Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Incêndios E Chantagens No Reino Do Leão...

 

Sinceramente não tenho palavras...

Não tenho palavras para descrever a grotesca atitude de Bruno de Carvalho, o espectáculo levado ao limite do ridículo, misturado com um sem numero de disparates, vociferados intermitentemente.

Nada faz sentido...

Esta desconexa batalha, erguida contra aqueles que sendo Sportinguistas dele discordam, contra os moinhos de vento, aqui sim vento, que se constroem na sua perturbada mente.

Bruno acompanhado pelos Órgãos Sociais, todos calados, silenciosamente observando o espectáculo proposto pelo seu "Querido Líder", num momento deprimente, pincelado com uma ténue cor cómica, caso aquele clube não fosse o meu.

A linguagem, que para mim não é um acessório, é mais um por-maior, acrescentou a todo este cenário, um toque de vergonha, imensa, de todos aqueles que sendo Leões, não consideram este tipo de linguajar aceitável.

A forma como se dirige aos Sportinguistas, condescendente, do alto do seu ego descontrolado, amarra a si mesmo, essa luminosa esperança de ser um Messias...

Pois acredito que é assim que se vê.

Por fim a chantagem...

A vergonhosa chantagem feita aos Sócios, exigindo a aprovação dos pontos que estavam em discussão aquando do seu abandono da Assembleia Geral, levam a questão para um campo, onde se torna difícil compreender.

Bruno só ficará se votarem favoravelmente todos os pontos por ele propostos e ainda se for legitimado de maneira inequívoca, com a mesma percentagem que teve nas últimas eleições...

86%!

É de facto uma vergonha, uma indecorosa expressão de um tiranete descontrolado.

Assim, pode o Sporting contar com dias conturbados e com uma próxima Assembleia Geral, manifestamente crispada, adivinho que contará com a presença de uma qualquer Gestapo para controlar votações, e com a imensa convicção, de que não deixará de haver uma ou outra traulitada.

Pobre Sporting, entregue aos desmandos de um paranóico incendiário.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

25 comentários

Comentar post