Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caneca de Letras

Caneca de Letras

Eternamente Criança...

 

A imaginação sempre me aproximou de um mundo só meu, guardado por entre os monstros que me acompanham desde criança, dos amigos imaginários que sempre estiveram presentes, nas milhares de aventuras que percorri no recato do meu quarto ou nas correrias por aquelas ruas de Santa Luzia...

Ainda hoje quando fecho os olhos facilmente me transporto para uma sala escura, pejada de cortinados feitos de asas de morcegos, com as paredes cravejadas de olhos, atentos, que parecem me observar, enquanto eu aguardo...

Esperando que o mistério se desfaça e possa finalmente me bater num duelo com um qualquer rival.

Ou mesmo, um campo florido a perder de vista onde cavalgo no meu cavalo branco, de crina castanha e com as asas recolhidas, preparadas para voar se necessário for.

Como regressar por instantes a tempos onde podemos ser quem queremos, como queremos, sempre que queremos...

Momentos onde a vida não esmagava essa criança interior que por vezes insiste em permanecer, insistindo em ficar, nesse estranho direito que temos de não deixar de brincar.

Como pode ser estranho neste mundo tão sério e enfadonho, deixar que dentro de nós, ainda viva uma criança?

Aquela criança que um dia fomos?

Por vezes sinto-me assim...

Ou melhor, recordo como me sentia, nesses tempos distantes.

Será que assim permanecerei, se chegar aos 90 anos?

Ou será que acharão que se tratará de uma qualquer loucura, própria da idade?

Pois bem, até lá, prefiro percorrer os trilhos da minha imaginação, sonhar acordado, buscando através destas linhas o reencontro com esse pedaço de mim, que se nega a deixar de ser criança.

 

 

Filipe Vaz Correia

Encostas...

 

 

 

Nas encostas da escuridão;

Viajam os receios mundanos,

Os anseios da imaginação,

Contradizendo o puritano,

Medo ou negação,

Do futuro insano...

 

Nas encostas da solidão;

Espreita escondida,

Num esconderijo imaginado,

Fingindo desconhecida,

O rosto retratado,

No ardor de tamanha ferida,

Que fere o coração abandonado...

 

Naquelas encostas,

Neste poema,

Sobram dores e teoremas,

Dúvidas e dilemas,

Indecifráveis...

 

 

 

 

Na Minha Rua!

 

 

 

Na minha rua;

Desnudada aventura,

Desventurada ternura,

A cada chegada tua,

Partida minha,

Amargura nossa,

Ternurenta candura,

Endurenta lágrima,

Tão pura...

 

Na minha rua;

Tornada nossa,

Os destinos se encontraram,

Desencontrados aguardaram,

Num reencontro encontrado,

O beijo entrelaçado,

Entrelaçando emocionado,

Aquele tempo parado,

Como se o mundo,

Ali estivesse,

Eternizado...

 

Porque só naquela rua;

O sol brindava o anoitecer,

A lua reinava ao amanhecer,

E os sonhos se coloriam,

De todas as cores.

 

 

 

 

A Luta Pelo Futuro!

 

Os Venezuelanos estão presos num espaço temporal, espécie de vazio histórico, que os destrói, esventra a sua dignidade, a esperança que deveria naqueles jovens habitar.

Ninguém tem dúvidas sobre a miséria que grassa pelos quatro cantos da actualmente triste Venezuela, ninguém desconhece o descontentamento de uma esmagadora parte da sua população em relação ao regime Comunista vigente naquelas terras...

Ninguém ignora o sofrimento, desespero que deve invadir aqueles que à noite olham para os seus jovens filhos e imaginam o vazio que os espera, num futuro inexistente desenhado pelas mãos ignorantes dos seus governantes, num destino que sabem ausente.

No entanto, uma questão grita ao mundo, através dos ventos que chegam retratando aquele drama:

O que estão a fazer aqueles que deveriam proteger a Nação?

O que faz este exército, insanamente ao lado de Maduro?

Dir-me-ão que a cúpula militar Venezuelana, está ao lado de Nicolas Maduro pela maneira corrupta como este lhes permite traficar petróleo, drogas, armas, enfim um pouco de tudo...

São-lhe leais pois aqueles que comandam as Forças Armadas Venezuelanas, foram lá colocados por ele, sendo sabido que nunca o haveriam conseguido, caso este regime corrupto e demagogo não tivesse existido.

Aceito esta explicação, compreendo-a, até acredito que possa ser a mais correcta, no entanto, o exército não é feito de Generais, é feito de soldados, de gente, de homens...

Homens com família, amigos, pessoas comuns que vivem certamente o drama destes milhões de Venezuelanos, aprisionados à vontade de um homem que falou com um passarinho, ou melhor, com Hugo Chavez.

Esta falta de sentido, de esperança evidente é que precipita a certeza daqueles que não encontram outro caminho que não o de desafiar as balas vermelhas, dos Algozes Marxistas e Bolivarianos.

E neste impasse desesperante, definhando o grito popular, resta aguardar que a história reponha a vontade das gentes, o desejo daqueles que reclamam o seu direito, a ter um futuro.

Um futuro para a Venezuela...

Um Bem-Haja.

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

 

Donald Trump: Rumo Ao Abismo!

 

Meio ano decorreu desde as eleições Americanas e com este tempo esfumou-se também alguma esperança que pudesse existir, numa mudança de atitude do atual Presidente Donald Trump...

As trapalhadas têm sido muitas, envolvidas em suspeitas, confundidas com Tweets, entrelaçadas com a emergente ignorância vigente na Casa Branca.

Donald Trump não conseguiu ainda substituir o Obamacare, algo que prometeu fazer no primeiro momento após tomar posse, não conseguiu ainda iniciar a obra para a construção do tão famoso muro, que supostamente os próprios Mexicanos iriam pagar...

Não conseguiu que a sua lei anti-ilegais, tivesse efeito em muitos dos Estados que se negaram a cumpri-la e por último, não conseguiu afastar a desconfiança cada vez maior, de uma conivente relação com Vladimir Putin.

Aliás, as últimas revelações que envolvem o seu filho e uma advogada muito próxima do Kremlin ou até o secreto encontro na cimeira do G20, colocam este Presidente Americano num patamar de descrédito indescritível e nem mesmo o Partido Republicano consegue confortavelmente, apoiar esta espécie de incontinente verbal, que debita vezes sem conta idiotices misturadas com irrefletidas e irreais afirmações.

No caso da ingerência Russa e mais concretamente nos encontros de Donald Trump Jr. poderemos estar perante um caso de traição, o que certamente levaria o atual Presidente Americano muito para lá do Impeachment...

Assim seis meses depois escasseia dignidade, elevação, verdadeiras políticas ou medidas que melhorem a vida dos Americanos e do mundo, no entanto, sobram anedotas, imbecilidades, gaffes, imprudências, decisões erradas e noticias falseadas...

E assim continua Donald Trump a percorrer o seu caminho rumo ao abismo.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

 

Valeu Sempre A Pena...

 

 

 

Sempre que olho para o céu,

Questiono o destino,

Se valeu a pena...

 

 E recordo perdido,

Por entre as angustias,

O desconhecido,

Questionamento da minha alma...

 

Dessa imberbe alma,

Que destemperada,

Ousou desassombrada,

Arriscar a desanimada,

Estrada de tamanho amor...

 

E assim,

Sabendo por fim,

Que acabou,

Voltaria atrás...

 

Para novamente,

Te voltar a amar!

 

 

O Messi Do Quénia!

 

O Sporting aparentemente contratou, segundo alguns jornais, o Messi do Quénia, Mohamed Ramadhan...

Depois do Lampard dos Cárpatos, do Maradona do Egipto e do Messi da Escócia, o meu querido Sporting vai um pouco mais adiante e busca nesse belo País Africano, um jogador que fazendo jus ao nome será genial.

Infelizmente tenho a certeza que assim não será, pois convenhamos que nenhum Messi nasceria no Quénia, assim como, nenhum Paul Tergat nascerá na Argentina.

Ao ler esta noticia, de uma contratação Queniana, logo pensei num reforço para a equipa masculina de Atletismo, no entanto, logo me apercebi que aquele nome, Messi, não estaria ali por acaso...

Para um clube que já tem um Messi, neste caso Escocês, será prudente investir em mais um pequeno génio de tão longas paragens?

Talvez sim, caso o Scouting seja feito através de buscas homónimas, adivinhas singulares, enganos constantes...

Como me poderia esquecer do novo Riquelme, essa jóia chamada Alan Ruiz, jogador tão medíocre como os outros que aqui anteriormente referi, sendo neste caso, a cópia originária do mesmo país.

Pelo menos isso, se der uma entrevista e fecharmos os olhos podemos sempre imaginar que ouvimos o original Riquelme, coisa que não me parecerá possível com este novo rapaz que chegará ao reino do leão...

Pois das duas uma ou Messi aprendeu Queniano ou o jovem sabe falar castelhano.

Sobra-me a esperança de que este Scouting leonino, possa descobrir um Santiago Bernabéu ou um Abramovich qualquer, num qualquer canto do mundo e se apresse a contratá-lo...

Mas desta vez, para Presidente.

Pois a minha alma Sportinguista, já está por tudo.

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

Crianças No Daesh!

 

 

 

Quando te vejo criança;

Nesses campos desalmados,

Cede a esperança,

Por entre os malfadados,

Sofrimentos teus,

Que escondidos no passado,

São assim revelados,

Pelas imagens cruéis,

Que não cansam de a todos contar,

Esse horror...

 

Como se pode soletrar a palavra Deus;

Aterrorizando aquelas almas,

Meninas e meninos,

Sonhos roubados,

Imberbes destinos,

Que não tiveram o direito de viver...

 

Cada vez que recordo aqueles campos de refugiados,

Sinto em mim,

Cada lágrima vossa,

E rezo para que enfim,

Jamais se repita.

 

 

Henrique Cymerman: Jornalismo De Excelência!

 

O documentário transmitido ontem, pela SIC, levado a cabo por Henrique Cymerman é um exemplo do ponto de vista jornalístico, uma peça de excelência num tempo onde o verdadeiro jornalismo de investigação parece em vias de extinção no nosso País...

Crianças no Daesh, revela o outro lado das vitimas deste regime de um Califa, Califado do mal, que vitima muito mais do que aqueles que perecem ao som das bombas suicidas que aterrorizam o nosso mundo ocidental.

Esta visão, dá uma dimensão intrínseca daquelas crianças preparadas para morrer, em nome de um ideal que não desejam, de meninas transformadas em objeto, ao serviço dos desejos daqueles soldados de Alá.

Ao ver aquela reportagem, recordei uma das primeiras vezes que me apercebi da credibilidade deste jornalista, um Português Judeu ou um Judeu Lusitano...

Numa casa clandestina, no auge de mais uma Intifada, ali estava Henrique Cymerman, algures na faixa de Gaza, entrevistando o Xeique Yassin, fundador e líder espiritual do Hammas, figura intrigantemente maquiavélica e que ali se dispunha a receber, a conversar com ele, apesar de Cymerman ser Judeu.

Cymerman consegue mover-se nestes territórios com a segurança que lhe advém da gigantesca qualidade do seu profissionalismo, da maneira séria com que aborda e respeita, entrevistados, assuntos, os vários lados de um mesmo problema...

Foi assim, quando o Papa o recebeu no Vaticano e acabou por o convidar para almoçar consigo, quando entrevista o Primeiro Ministro Israelita ou o Presidente Iraniano, quando se move em Telavive ou é recebido em Ramallah.

Crianças no Daesh é na verdade um relato impressionante, esclarecedor, sobre como o sofrimento Humano reaparece sempre, quando o fanatismo impera, sendo quase sempre as crianças os alvos mais fáceis para tais algozes.

Pelo meio ficam vidas roubadas, famílias destroçadas, sonhos perdidos, laços esquecidos, obrigados a obedecer às divagações de uns quantos que se sentem legitimados para falar em nome de um Deus, sem piedade.

Que venha a segunda parte...

 

 

Filipe Vaz Correia

 

 

 

O Conselheiro...

 

 

 

Já lá vai o tempo;

Lá vai muito longe,

Um distante momento,

Onde no horizonte,

Parecia vislumbrar,

Por entre a penumbra discreta,

Dessa amargura avisada,

A secreta,

Lua...

 

A secreta noite;

Cheia de encantos,

Avisos e prantos,

Ruelas e desencantos,

Escondendo os recantos de tamanho amor...

 

Já lá vai o tempo;

Onde um mero sorriso,

Uma lágrima destemperada,

Mudaria tudo...

 

Porque o tempo é o mais cruel;

Conselheiro,

De um coração ferido.