Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Pinceladas De Poesia

 

 

 

Não consigo mais gritar;

Nem a minha voz calar,

Sobram-me palavras para falar,

Dores que quero soletrar,

Por entre as nuvens a navegar,

Nesse céu azul, infinito...

 

Guardo tamanha angústia;

Dentro da minha alma solitária,

Alma amargurada,

Amargura imaginária,

Sem fim...

 

Vozes numa canção;

Cheia de letras e emoção,

Descrevendo a sensação,

De caminhar por entre a multidão,

Despida ilusão...

 

E em cada verso desnudado,

Ideias desencontradas,

Em cada pensamento desabitado,

Escrita desalinhada,

Em cada traço imaginado,

Uma esperança pincelada...

 

Pincelando o tormento;

Do meu desencanto.