Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Ferido de Morte...

 

Estou ferido de morte;

Como um touro na arena,

Arena da vida, sem sorte,

Perdido, sem norte...

 

Essas balas que me trespassam;

E corroem a minha alma,

Aprisionam-me sem pressa,

Na amargura do meu destino...

 

Vejo-te a partir, esvoaçar, fugir;

Sinto o bater das tuas asas,

Para longe de mim,

Para perto do infinito...

 

Sacrifico-me em teu lugar;

Dava tudo para te ver sorrir,

Sinto-me ferido de morte,

Se a morte souber ferir...

 

Porque cada sofrimento teu, meu amor;

Cada dor que te atinge,

Despedaça-me sem pudor,

Imponente,

Definitivamente...

 

E assim em cada olhar;

Vislumbrando essa dor sem parar,

Amarrada ao fundo desse amar,

Que nos consome, sem matar...

 

Porque nem a morte;

Poderá levar este amor,

Aqui descrito, neste poema!