Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Mil Vezes...

 

 

 

Por entre mil palavras;

Mil segredos,

E mais mil secretos enredos,

Descritos em cada noite de luar...

 

Por entre os sussurros da madrugada;

Do vento que teimava em correr;

Por entre sonoras caminhadas,

Desesperante grito a morrer...

 

Por entre as lágrimas que me escaparam;

Que amarraram o meu coração dorido,

Por entre as dores que me sobraram,

Sufocando este amor ferido...

 

E vai assim soletrando;

Cada letra escrevinhada,

Lentamente se soltando,

Da caneta envergonhada,

Mil vezes se eternizando,

Nesta poesia.