Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Suicídio...

 

Torno-me refém dos meus pensamentos;

Aprisionado a este vazio,

Como um constante movimento,

Que corre em direcção a um rio...

 

Maresia, corrente ou maré;

Esse intenso despertar,

Para essa falta de pé,

Que insiste em ficar...

 

Permanece ao amanhecer;

Se instala e domina,

Nos esventra ao anoitecer,

Como se esventra uma mina...

 

Não nos deixa mais dormir;

Tornando-se parte de nós,

Roubando-nos o sorrir,

Deixando-nos, cada vez, mais sós...

 

Sozinhos e acorrentados;

Nesse silêncio animal,

Que nos foge já cansados,

Dessa luta desigual...

 

Sobra-nos a ausência;

Esse grito sem razão,

Essa imensa demência,

Nesse destino de ilusão...

 

Fortaleza e caminhar;

Ó silêncio de outro tempo,

Deixa-me só terminar,

Terminando com este sofrimento!

 

 

1 comentário

Comentar post