Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Rei Patrício...

 

O Sporting ontem saiu de Vila do Conde com uma vitória ao invés de uma derrota, porque na sua baliza está um dos três melhores guarda-redes da actualidade...

Sempre gostei do Rui Patrício, muitas foram as discussões nas bancadas do Estádio José de Alvalade, por não aceitar o chorrilho de criticas e assobios, com que os Sportinguistas habitualmente brindavam o seu jovem guarda-redes.

Fico feliz de ver como se transformou aquele menino, forte mentalmente, capaz de ultrapassar as dores de crescimento de um jovem atleta, cheio de talento.

Ontem Patrício, como já vez muitas vezes, mudou o rumo de um jogo, reescreveu à sua maneira, a história de uma partida ganha com imensa dedicação.

É um privilégio ter um jogador assim na baliza, atingindo nesta altura da sua carreira, um patamar de excelência ao alcance de poucos.

Muitas vezes oiço dizer, que o Sporting muito deve a JJ ou a Bruno de Carvalho...

A sério?

Na minha opinião, é a jogadores como Rui Patrício, com a sua dedicação, qualidade, entrega e amor ao clube, que eu como adepto, muito devo.

Já agora, se o Rui está onde está, duas pessoas não poderão ser esquecidas:

Aurélio Pereira e Paulo Bento.

É apenas para se fazer justiça, não vá um dia destes, alguém se lembrar de dizer que se não fosse ele...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Os Adeptos Do Watford.....

 

Marco Silva está a surpreender e a encantar a Premier League, depois de na época passada já ter deixado indicações que levaram os dirigentes do Watford a apostar nele, para fazer uma temporada melhor do que a anterior.

E assim está a fazer o jovem Marco Silva, oito jornadas passadas, na melhor Liga do Mundo, onde a competição está patente em todos os jogos, onde todas as equipas podem, verdadeiramente, ganhar a todas as equipas.

Marco é um treinador corajoso, inteligente, que põe o individual ao serviço do colectivo, que consegue agregar sem descompensar, sem deixar de atribuir importância individual, a quem a tem...

Pelas equipas por onde passou, é raro encontrar quem não diga bem dele, jogadores ou adeptos que não o recordem com a sincera sensação, de estarmos perante alguém competente e capaz.

Quem vê o Watford jogar, percebe como ele  irá fazer crescer estes jogadores, como irá dar a descobrir o talento de outros, como irá compatibilizar todos, num compromisso imenso.

Amanhã jogará diante do Chelsea, de António Conte, e aconteça o que acontecer, este meu texto será a prova da minha sincera admiração por este treinador, que um dia representou o meu querido Sporting...

Aliás, que sorte têm os adeptos do Watford por desconhecerem o facto de Marco Silva ser um tipo de duvidoso carácter, que tinha um projecto pessoal para destruir o Sporting Clube de Portugal.

Na final da Taça de Portugal, segundo alguns, pouca responsabilidade teve na reviravolta do resultado e na consequente vitória...

Outros discursaram, outros foram decisivos, outros sabiam tudo.

Tão pequeninos, esses outros.

Que sorte têm os adeptos do Watford, por desconhecerem tais características deste rapaz, pois assim, não serão obrigados a despedi-lo e a contratar um outro treinador para o seu lugar, pago a peso de ouro.

Ficam apenas com o excelente futebol da sua equipa.

Que sorte têm os adeptos do Watford.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Táctica Para Turim!

 

Enganem-se aqueles que pensam numa Juventus em crise, desmotivada, perdida por entre resultados pouco habituais.

Para Turim e longe de querer aconselhar o "Mestre da táctica", julgo ser importante o Sporting não desvirtuar a sua matriz de jogo, a forma como habitualmente joga.

O meio-campo Leonino terá uma importância fundamental, pois será nessa frenética luta, que se irá decidir muito deste jogo...

Para mim, entre Palhinha e Battaglia, escolheria o primeiro, ou seja, o mesmo fulgor físico, mas com uma capacidade de passe maior, de ritmo com bola, o que fará a diferença num jogo em que será essencial o contra-ataque, para fazer mossa na defesa Italiana.

Na frente, nem sequer equaciono Bas Dost, pois as suas características não se adequam à batalha de Turim, esperando que a efectiva recuperação de Doumbia, se possa confirmar.

A velocidade do Costa-Marfinense, aliada ao seu poderio físico, poderão ser a chave do jogo.

Caso Doumbia não possa jogar, então preferiria ter Podence solto na frente, ao invés do avançado Holandês.

Num jogo como este, a velocidade, para quem tiver pouca posse de bola, será sempre mais importante do que o poderio físico.

Assim, deixando aqui algumas das minhas convicções de treinador amador, espero pelo jogo, para compreender quais as opções do Mister Jesus, em Turim.

Boa sorte, meu querido Sporting.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

O Guião Do João!

 

O Sporting Jogou contra a equipa do Oleiros, uma equipa pequena, menor no panorama do Futebol Lusitano, com um onze de segunda linha, repleto de jogadores ávidos por uma possibilidade de se mostrarem na primeira equipa dos Leões.

Tenho de admitir que temo sempre as palavras de Jorge Jesus, quando se refere a jogadores da formação de Alcochete, desde o famigerado guião, à falta de golo de Podence, para não falar na quantidade de vezes que tinham de nascer, os meninos da formação, quando era treinador do Benfica...

Neste jogo, sei que é uma equipa menor, João Palhinha mostrou mais uma vez o seu imenso potencial, nada que espante pois o seu talento não engana, a sua imensa capacidade de recuperação de bola, a sua gigantesca dimensão física, aplicada ao jogo, a sua diferenciação no jogo aéreo.

João Palhinha em nada fica atrás de Battaglia, nada perde nos mais variados tempos do jogo, dando vezes sem conta um aspecto táctico à equipa, que me parece, com ele, bastante melhor...

Sempre admirei o João, sempre vi nele um herdeiro de Vidigal ou Paulo Bento, na característica física mas também na inteligência táctica, essencial aos campeões.

Não será por acaso, que as duas últimas equipas do Sporting a conseguirem ser campeãs, tinham no seu meio campo uma dupla trabalhadora e dedicada, Vidigal e Duscher, Paulo Bento e Rui bento, fazendo a diferença e permitindo  a artistas como Barbosa ou Quaresma, Mpenza ou Hugo Viana, sem esquecer o Grande Artista João Pinto, desfrutarem de uma liberdade capaz de modificar o jogo, em proveito da ambição Leonina.

Os elogios de Jesus a João Palhinha surpreenderam-me, deixaram-me feliz, no entanto, mais do que elogios é necessário que se aposte no jogador, se insista na aposta, se faça sentir a crença do treinador no talento do menino.

Por fim, dizer que Daniel Podence não fez um jogo menor do que Palhinha, não teve menos influência na equipa, apenas desta vez, não mereceu o elogio do Mestre da táctica...

Injustamente.

Podence cresce sempre que parte da ala, cresce exponencialmente, dando dimensão ao pequeno jogador, que se agiganta com o tamanho talento, da sua imensa genialidade...

Por isso vale a pena dar-lhe o guião certo, pois talento, também não lhe falta.

Viva o Sporting.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Cristiano Ronaldo, Um De Nós!

 

Cristiano Ronaldo esteve esta noite no Estádio de Alvalade, local de onde partiu para o Manchester United, depois do jogo de inauguração.

Foi bonito ver Ronaldo como mais um adepto, na companhia de outros antigos juniores Leoninos, eternamente Leões, como Miguel Paixão, José Semedo ou o Lourenço...

Esta ligação, tão forte como reciproca, bem assinalada nas bancadas, através dos cânticos incansáveis, celebrando este retorno de um filho que há muito partiu.

Ronaldo é o melhor jogador do mundo, certamente o voltará a ser e sem dúvida que este gesto, carregado de simbolismo, toca bem fundo toda a Família Leonina.

A esta emocionante presença, junta-se o facto de o Sporting ter vencido, sem ter feito um grande jogo, no entanto, conquista a sexta vitoria consecutiva na liga, transformando este inicio de época num dos melhores arranques das últimas décadas.

Assim continua a esperança de todos nós, Sportinguistas, de caminhar rumo ao titulo.

Mas também de voltar a ver aquele menino de outrora, de seu nome Ronaldo, no relvado de Alvalade, de Leão ao peito, sendo aquilo que sempre foi...

Mais um de nós.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

Começou A Premier League!

 

Começou a Premier League, com mais um jogo espectacular, impregnado de incerteza, de beleza, de uma fenomenal demonstração de qualidade.

Arsenal e Leicester, num estádio lotado, com milhões de pessoas em todo o mundo atentas, sedentas de futebol com esta dimensão...

E não foram defraudadas.

A beleza deste jogo, marcado por reviravoltas e ritmo, de uma vertigem pelo golo incompreensível mas que aporta a todos os instantes, uma magia não vista em mais nenhum campeonato.

Ali nas terras onde nasceu o futebol, se cruzam as verdadeiras emoções futebolísticas, os derradeiros apaixonados pelo romantismo pueril, que mantêm viva a chama de uma imensa poesia.

A classe de alguns dos melhores jogadores do mundo, Ozil ou Mahrez, a dimensão competitiva de outros e a busca insanável pela satisfação de cada um dos seus adeptos, levada ao limite da vertente táctica, da estética da técnica, da determinação impregnada em cada um dos intervenientes...

Ali o negócio do futebol, respeita a verdadeira natureza do mesmo, numa tentativa imprescindível para que não se destrua a credibilidade daqueles princípios que norteiam este desporto.

E assim, depois de alucinante hora e meia, de uma irreverente ansiedade, festejam mais do que uma vitoria, mais do que sete golos, mais até do que todas emoções que ali foram explanadas...

Festeja-se o regresso da Premier League e com ela o regresso do sonho intemporal, de um simples jogo de futebol.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

Vídeo-Árbitro...

 

A chegada do Vídeo-Árbitro ameaça mudar radicalmente o panorama do futebol Português...

Com a implementação deste novo tempo, deste novo modo de julgar o jogo, acrescenta-se verdade ao espetáculo, justiça em torno de deste nosso futebol.

Dir-me-ão que obriga a parar o jogo, que poderá se perder um pedaço da magia do golo e dos seus festejos, no entanto, mais importante do que tudo isso é a imensa sensação de verdade, inerente a esta alteração.

Vendo este último jogo em Alvalade com a Fiorentina, não posso deixar de imaginar a tremenda injustiça que seria a anulação de um golo limpo, como o golo de Bas Dost, apenas não validado devido à incompetência de um bandeirinha...

E como os bandeirinhas ditaram ao longo dos anos o resultado de jogos, o rumo de campeonatos, de muitos títulos.

Não posso deixar de me recordar daquela famigerada final da T. da Liga, no Algarve, onde a poucos minutos do fim, o Senhor Lucílio, aconselhado por um bandeirinha que estava a 40 metros do lance, transformou uma bola no peito, numa mão na bola...

Quanto tempo esteve aí, o jogo parado?

Quantos minutos foram necessários para prosseguir o jogo, acalmar a situação, expulsando injustamente um jogador e destruindo o trabalho de uma equipa que até àquele momento, controlava o seu destino?

Por todas estas razões, acredito que independentemente da equipa, que circunstancialmente saia beneficiada, a verdade será sempre benéfica para a credibilidade do espetáculo...

Será sempre melhor para todos, árbitros, jogadores, treinadores e adeptos, sendo que aqueles que não o desejam, é porque certamente estarão cómodos com o erro que deturpa a Verdade Desportiva.

E essa, Verdade Desportiva, é que verdadeiramente alimenta a magia deste jogo, que todos nós amamos.

 

 

Filipe Vaz Correia

Os Corruptos Nunca Se Lembram!

 

O Futebol Português continua envolvido em escândalos e artimanhas que deixam a dúvida constante, na mente de cada adepto, que vendo em campo algo diferente daquilo que os resultados demonstram, continua desconfiando...

O Apito Dourado veio na verdade, evidenciar um conjunto de esquemas de viciação do jogo, que apesar de não terem sido caucionados pela justiça, criaram no cidadão comum essa ideia inevitável de corrupção.

O que me espanta são as virgens ofendidas de então, transformadas agora por emails em corruptos fanfarrões, descrevendo os esquemas que agora comandam a bola dentro do relvado.

A fruta foi substituída pelos padres e os aconselhamentos matrimoniais pelas missas encarnadas, no entanto, tudo se mantém igual no Futebol Português e na forma como é controlada a sua arbitragem...

O Benfica, Tetracampeão, vê através das conversas entre o seu Diretor da BTV e o ex-árbitro Adão Mendes, escapar a legitimidade desses mesmos títulos, pois é impossível que não sobreviva a dúvida por entre as mentes dos que não se negam a raciocinar, sobre o estranho caso que surgiu nos últimos tempos.

Assim sobra aguardar o que as instâncias judiciais dirão sobre estes emails, impregnados de canalhice mas mesmo que os absolvam, tal e qual como no Apito Dourado, ninguém lhes retirará este pedaço de pecado original...

O pecado da descredibilização do Futebol Português.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

E Depois do Derby?

 

E depois do Derby de ontem?

Depois de um jogo enfadonho, onde ambas as equipas aparentaram, estar desprovidas de argumentos para deslumbrar, o que fica para o resto do campeonato e o que se perspectiva para o futuro?

O Benfica sai de Alvalade com o titulo na mão, não porque eu ache que não irão perder mais pontos, acredito que ainda poderão perder, mas essencialmente porque não acredito que o FC Porto não os perca também...

É em Braga que o Porto acabou por entregar o titulo ao Benfica, com tudo o que isto acarreta para o panorama futebolístico nacional.

O Sporting vive um caminho mais difícil, após os noventa minutos de ontem, de uma gritante falta de rendimento, que ficou patente aos olhos de todos.

Os Leões entraram em campo e marcaram o golo e depois...

Depois, o Sporting desapareceu de campo, deixou que o Benfica crescesse e tomasse conta do jogo, apenas tentando em contra ataque mudar o rumo dos acontecimentos, o mesmo se passando na segunda parte, onde Bas Dost nos primeiros vinte minutos, teve duas oportunidades, de matar o jogo...

Falhámos!

Depois foi esperar que o Benfica marcasse ou que Patrício continuasse a adiar o impossível.

Jesus disse que o Sporting merecia ganhar pois foi quem teve as mais flagrantes oportunidades de golo, é verdade, porém a qualidade de jogo dos Leões ficou muito aquém do esperado, da dimensão deste derby...

O que mais me preocupa é o futuro, a falta de confiança nas apostas e essencialmente nos jogadores que este treinador insiste em afastar.

Como é que alguém que treina todos os dias com os jogadores, arrisca para um jogo destes em Jefferson, uma sombra daquele magnifico jogador que deslumbrou com Jardim ou Marco?

Este é um exemplo, de alguém destruído psicologicamente, sem motivação e acredito que muitos mais por Alvalade se encontrem nas mesmas condições, por exemplo Bryan Ruiz.

E Paulo Oliveira depois do magistral jogo de ontem, voltará para o banco, como de costume?

Estas contradições ficam patentes até nas substituições de Jesus, na demora em refrescar a equipa e dinamizar o meio campo que continua preso, com a lentidão de Alan Ruiz a ser demasiadamente notada em jogos, de grau de dificuldade, maior.

Com desilusão, mas com a esperança de sempre, olho em frente depois de um Derby que queria muito, mesmo muito, ganhar.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

Os Pecados de Jesus...

 

O Sporting perdeu ontem o clássico com o Porto, no estádio do Dragão, a contar para a Liga Nos...

Foi o fim dos objectivos que tinhamos para esta época, pois nem a entrada direta para a Champions League, me parece atingível.

No entanto, que ideias poderemos nós guardar da noite de ontem?

A formação é algo que se paga caro e a culpa é do Palhinha...

Mas que estupidez!

Estas duas ideias ditas e repetidas por Jorge Jesus no final da noite de ontem, revelam um desconhecimento completo do fenómeno em que está envolvido e no segundo caso uma gigantesca incapacidade para gerir um jovem que não pode ser atacado no espaço público, pelo ignorante do seu treinador.

Vejamos a formação:

Alguém dúvida da imensa qualidade dos meninos que completam este plantel e foram formados em Alvalade?

Não!

Os laterais do Sporting foram formados em Alvalade?

Não, foi o senhor treinador que os contratou...

E Bryan foi formado em Alvalade?

Também não me parece...

O problema não está no facto de se apostar na formação, mas sim nos complementos que se inserem nas equipas para ajudar essa formação a crescer e é por essa razão que nunca poderiamos ter adquirido dez jogadores...

Talvez três ou quatro mas de imensa qualidade, decisivos, para ajudar estes meninos a crescer.

Depois custa-me entender um treinador que durante sete meses vai falando maravilhas e dando tempo para crescer, a um jogador que custou 8 milhões de euros, se atire agora, consecutivamente a um menino que faz o seu terceiro jogo como sénior, segundo a titular, tentando dar a entender que havia sido ele o problema deste resultado...

Ora bem, se Palhinha tem culpas no primeiro golo?

Tem!

Tem Palhinha culpas no segundo golo?

Não, pois além de sofrer falta, é a deficiente recepção de R. Semedo que provoca e desiquilibra todo o meio campo leonino.

Além disto, importa referir que independentemente de quem Jesus escolha para aquela função, de seis no Sporting actual, esse jogador estará sempre em déficit, pois JJ jogando sistematicamente com dois extremos, na prática 4x2x4, não permite que o meio campo se consolide, desiquilibrando defensiva e ofensivamente a equipa.

Não é por acaso que a equipa sofre tantos golos em contra ataque, é mesmo por culpa da táctica elaborada pelo seu Mister.

Não gosto de cobardes, nunca na vida gostei de gente cínica, calculista, capaz de abandonar aqueles que temporariamente lhes parecem ser o elo mais fraco, para se pouparem a si mesmos...

Jesus ontem não me pareceu um líder, mas sim, um desses cobardes.

Quer falar de Palhinha nestes termos, fale com o miúdo, intra-muros, dentro de casa.

Assim parece apenas uma desculpa, um fraco disfarçar de culpas...

Mas para mim...

Para mim foi Jesus que perdeu, aprisionado aos seus pecados originais.

 

Filipe Vaz Correia