Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Mea Culpa...

 

Mea culpa, foi uma das primeiras expressões que aprendi em Latim:

Mea culpa, mea culpa, mea máxima culpa...

Frase que era obrigado a repetir, sempre que era apanhado em alguma traquinice.

Que saudades da minha querida Professora Jesuína.

Esta introdução serve para vos guiar, até ao sentimento que tomou conta da minha consciência, depois do jogo do meu querido Sporting...

Como todos os que andam aqui pelo Caneca sabem, não gosto do jovem Piccini, lateral direito fétiche de Jorge jesus, e que de elogio em elogio, continua coleccionando a minha imensa irritação.

Não conseguia compreender como poderia o Sporting ter contratado um lateral que raramente cruza, um jogador que constantemente erra no processo ofensivo, que facilmente desequilibra no processo defensivo, com erros sucessivos, sucessivamente desinspirado.

Explicada que fica a minha opinião sobre a personagem, tenho de aqui fazer o meu Mea Culpa, profundamente inebriado pelo deslumbramento sentido nas bancadas de Alvalade, pela surpresa indescritível de um lateral que desconhecia.

Teria razão, Jesus?

Ainda não estou convencido, no entanto, talvez embalado pela estrondosa vitória sobre o Desportivo de Chaves, quero aqui deixar estas palavras que jamais pensei escrever:

Piccini fez um grande jogo, irrequieto e desequilibrador ofensivamente, perfeito e determinante a defender, uma exibição de imensa qualidade.

Meu Deus...

O meu acto de contrição está feito, acompanhado por uma exibição de grande nível do SCP, regressando assim, a esperança leonina a Alvalade.

 

 

Filipe Vaz Correia