Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Um Abraço Maior Do Que A Vida!

defoe.jpg

 

 

O mundo carregado de ódios, de problemas, desigualdades, ameaçado por ensaios nucleares, por palavras fracturantes, por olhares temerosos...

E então chega, um retrato, uma imagem que nos faz compreender que nada disto faz sentido!

Bradley Lowery é um menino Britânico, de cinco anos, que tem uma doença terminal, uma rara forma de cancro ( Neuroblastoma ) e que vive apaixonado pelo seu Sunderland, clube inglês de futebol.

O jovem Bradley que se encontra internado num hospital, sujeito aos tratamentos que lhe garantem mais algum tempo de vida, recebeu extasiado a visita de alguns jogadores, do seu Sunderland, dando-lhe assim uns raros momentos de alegria, num caminho pejado de sacrifícios.

Mas um desses jogadores, representava mais do que qualquer outro, do que qualquer visita, do que qualquer brinquedo...

Jermain Defoe, avançado inglês que estando no ocaso da sua carreira, deve nesse dia ter recebido o maior troféu, que alguma vez imaginara...

O amor incondicional daquela criança.

O jovem Bradley, brincou até mais não conseguir, deleitou-se com aqueles ilustres convidados que só conhecera nos seus mais ambiciosos sonhos e quando a visita chegou ao fim, agarrou-se a Defoe não o deixando ir embora...

O que fica é a imagem desse famoso jogador, naquele momento apenas humano, deitado na cama daquele menino, naquele hospital, com os braços de Bradley envolvendo o seu ídolo e adormecendo, provavelmente sonhando, com um golo magistral marcado por si, a passe do soberbo Jermain Defoe.

E que golo deverá ter sido, no coração cansado daquele menino.

Ao ver esta fotografia, de facto tudo perde importância, nada de facto é mais importante do que estes valores da fé, do amor, do fraterno abraço com o outro...

Imagens como esta, despem-nos e despedaçam as incertas certezas mundanas que por vezes tomam conta do nosso quotidiano.

Assim uma singela bola de futebol, pode mover vontades, num simples gesto arrebatador que valerá muito mais, do que  mil decretos, fatwas ou discursos...

Porque nada terá mais valor, do que a fraternal leveza do ser!

Que Deus te proteja, meu querido Bradley!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

1 comentário

Comentar post