornada de sofrimento.

Parece que não conseguimos, nós Sportinguistas, ter um jogo fácil, sem o sobressalto aviltante deste receio de que algo possa escapar...

De que a vitória não chegue.

Mas chegou...

No pés de Jeremy Mathieu, o central vindo do Barcelona e que carrega no seu futebol a classe inerente a um jogador do seu nível.

O Sporting jogou como sempre, lentamente, previsível, no entanto, com mais alma do que habitualmente, tenho de reconhecer, buscando sempre com garra, o golo que teimava em se esconder.

Jorge Jesus acredita que este futebol nos dará as vitórias, há muito, esperadas...

Eu também quero acreditar, também quero sentir que poderemos ser campeões.

A estrelinha de campeão que ontem esteve em Alvalade, será indispensável para que consigamos os objectivos traçados na alma Leonina, pois uma equipa que se amarra demasiadamente à táctica e ao posicionamento, não pode confiar demasiado no seu desequilibro, para fazer a diferença.

Este Sporting que agora chega ao topo da classificação, não pode fraquejar, esquecer que dependerá da sua persistência, o fraquejar dos seus adversários.

Por fim duas notas:

Estou rendido a Coentrão...

A sua alma, o seu querer, essa entrega maior que nos orgulha e deixa carentes de palavras.

Grande Fábio Coentrão!

Para terminar uma palavra para alguns idiotas que na parte final do jogo atiraram petardos para o relvado, para perto de Rui Patrício quase atingindo o guarda-redes Sportinguista...

No mínimo poderia ter ficado surdo, mas felizmente ficou apenas consciente da estupidez de alguns adeptos.

Viva o Sporting.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Comentários recentes

  • Anónimo

    Meu caro, Notei com agrado a tua retratação relati...

  • Maria

    Há sempre um "tinhoso/a".É ignora-los. Porque há...

  • Filipe Vaz Correia

    Meu caro José...A mais pura verdade.Um abraço

  • Filipe Vaz Correia

    Minha querida Pingos de Chuva...Absolutamente verd...

  • cheia

    Uma erva daninha estraga uma seara.Um abraço

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Calendário

Fevereiro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D