Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Eleições Angolanas?

Filipe Vaz Correia, 24.08.17

 

Admito que aqui escrevo sem saber como decorreram as eleições em Angola, no entanto, arrisco um resultado...

Ganhou o MPLA!

Não vi nenhuma noticia, no entanto, arrisco o nome do próximo Presidente de Angola...

João Lourenço!

Não ouvi qualquer relato sobre as percentagens de cada partido, no entanto, mesmo assim deixo um prognóstico...

Ganharam com Maioria Absoluta!

Não li, nem ouvi nenhuma descrição sobre como decorreu todo o processo, no entanto, se tivesse de arriscar diria...

Houve fraude!

A monotonia anti-democrática vigente em Angola são a base destas minhas previsões, sustentadas por décadas de corrupção e caciquismo.

Se errar, seria surpreendente, no entanto seria o melhor que poderia acontecer ao povo Angolano.

Mas como as fábulas não são reais, são histórias de crianças normalmente aprisionadas ao sonho pueril, não creio que aqui possam ser aplicadas...

Até porque em Angola, o direito a sonhar deve também ele, estar restrito a muito poucos.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

 

Desconcertadamente!

Filipe Vaz Correia, 24.08.17

 

 

 

As palavras desgarradas;

Que me acenam descompassadas,

Por entre imagens ilustradas,

De memórias bem trancadas,

Que regressam desassombradas,

Resgatando entrelaçadas,

Cada vontade segredada,

Em teus olhos pinceladas,

Neste amor que nos une...

 

Amo-te;

Em cada letra deste poema,

Onde me perco,

Desencontradamente,

Num reencontro,

Que desconcertadamente,

Me preenche!

 

 

Sporting

Filipe Vaz Correia, 24.08.17

 

Em Bucareste, o Sporting roçou a perfeição.

Ontem deixei de lado as minhas férias e regressei por instantes à minha qualidade de adepto fervoroso, ansiosamente diante de uma televisão, no Grande Contreiras, na Praia de Monte Gordo.

Esperava um jogo difícil, e foi até aos 60 minutos, mas felizmente se tornou fácil.

Este Sporting, por vezes enleado em alguns equívocos do seu treinador, libertou-se assim como já o havia feito na anterior jornada da Liga portuguesa.

A chave deste mistério, capaz de transfigurar o rosto do leão, é Bruno Fernandes, um médio construtor de jogo, capaz de num minuto mudar o rumo de um jogo, com um passe, num remate, num genial momento.

Ontem apareceu Gelson, fenomenal no golo, deslumbrante nas arrancadas e até no compasso de magia, com que desmarcou Bas Dost.

A defesa tremeu um pouco, principalmente na primeira parte mas reajustou-se, alicerçada na experiência de Coates e principalmente de Mathieu...

Deu gosto ver o meu Sporting, passeando numa vertiginosa e alucinante transição, a qualidade de alguns dos seus jogadores.

Voltei a gritar golo, golos, emocionadamente feliz.

E assim, regressei às minhas férias, sonhando com aquelas jogadas, com aqueles passes, com cada um daqueles golos.

Viva o Sporting...

Pois ontem valeu a pena.

 

 

Filipe Vaz Correia