Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

A " Inocência" De Manuel Vicente... "segundo miguel relvas"

 

Miguel Relvas saiu em defesa de Manuel Vicente, aos microfones da TPA, televisão pública de Angola, depois de já o ter feito na Rádio Renascença...

Relvas diz mesmo que tem a certeza da inocência do ex-Vice Presidente Manuel Vicente, pessoa que conheceu em funções governativas, conhecimento esse que lhe permite fazer tal julgamento.

Nem o Presidente Angolano, João Lourenço, seria capaz de ir tão longe...

Talvez, nem Manuel Vicente, fosse capaz de dizer o mesmo.

Mas Miguel Relvas sim...

O ataque feito por Relvas, posteriormente, à Justiça Portuguesa, praticamente a acusando de perseguição e preconceito neo-colonial, revela a imensa vontade do ex-Ministro Português, de agradar a alguém, que parece apreciar desmedidamente...

Cegamente apreciar.

Tudo isto é justificado certamente, por uma desinteressada amizade, sem qualquer contributo económico pelo meio, num acto puro e transparente.

Ao ouvir as palavras de Relvas consigo perceber o incómodo de Santana Lopes, quando lhe questionaram se o mesmo, era seu apoiante...

Pois na verdade, deve ser muito constrangedor.

Relvas move-se neste meios enlameados de maneira sublime, seja num qualquer regime corrupto Africano ou no pantanoso mundo do PT, no Brasil, por entre dólares e petróleo.

Há pessoas assim...

Dotadas dessa elasticidade de valores.

Ao ouvir Miguel Relvas, veio ao meu pensamento o sorriso que esbocei, assim que soube que Rui Rio tinha vencido as eleições no PSD...

Personagens destas, terão a vida muito dificultada para se mexerem a seu belo prazer, na gestão dos seus próprios interesses.

Para terminar, se alguém se ofender com esta minha apreciação, de uma impoluta amizade, alego desde já que deve ser tudo fruto da minha imaginação...

Fértil imaginação.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

Canábis: Sim Ou Não?

 

E agora?

Aprovam ou não aprovam, esta lei sobre a legalização da Canábis para fins medicinais ou terapêuticos?

Este debate é feito, há muito, por esse globo fora, guiando-nos por entre os receios de muitos, os desejos de outros tantos e o desconhecimento de quase todos.

Parece evidente, pela posição de médicos e enfermeiros, Ordem dos Médicos e outros profissionais da área da saúde, que esta planta tem na sua composição, elementos que permitem em casos como o cancro e outras doenças crónicas, aliviar a dor e permitir uma melhor qualidade de vida aos pacientes...

Só isto já dá que pensar.

Não tenho posição definida nesta matéria, pois num determinado sentido, também compreendo aqueles que temem a vulgarização desta substância, num mercado desregulado ou num sistema onde a prescrição se tornasse banalizada.

É aqui que espero que o Parlamento assuma o seu dever, ou seja, estudar todas as hipóteses possíveis para se certificar da importância desta decisão, legislando, liberalizando, mas definindo regras concretas, capazes de assegurar o cumprimento dessas mesmas leis.

Não tenho nada contra a planta em questão, nem contra o seu consumo, desde já o escrevo, mas entendo que a sua legalização tem de ser cautelosa e prudente.

Veremos se em Portugal, daqui por uns tempos, em vez de uma aspirina para a dor de cabeça, já se poderá fumar uma ervinha.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Uma Aventura Na Cova Da Piedade!

 

O Sporting viajou até Setúbal para jogar com o Cova da Piedade, nos quartos de final da Taça de Portugal e noventa minutos depois...

Passou às meias-finais.

No entanto, não posso deixar de o dizer, este Sporting não joga nada.

Apesar dos gritos entusiasmados após 45 minutos frente ao Marítimo, ou aos  jogos contra o Olimpiakos e Juventus, gritos esses de deslumbramento daqueles que se deixam inebriar por pormenores, é mais do que evidente, que este "meu" Sporting joga como uma equipa pequena...

E como todos viram na noite de ontem, como uma equipa muito pequena.

Dir-me-ão que não estava William ou Gelson...

E eu respondo:

Contra o Cova da Piedade?

Este Sporting de Jorge Jesus, joga contra o Porto da mesma maneira, que joga com o Moreirense, joga contra o Cova da Piedade, como jogou no estádio da Luz.

Mudam os jogadores mas fica a essência do modelo, o toque aborrecido do seu treinador, tremendo, temendo o inusitado momento, em que o adversário possa surpreender.

Não entendo...

Nem quero.

O que teria acontecido, se JJ não tivesse atirado para o relvado Bruno Fernandes ou Bas Dost, num gesto desesperado, de alguém que entendeu o sarilho que estava prestes a acontecer?

Custa-me ver este Sporting, quando joga como equipa pequena, em oposição ao F.C.Porto que sem as mesmas opções, respira ódio por aqueles que se lhe opõem, raiva e loucura numa mistura descontrolada, que se dispõe numa bela fotografia futebolística...

Num retrato de bom futebol.

Esta aventura na Cova da Piedade, apenas deixa a nu, as insuficiências reinantes no reino de Jesus...

Deitando água na fervura, no deslumbramento, daqueles que insistem em ver neste reino do Leão, um conto de fadas.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

Os Bilhetes De Mário Centeno!

 

Mas porque raio, anda Mário Centeno a pedir bilhetes ao S.L.B?

Porque raio, o Ministro das Finanças, tem de andar a pedinchar bilhetes para se deslocar à Luz?

Gosto de Centeno, já o escrevi, surpreendendo até a minha desconfiança inicial, da Geringonça no geral e do Ministro em particular...

No entanto, independentemente do seu desempenho Ministerial, existem princípios que não devem ser esquecidos, uma certa aparência que apesar de não ser requisito exclusivo, também conta.

A polémica que a partir de aqui se instala, com a isenção fiscal, IMI, a um dos filhos de Luís Filipe Vieira, é apenas uma consequência, deste aparente favor, esta triste coincidência que deixa no ar todo o tipo de especulações.

O Ministro defende-se, dizendo que não deixará de ir ao estádio da Luz, ver jogos do Benfica, como fez durante os últimos 45 anos...

Mas quem lhe pede para deixar de ir ao estádio da Luz, ver os jogos do seu clube?

O que me parece importante, é que o Senhor Ministro compre os seus bilhetes, num gesto nobre e decente...

Nem que seja para não ficar num terreno pantanoso, de especulação e desconfiança.

Importante referir que com as declarações do Ministério das Finanças, validando a veracidade do pedido de bilhetes, por parte de Mário Centeno, terminam as insinuações de que os Emails divulgados, poderiam não ser verdadeiros...

Já se percebeu que são.

Assim, depois de mais um pedaço de promiscuidade, se compreende como a política e o futebol, continuam entrelaçados, por entre sorrisos e favores.

Uma vergonha ou simplesmente burrice?

Mário Centeno que responda.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Na Luz Ou Em Alvalade: O Jogo De Todos Os Sonhos!

 

Vem aí o jogo dos jogos, o derby de todos os sonhos...

Um Benfica/Sporting ou Sporting/Benfica, traz amarrado a si um mundo intemporal de histórias, um pedaço de imaginação que faz de graúdos meninos e torna meninos em destemidos heróis.

Durante aquele tempo, suspenso na emoção divina, desses Deuses da bola que invadem o coração de tantos e tantos adeptos, o mundo parece estar suspenso, as vozes teimando em se fazer ouvir, num bruaá gigantesco, maior do que qualquer ruidoso silêncio.

No olhar de tantos de nós, adeptos deste desporto único, se esconde o sonho de uma vitória, o desejo sedutor do golo pedido, o abraço desmedido de um toque tirado de uma poesia.

O Benfica/ Sporting de amanhã assume-se de especial importância para as duas equipas, uma por se querer manter na liderança do Campeonato e a outra por não querer vislumbrar o agravar de uma crise, que vai muito para lá dos relvados.

O Benfica envolvido em polémicas sem precedentes, incapaz de demonstrar a inocência que os seus adeptos parecem ainda acreditar, vê neste jogo uma oportunidade única para disfarçar as feridas que se instalaram na "Estrutura Encarnada".

Uma derrota amanhã, deixaria marcas irreversíveis na equipa de Rui Vitória, e deixaria o seu treinador numa posição insustentável.

O Sporting, neste caso, partirá sabendo que as consequências de uma derrota, jamais assumirão para si, a mesma dramaticidade, no entanto, numa época onde importa mais do que nunca ser campeão, não se atrasar em relação ao F.C.Porto, terá particular importância.

Não posso deixar de escrever, sobre a imensa imbecilidade, plasmada na hora a que se vai disputar este jogo...

Nove e meia da noite, de uma Quarta-Feira.

Será assim, que a Liga tenciona proteger e promover o Futebol?

Uma estranha imbecilidade, que ainda necessita ser explicada.

Porém, independentemente da hora, da belicosidade inerente ao momento, vivido no Futebol Português, o País parará...

As crianças sonharão...

E os graúdos, também o irão fazer.

Pois no derby dos sonhos, sonhar é obrigatório.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Os Presentes De Jesus!

 

Estas novas contratações, anunciadas pela Imprensa, de Wendel, Rúben Ribeiro, Marcelo e Vietto, a se confirmarem, vêm trazer um acréscimo de responsabilidade ao treinador Leonino.

Jesus pediu dois ou três presentes, ao Presidente do Sporting, alegando e bem, que para a equipa poder se bater em todas as frentes com a mesma ambição, seria necessário reforçar a qualidade do plantel, conferindo-lhe mais soluções, mais capacidade de resposta.

Sou insuspeito de aqui defender Bruno de Carvalho. pois tanto me separa desta brejeira personagem, no entanto, seria uma hipocrisia da minha parte, não reconhecer o seu esforço desmedido, neste defeso, para ir ao encontro das reivindicações, de Jorge Jesus.

Se estes jogadores se confirmarem, todos eles, o Sporting fica sem dúvida, com o melhor plantel desde 2001/2002, ano em que se sagrou Campeão Nacional, apresentando em todos os sectores, soluções mais do que capazes de suprir as pontuais ausências, que se lhe deparem.

Assim, Jorge Jesus, terá de cumprir o destino para o qual foi contratado, há duas épocas atrás, guiando os Leões rumo à desejada vitória.

Não existirão desculpas para o fracasso, para a não concretização dos ambicionados títulos...

Jesus deverá saber, terá de o saber.

Viva o Sporting.

Obrigado, Professor Marcelo!

 

O Natal de Marcelo Rebelo de Sousa, demonstrou uma vez mais, a imensa vontade de ser um pedaço de nós, deste Presidente da República...

Tantas e tantas vezes acusado de excessos, no que toca aos afectos, às palavras, por muitos que hipocritamente passam pela política, sem deixar uma recordação maior.

Marcelo voltou a abraçar, a beijar, a tocar tantos corações que por estes dias, sentem mais do que em qualquer outro, o vazio.

Marcelo sentou-se em muitas cadeiras esvaziadas pela dor, destruídas pelos incêndios deste verão, deste outono, transformado em verão...

Marcelo tentou sem parar, preencher com amor, a dor que certamente teimava em persistir nos olhares magoados, de tantos habitantes de Pedrógão Grande, de Castanheira de Pêra, ou de Figueiró dos Vinhos.

O centro do País, recebeu de maneira grata, esta presença carregada de esperança do "nosso" Presidente da República, uma presença que não suprimindo as malfadadas ausências de Amigos, Filhos, Maridos, Mulheres, Pais e Avós, vitimas das tragédias que esventraram este Portugal, deixou aos olhos de todos uma querença num futuro que se anseia de reconstrução.

Para aqueles que ainda não compreenderam esta forma de fazer política, amarrados aos antigos tiques politiqueiros, talvez esteja na hora, de se concentrarem mais no coração das pessoas e menos nos seus ouvidos, cansados de tanta demagogia, de tamanha hipocrisia.

A palavra que Marcelo mais ouviu, por estes dias, daqueles que verdadeiramente lhe importavam, foi obrigado...

E daqui, desta Caneca cheia de orgulho em si, aqui fica também, o meu obrigado.

Obrigado,  Prof. Marcelo!

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Ministro Vieira Da Silva: Um Natal Em Família!

 

Nesta época Natalícia, não é demais expressar o quão importante, deve ser a família...

Ou o que cada um de nós, considera como família.

No caso da Geringonça, mais precisamente do Ministro Vieira da Silva, esta premissa parece aplicar-se o ano todo, num subsidio constante entre lugares e remunerações...

Desde que começou este escândalo com a Raríssimas que Vieira da Silva está debaixo de fogo, por causa das alegadas relações, entre o mesmo e a ex-Presidente daquela Instituição.

O Ministro explicou-se, como conseguiu, o Primeiro-Ministro apoiou-o num gesto de lealdade, no entanto, adensa-se o mistério...

A filha, a Mulher e agora a Sogra.

Até a Sogra?

Caramba.

A filha de Vieira da Silva é uma espécie de sombra de António Costa, voz do inconsciente do Primeiro-Ministro, ocupando o lugar de Secretária de Estado na Geringonça...

Até aí, tudo bem.

A mulher, Deputada da Nação, Sónia Fertuzinhos, também envolvida em viagens com a Raríssimas, vê agora através de uma reportagem da RTP, tornado público um subsidio que aufere mensalmente de mil euros, para ajudas de custo relativas a deslocações, pois segundo a mesma, vive em Guimarães.

O problema é que a Senhora vive com o seu Marido, e muito bem, mas em Lisboa...

Na Avenida de Roma.

Olha que bem...

Ajudas de custo para quem vive na Avenida de Roma e todos os dias tem de ir para São Bento?

Ok...

Pode ser.

Mas Mil Euros?

Não bastaria um passe social?

Sónia Fertuzinhos esqueceu-se, certamente, que em 2002 declarou aos Juízes do Palácio Raton a morada onde parece realmente residir...

Avenida de Roma, uma vez mais.

Pouca vergonha será , na verdade, de somenos para caracterizar esta trafulhice, nada virgem na história Parlamentar Portuguesa.

Para a coisa se tornar ainda mais complicada, para o actual Ministro da Segurança Social, não é que RTP descobriu que o seu Ministério, atribuiu um subsidio de 100 mil euros à IPSS liderada pela Senhora Sua Sogra...

É caso para imaginar a consoada em casa do Ministro Viera da Silva, na Avenida de Roma ou em Guimarães, todos sentados à mesa, abrindo os presentes, todos eles com o carimbo da Presidência do Concelho de Ministros.

Mais um subsidio para um, uma viagem para outro, e para todos nós, a estupefacção por tamanha falta de vergonha.

Um bom Natal Senhor Ministro e respectiva família.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

A Caminhada De Um Sem Abrigo...

 

O que estará por trás, do olhar de um Sem-Abrigo?

Daquele Sem-Abrigo?

Quantas dores permanecem encobertas, por aquele ar austeramente abandonado, enlameadamente escurecido, quase ofensivamente perturbador desta vida "normal", das pessoas "normais"...

Barba toda branca, amarelada, cabelos igualmente brancos, encardidos, com a sujidade presente na pele, nas unhas, na roupa.

Tudo me perturba...

Tudo deveria perturbar.

Caminha só, acompanhado pelas palavras que insiste em debitar alto, prometendo continuar sussurrando o malfadado destino que parece se ter cumprido, amarrado à infelicidade presente, na ausente vontade de ser "normal...

Gente comum.

A tristeza e a revolta parecem ter ali espaço, só ter ali espaço, naquele homem, naquele insistente olhar, que por mais que me esforce custo a esquecer.

Um olhar vazio, apesar de ser negro, presente apesar de nada nele existir, tem vida, reflectindo o nada, sempre o nada, que ganha expressão naquele rosto.

Esse vazio assustador, mistura de dor, de mágoa, de um abismo transformado em vida.

Aquele homem, aquela vida, ou o que dela resta, caminha só...

Continua percorrendo a rua, as ruas e os meus olhos acompanham-no, vão acompanhando os seus passos, até desaparecer no horizonte e se tornar para mim, o que antes havia sido...

Nada!

Mas no fundo da minha alma, no recanto do meu coração, aquela imagem permanece, aquela solidão que parecia ser sua companhia, arrepiou esta parte de mim que aqui desabafa...

Querendo vos escrever.

Quem terá feito parte daquela vida?

Como se perderam os desamores e amores daquele homem?

Como ficou vazia uma vida?

Abandonado no meio de tanto mundo, de tanta gente, de todos nós.

Perguntas que esvoaçam por entre as linhas e letras deste post, ficando sem as respostas, que porventura acompanham aquele homem, descendo a rua, prosseguindo o seu destino...

Aquele destino, que há muito, o abandonou.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Raríssimas Ou Muitíssimas?

 

Esta trafulhice chamada de Raríssimas, vem despertar a atenção de todos nós para esta realidade encoberta, de variadíssimas Instituições de solidariedade, entrelaçadas com a política, que infelizmente estão muitas vezes para lá do escrutínio público...

Da seriedade previsível.

Este escândalo envolvendo Ministro e Secretário de estado, Deputados e outro tipo de figuras, não deixa de ser mais um alerta, entre outros tantos, para o desconhecimento envolvente da chamada caridade social.

Depois da Cáritas, a Raríssimas, através da sua principal figura, Paula Brito e Costa, numa espécie de sobrevivência opulenta, com dinheiros públicos ou donativos de boa vontade...

Assim urge, sem dúvida, que de uma vez por todas, se faça uma auditoria pública a todas estas Instituições, de maneira a que se possa salvaguardar este tipo de solidariedade.

Torna-se difícil, a qualquer cidadão, acreditar num qualquer peditório, na pureza do discurso, na incerta certeza do destino do dinheiro recolhido...

Quanto dinheiro terá ido para os mais variados casos de doentes, que supostamente deveriam usufruir dos donativos destinados à Associação Raríssimas e quanto terá ido para os casacos, as viagens e a alimentação da Exmª Drª Paula Brito e Costa?

Das duas uma:

Ou se esclarece até ao último pormenor, quem esteve envolvido, quantas destas Organizações procedem da mesma forma, ou então...

O descrédito sentido pelo cidadão comum, acabará por descredibilizar este tipo de Instituições.

Fica reservado ao poder político, a resposta a esta questão...

Pois estamos, todos, fartos de trafulhices.

 

 

Filipe Vaz Correia