Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Droga...

 

Tenho uma seringa no braço;

Adrenalina nas minhas veias,

Pois já não sei o que faço,

Nem que droga me rodeia...

 

Preciso de te sentir;

A espetar-me, a violentar-me,

O calor dentro do meu corpo,

A tocar-me, a desnudar-me...

 

Anseio a tua companhia;

Ó heroína maldita,

Essa que me beija de dia,

E de noite tanto agita...

 

Estranho, obsessivo;

Sonhando com o teu sabor,

Possesso, possessivo,

Pedindo-te por favor...

 

Sem preço a pagar;

Pois por ti faço tudo,

Torno-me cego, surdo,

E por vezes também mudo...

 

Porque por ti nada me basta;

Sou teu e só teu,

E de ti ninguém me afasta...

 

Mas assim vale a pena;

Vale a pena continuar,

A ver-te dentro de mim,

Dentro de mim a matar...

 

Mata-me então, sem problemas;

Consome-me ardentemente,

Porque contigo não tenho dilemas,

E a morte é um presente!

 

 

 

 

 

 

1 comentário

Comentar post