Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

11
Jan18

Canábis: Sim Ou Não?

Filipe Vaz Correia

 

E agora?

Aprovam ou não aprovam, esta lei sobre a legalização da Canábis para fins medicinais ou terapêuticos?

Este debate é feito, há muito, por esse globo fora, guiando-nos por entre os receios de muitos, os desejos de outros tantos e o desconhecimento de quase todos.

Parece evidente, pela posição de médicos e enfermeiros, Ordem dos Médicos e outros profissionais da área da saúde, que esta planta tem na sua composição, elementos que permitem em casos como o cancro e outras doenças crónicas, aliviar a dor e permitir uma melhor qualidade de vida aos pacientes...

Só isto já dá que pensar.

Não tenho posição definida nesta matéria, pois num determinado sentido, também compreendo aqueles que temem a vulgarização desta substância, num mercado desregulado ou num sistema onde a prescrição se tornasse banalizada.

É aqui que espero que o Parlamento assuma o seu dever, ou seja, estudar todas as hipóteses possíveis para se certificar da importância desta decisão, legislando, liberalizando, mas definindo regras concretas, capazes de assegurar o cumprimento dessas mesmas leis.

Não tenho nada contra a planta em questão, nem contra o seu consumo, desde já o escrevo, mas entendo que a sua legalização tem de ser cautelosa e prudente.

Veremos se em Portugal, daqui por uns tempos, em vez de uma aspirina para a dor de cabeça, já se poderá fumar uma ervinha.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

11
Jan18

Uma Aventura Na Cova Da Piedade!

Filipe Vaz Correia

 

O Sporting viajou até Setúbal para jogar com o Cova da Piedade, nos quartos de final da Taça de Portugal e noventa minutos depois...

Passou às meias-finais.

No entanto, não posso deixar de o dizer, este Sporting não joga nada.

Apesar dos gritos entusiasmados após 45 minutos frente ao Marítimo, ou aos  jogos contra o Olimpiakos e Juventus, gritos esses de deslumbramento daqueles que se deixam inebriar por pormenores, é mais do que evidente, que este "meu" Sporting joga como uma equipa pequena...

E como todos viram na noite de ontem, como uma equipa muito pequena.

Dir-me-ão que não estava William ou Gelson...

E eu respondo:

Contra o Cova da Piedade?

Este Sporting de Jorge Jesus, joga contra o Porto da mesma maneira, que joga com o Moreirense, joga contra o Cova da Piedade, como jogou no estádio da Luz.

Mudam os jogadores mas fica a essência do modelo, o toque aborrecido do seu treinador, tremendo, temendo o inusitado momento, em que o adversário possa surpreender.

Não entendo...

Nem quero.

O que teria acontecido, se JJ não tivesse atirado para o relvado Bruno Fernandes ou Bas Dost, num gesto desesperado, de alguém que entendeu o sarilho que estava prestes a acontecer?

Custa-me ver este Sporting, quando joga como equipa pequena, em oposição ao F.C.Porto que sem as mesmas opções, respira ódio por aqueles que se lhe opõem, raiva e loucura numa mistura descontrolada, que se dispõe numa bela fotografia futebolística...

Num retrato de bom futebol.

Esta aventura na Cova da Piedade, apenas deixa a nu, as insuficiências reinantes no reino de Jesus...

Deitando água na fervura, no deslumbramento, daqueles que insistem em ver neste reino do Leão, um conto de fadas.

 

 

Filipe Vaz Correia