Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Luaty

 

Recuso-me a comer;

A deixar-me corromper

Recuso-me a esquecer

Esta ditadura, este poder...

 

Não fecho os olhos, não descanso;

Tenho medo do que me rodeia

Desta liberdade em suspenso

Dessa hipocrisia alheia...

 

Sinto o receio nos paus mandados;

O temor nos mandantes

Esses galos emproados

Disfarçados de governantes...

 

E assim chega o inferno;

Sendo presos só por ler

Neste imenso inverno

Nesta Angola a morrer...

 

Cabe-me assim lutar;

Por aquilo em que acredito

Pelo futuro que irá chegar

Trazendo outro grito...

 

Gritando enfim democracia;

Sonhando com o coração

Podendo ler numa livraria

Chamando-me Luaty Beirão.